22 de Agosto de 2017
17º/30º
ENTRETENIMENTO » BLOG

Arquitetos renomados dão dicas pra quem quer decorar uma casa pequena

Você mora em uma casa ou apartamento pequeno e um arquiteto ou decorador não cabem em seu orçamento? Pois o limaonagua entrou em contato com renomados arquitetos que gentilmente compartilharam sua experiência conosco. São informações valiosas, que podem melhorar significativamente a qualidade de vida de quem vive em uma casa pequena. O mais importante: é de graça! Então, faça bom proveito.

Fizemos a alguns escritórios de arquitetura a seguinte pergunta: se você tivesse que dar uma dica para uma pessoa que vai morar em um espaço pequeno, qual seria ela?

Uma boa marcenaria!
Uma marcenaria bem feita aproveita cada centímetro do seu apartamento. Essa é a maior vantagem deste serviço. As demandas que mais chegam até nós, profissionais, são: guarda-roupa grande e mais espaço para guardar utensílios de cozinha. Pensando nisso, nasce o projeto de marcenaria.

Outra dica boa é não utilizar muitos padrões de madeira e escolher até três tons. Assim, é mais fácil criar ambientes harmônicos e aproveitar as peças em MDF.

Neste projeto, elegemos o destaque com o verde-limão em contraste com o cinza e o tom amadeirado. Optamos também pelo armário com portas de abrir que, além de ocupar 7cm a menos do que o armário com portas de correr, é mais barato, pois não inclui os trilhos.

Os detalhes fazem a diferença! Os puxadores estão cada vez mais camuflados na marcenaria, eles vêm no formato cava ou apenas um perfil em alumínio discreto.






A iluminação é um fator decisivo ao bom uso de espaços pequenos e a luz natural é a melhor opção

A primeira dica é o bom aproveitamento dos espaços, com móveis versáteis e, quando possível, ambientes integrados.

A iluminação também é um fator decisivo ao bom uso de espaços pequenos. A luz natural é sempre a melhor opção, porém, quando o ambiente não puder abrigá-la, focos de luz artificial ajudam a destacar certos espaços ou objetos e assim melhor distribuir o projeto.

Além dessas dicas, outros "truques" para melhor aproveitar estes ambientes é o uso de espelhos, que dão a sensação de amplitude, e de outros objetos específicos no décor. O tapete é um deles. O uso de um grande tapete retangular que envolva algum cômodo, como a sala de estar, também pode proporcionar o efeito desejado. Algumas estampas, como as quadriculadas, podem dar um efeito "ilusório" que é interessante para a ampliação dos projetos.





Cachorra está desaparecida nas proximidades da Vila Progresso, em Assis

Mel, como é chamada, fugiu no domingo, 13

A cachorra Mel desapareceu neste domingo, 13, na Travessa Victor Belo, na Vila Progresso, em Assis.

De acordo com sua tutora, ela fugiu por volta das 18h e a família está sofrendo muito com a falta do animal, incluindo a sua filha, de apenas três anos.

Mel é de porte grande, tem a pelagem marrom e os olhos verdes. Ela é bastante dócil e estava sem coleira. Ela nunca havia fugido anteriormente e só passeava nas proximidades de sua casa.

Caso alguém tenha informações sobre a Mel, os telefones de contato são (18) 99625-9800 e (18) 99782-4655.


Mel

Mel


Cachorra da raça Shitzu está desaparecida a Vila Xavier, em Assis

Loa, como é chamada, desapareceu no início do mês

A cachorra Loa, da raça Shitzu, está desaparecida desde o dia 3 de agosto na região da Rua Cruz e Souza, na Vila Xavier, em Assis.

De acordo com sua tutora, ela estava em tratamento devido a uma hérnia na barriga e precisa de cuidados específicos. Além disso, a família está preocupada e sente falta do animal.

Loa tem a pelagem preta e branca, e usava um elástico preto quando desapareceu.

Quem tiver informações sobre a cachorra, pode entrar em contato com os tutores pelos telefones (18) 99778-8100 ou (18) 98149-1208.


Loa

Loa

Loa


Você sabia que cães podem doar sangue?

Assim como nos hemocentros humanos, o banco de sangue canino possui demanda alta

Os cães são animais bem diferentes dos humanos, porém, em pelo menos uma coisa ambos se assemelham: a possibilidade de salvar vidas por meio da doação de sangue. Com o Projeto Vida – Banco de Sangue de Cães, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), centenas de vidas caninas já foram salvas graças à doação de sangue dos "melhores amigos do homem".

A docente do curso de Medicina Veterinária da UEL e coordenadora do projeto, Patrícia Mendes Pereira, afirma que o abastecimento do banco de sangue canino é de extrema importância para a vida dos bichinhos internados no Hospital Veterinário (HV).

"Atendemos muitos cães na emergência, em estado grave. Muitos desses animais atropelados, com doenças crônicas ou agudas. Eles chegam extremamente anêmicos. A gravidade da anemia deles é tão grande que às vezes não dá para esperar duas, três horas para começar a transfusão sanguínea", explica Patrícia.

Assim como nos hemocentros humanos, o banco de sangue canino possui uma demanda alta se comparada ao estoque. Dessa forma, a equipe está sempre em busca de novos doadores. "Como faltam doadores, às vezes chega um animal precisando de transfusão e a gente não tem sangue estocado. E muitas vezes esse animal acaba morrendo, por falta do atendimento imediato com o sangue."

A veterinária alerta, contudo, que nem todo cão pode ser doador. Além de uma criteriosa avaliação para verificar o estado de saúde dele, outras particularidades devem ser respeitadas, como: o cão deve ser de grande porte; pesar mais de 28 kg; ter entre dois e oito anos de idade; ser vacinado anualmente; e ser manso para que permita a coleta do sangue na presença do guardião.

"Isso é feito [os exames> tanto para que, de forma alguma, eles sejam prejudicados com a coleta de sangue, como para sabermos que estamos passando um sangue saudável, sem doença."

Além da chance de salvar a vida de outros cães, os animais doadores "de carteirinha" ainda recebem exames e vacinação gratuitos, mesmo após atingirem a idade máxima permitida.

Atendimento especial

O banco de sangue canino possui uma estrutura privativa dentro do campus universitário, a fim de gerar mais comodidade aos doadores e seus guardiões. "O laboratório para colher o sangue é separado do Hospital Veterinário. É um ambiente à parte", frisa Patrícia.

Os interessados devem entrar em contato com a equipe do Projeto Vida através da página no Facebook ou pelo Instagram.

Através desse contato, um agendamento será feito no horário mais cômodo para o guardião do animal. "O proprietário deve agendar o atendimento. Por se tratar de um projeto de extensão, se chegar um doador de sangue sem agendamento, nós não temos uma equipe para colher o sangue na hora."

Cachorros estão desaparecidos nas proximidades da FICAR, em Assis

Eles fugiram na tarde deste sábado, 12

Dois cachorros fugiram e estão desaparecidos desde a tarde deste sábado, 12, em Assis. De acordo com informações da sua tutora, eles escaparam da Rua Pompeia por volta das 17h e foram vistos nas imediações do recinto da FICAR.

A fêmea tem a pelagem marrom e passou recentemente por uma cirurgia de castração, por isso ainda está tomando medicação e precisa de cuidados. Já o macho é da raça Border Collie, marrom. Eles atendem pelo nome de Amora e Fred.

Caso alguém tenha informações sobre eles, pode entrar em contato pelos telefones (18) 99754-2616 ou (18) 3323-8102.


Amora e Fred

Amora e Fred com seus tutores


Cachorra está desaparecida na Água do Baixadão, em Assis

Tutores acreditam que ela possa estar abrigada na casa de alguém

A cachorrinha Laranja está desaparecida na região da Água do Baixadão, em Assis. De acordo com sua tutora, Natália Casaes, ela foi adotada no ano passado, mas desapareceu nesta terça-feira, 8.

"Eu adotei a Laranja no ano passado. Ela estava muito debilitada, levei ao veterinário, fiz tudo que era necessário, dei todas as vacinas e remédios. No início desse ano levei para castrar e sempre cuidei muito bem dela no sítio. Na segunda feira à noite, quando meu namorado chegou em casa, já não viu ela na casinha, mas isso era comum. Os funcionários do sítio viram ela antes de irem embora na segunda à tarde. Já na terça à tarde realmente percebemos que ela havia desaparecido, procuramos em todo o sítio e nenhum sinal", afirma.

Os tutores foram até um posto de combustíveis próximo, mas ninguém viu a cachorra. Eles também foram se informar no posto da CART se havia algum caso de atropelamento, mas foram informados de que não havia nenhuma ocorrência.

"Já postei nas redes sociais, em alguns grupos de Assis e nenhuma notícia. Estamos imaginando que, por ela ser bem bonitinha, alguém possa ter pego achando que estava abandonada. Já liguei também em todas as clínicas veterinárias da cidade pra ver se encontrava alguma informação, mas até agora nada. Estamos muito tristes por não conseguir encontrar ela e não ter nenhuma notícia", salienta.

Caso alguém tenha informações sobre o paradeiro de Laranja, pode entrar em contato pelos telefones (18) 99779-7897 (Henrique) ou (18) 98148-1674 (Natália).


Laranja

Laranja

Laranja


Bem-Estar

Anvisa aprova medicamento biológico para hemofilia A

Zonovate possui fator de coagulação que evita hemorragias em hemofílicos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o medicamento Zonovate para o tratamento da hemofilia A. O composto possui o fator de coagulação VIII, que está ausente nessas pessoas.

A hemofilia A é uma condição genética que causa dificuldades de coagulação do sangue, levando a sangramentos excessivos em seus portadores.

Como a coagulação do sangue ocorre por meio da interação de estruturas chamadas pela medicina como ‘fatores de coagulação’, uma injeção da substância repõe a proteína e evita a hemorragia.

O Zonovate é considerado um medicamento biológico, classe de substâncias produzidas a partir de células e substâncias vivas -- e não com compostos químicos sintéticos. A droga foi produzida pelo laboratório Novo Nordisk.

A aprovação do medicamento foi registrada no Diário Oficial nesta segunda-feira (7).



Cachorra é abandonada em posto de combustível e precisa de um novo lar, em Assis

O posto fica na Rodovia Raposo Tavares (SP 227), na saída para Marília

Uma cachorra foi abandonada neste domingo, 6, em um posto de combustível localizado na Rodovia Raposo Tavares (SP 227), em Assis.

De acordo com o funcionário Ricardo de Oliveira, ninguém viu o momento do abandono, mas a situação é recorrente no local.

"Ela foi abandonada no domingo no posto de combustível. Ela é de porte grande, tem a pelagem marrom, é super dócil e infelizmente ninguém viu a hora exata em que abandonaram. Quem puder adotá-la ou ser um abrigo temporário, ela está aqui esperando por um lar. Hoje tratei dela, mas não temos condições de abrigá-la aqui", afirma.

É importante lembrar que a Lei Federal n°9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais) prevê o abandono de animais como crime, com pena prevista de detenção de 15 dias a 6 meses, ou multa.

Caso alguém possa adotar a cachorra abandonada, o telefone de contato é (18) 99742-7223.


Cachorra abandonada neste domingo, 6

Ela precisa de um novo lar onde possa receber carinho e amor


Bem-Estar

Medicamento que pode dar mais tempo de vida às pacientes com câncer de mama metastático é incorporado no SUS

O trastuzumabe, fundamental para o tratamento do câncer de mama metastático HER2+, subtipo mais agressivo da doença, teve a incorporação ao SUS recomendada pelo Ministério da Saúde. O medicamento mudou a forma como o câncer de mama é tratado no mundo e figura na lista básica para combater o câncer, criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e usada para orientar governos na decisão de oferta de alternativas terapêuticas à população.

Ele já é ofertado desde 2012 na rede pública de saúde, mas apenas para pacientes com câncer de mama inicial e localmente avançado, ou seja, pacientes que apresentam metástases (tumores que surgem em outros órgãos além da mama) não tinham atualmente acesso ao tratamento gratuito, apesar de terem indicação para uso com resultados expressivos. A partir de agora, conforme determina o artigo 25 do Decreto 7.646/2011, as áreas técnicas do Ministério da Saúde terão prazo máximo de 180 dias para efetivar a oferta ao SUS.

A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) têm como um dos focos de seu trabalho ampliar o acesso a tratamento para pacientes com câncer de mama metastático no SUS. Durante a consulta pública que buscou ouvir a opinião da sociedade sobre a oferta desse tratamento na rede pública de saúde, lançou a campanha Pacientes no Controle, a fim de mobilizar a população a participar. Ainda, promoveu Ciclos de Debates com Parlamentares e Audiências Públicas sobre o tema em 15 estados brasileiros, campanhas pela ampliação de acesso a tratamentos entre outras ações.

A inclusão do trastuzumabe para câncer de mama metastático na rede pública de saúde é comemorada, mas defendida como medida mínima e fundamental pela FEMAMA. Além disso, a instituição demanda também a incorporação do pertuzumabe, tratamento cuja análise também foi submetida à consulta pública no mesmo período que o medicamento hoje aprovado pelo Ministério da Saúde: a combinação da quimioterapia padrão do SUS, trastuzumabe e pertuzumabe é capaz de proporcionar mais tempo de vida, sendo até 56,6 meses de sobrevida média global às pacientes com câncer de mama metastático, de acordo com o estudo CLEOPATRA (2013). Outro estudo estima que, utilizando essa associação de medicamentos, 768 mortes prematuras de mulheres com a doença poderiam ser evitadas no Brasil.

Compreendendo a importância do tema, a FEMAMA coloca sua presidente voluntária, Dra. Maira Caleffi, à disposição para entrevistas sobre a importância desse avanço e sobre o que mais ainda pode ser feito pelas pacientes com câncer de mama metastático no Brasil.

Sobre a FEMAMA

A FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) é uma entidade sem fins econômicos que concentra uma rede de 65 instituições ligadas à saúde da mama, presentes em 19 estados brasileiros e Distrito Federal, representando mais de 1 milhão de cidadãos. A instituição atua na articulação de uma agenda nacional única para influenciar a formulação de políticas públicas de atenção à saúde da mama. Eleita membro titular do Conselho Nacional de Saúde (CNS), a FEMAMA tem direito a voto nas pautas propostas pelo CNS que, posteriormente, se convertem em recomendações para o Ministro da Saúde na condução e formulação de políticas públicas. Mais informações no site www.femama.org.br

Bem-Estar

Ciência tenta 'explicar' identidade de gênero com DNA, mas ativistas levantam preocupações

Iniciativa europeia e americana coletou sangue de 10.000 pessoas para mapear genoma e comparar DNA de pessoas transgêneros e não transgêneros. Ativistas temem 'terapias reparadoras'.

Um consórcio de cinco instituições de pesquisa na Europa e nos Estados Unidos -- incluindo o Centro Médico da Universidade de Vanderbilt, a Universidade George Washington e o Hospital Infantil de Boston -- está buscando no genoma algumas pistas que nos ajudem a explicar o porquê de algumas pessoas serem transgêneros e outras não, informa a Reuters.

Para entender qual o papel que o genoma desempenha na identidade de gênero, cientistas extraíram DNA das amostras de sangue de 10.000 pessoas: 3.000 deles transgêneros e o restante não transgênero, diz a Reuters. O objetivo é comparar cerca de 3 milhões de variações genéticas em todo o genoma dos participantes.

Atualmente, segundo a agência de notícias, a única maneira de determinar se as pessoas são transgêneros é pela autoidentificação. Enquanto ativistas afirmam que isso deveria ser suficiente, cientistas decidiram levar essa busca para o laboratório.

Sabendo quais as variações que as pessoas transgêneros têm em comum, e comparando esses padrões com aqueles das pessoas cisgêneros (aqueles que se identificam com o gênero em que nasceram), pesquisadores podem entender melhor o que ocorre – inclusive, se os genes têm ou não papel preponderante.

"Se a característica é fortemente genética, pessoas que se identificam como trans irão compartilhar mais o mesmo genoma entre si", disse à Reuters Lea Davis, líder do estudo e professora-assistente de medicina do Centro Médico da Universidade de Vanderbilt.

Ativistas e pessoas trans, no entanto, estão reagindo, diz a Reuters. Isso porque, se uma "causa" for encontrada, ela teoricamente poderia levar a uma "cura", potencialmente abrindo a porta para as chamadas ‘terapias reparadoras’ -- semelhantes às que tentam transformar homossexuais em heterossexuais. Outros suscitam preocupações sobre os direitos daqueles que podem se identificar como trans, mas que não possuem "provas" biológicas.

Nos Estados Unidos, a busca pelos fundamentos biológicos de transgêneros está assumindo nova relevância à medida que a batalha por direitos se desenrola na arena política.

Na semana passada, o presidente Donald Trump anunciou no Twitter que pretende proibir pessoas transgênero de servir nas forças armadas. Ainda, um dos primeiros atos de sua administração foi revogar a decisão de Obama de permitir que pessoas transgêneros utilizem banheiros de sua preferência em escolas públicas.

Questões de saúde

A pesquisadora do grupo, Lea Davis, enfatizou à Reuters que o estudo não procura produzir um teste genético para identificar uma pessoa transgênero - e nem os cientistas seriam capazes de fazê-lo. Em vez disso, disse, pesquisadores esperam que os dados levem a um melhor entendimento sobre o bem-estar de pessoas transgêneros, que experimentam grandes disparidades de saúde em comparação com a população em geral.

Um terço das pessoas transgênero relataram uma experiência de saúde negativa no ano anterior, como assédio verbal, recusa de tratamento ou a necessidade de ensinar seus médicos sobre cuidados, de acordo com uma pesquisa com cerca 28 mil pessoas divulgadas no ano passado pelo Centro Nacional para Transgender Equality, nos Estados Unidos. Ainda, cerca de 40% tentaram suicídio, quase 9 vezes a taxa para a população em geral.

"Nós podemos usar essa informação para ajudar a capacitar médicos e enfermeiros e também desenvolver esclarecimentos para apoiar a legislação de direitos iguais", Lea Davis disse à Reuters.




Gata recém castrada está desaparecida na Vila Claudia, em Assis

Baby, como é chamada, está desaparecida desde domingo, 29

A gata Baby foi castrada recentemente e deveria tirar os pontos da cirurgia ainda essa semana, mas ela desapareceu neste domingo, 29, em Assis.

De acordo com sua tutora, ela estava escondida no motor do carro. Ao perceber a ausência da gata, a dona ligou para o filho, que havia saído com o carro. Ele abriu o capô e ela, muito assustada, fugiu, nas proximidades da Rua João Jardim Alves Pereira.

A família já procurou Baby por diversos lugares, mas ainda ninguém a encontrou. A gata é rajada, tem a pelagem escura e está com pontos na barriga. Caso alguém tenha informações, os telefone de contato são (18) 99792-0615 ou (18) 99723-9750.


Baby

Ela ainda está com os pontos após a cirurgia de castração


Cachorra recém-castrada está desaparecida em Assis

Kika foi vista pela última vez nas proximidades da Avenida Rui Barbosa

Uma cachorra que atende pelo nome de Kika está desaparecida, em Assis. De acordo com sua tutora, ela tem oito meses e foi castrada recentemente e está com os pontos da cirurgia na barriga.

Kika é bastante dócil, tem porte médio e foi vista pela última vez na Avenida Rui Barbosa, nas imediações da altura do número 1.700.

Caso alguém tenha informações sobre Kika, o telefone de contato é (18) 99608-2166.


Kika


U2 anuncia quarta data de show em São Paulo

Nova apresentação da The Joshua Tree Tour 2017 no Estádio do Morumbi será no dia 25 de outubro.

U2 anunciou uma quarta data de show da "The Joshua Tree Tour 2017" no Brasil. Após as três primeiras apresentações terem seus ingressos esgotados, a banda abriu a agenda novamente e fará mais uma apresentação no país. Esta, no dia 25 de outubro. Assim como as anteriores, será no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Com isso, o grupo passará ao menos uma semana por aqui, já que seus shows estão marcados de 19 a 25 de outubro.

A banda Noel Gallagher’s High Flying Birds também está confirmada como convidada especial, assim como as outras três apresentações.

A venda de ingressos será aberta na quinta-feira (27), a partir de 00h01 na internet. A partir das 10h do mesmo dia, uma quantidade limitada de ingressos estará disponível na bilheteria do Citibank Hall (Av das Nações Unidas 17.955 – Santo Amaro) e pontos autorizados. Haverá um limite de compra de seis ingressos por pessoa e senhas serão distribuídas na fila de acordo com a chegada dos fãs.

Banda agendou três shows extras em SP

Inicialmente, o U2 anunciou apenas um show em São Paulo, para o dia 19 de outubro. Menos de duas horas após a abertura das vendas, a Tickets For Fun já informava que havia mais ingressos. Pouco depois, fãs faziam filas nas portas de lojas físicas para tentar garantir as últimas entradas.

Depois disso, foi agendada uma segunda apresentação, para 21 de outubro. As vendas começaram em 22 de junho. Em seguida, a banda marcou uma terceira data, 22 de outubro, também com ingressos esgotados.

Com o anúncio da quarta data, a produção garante que o show do dia 25 seá o último no país e, também, a data final da "The Joshua Tree Tour 2017".




Cachorra da raça Lhasa Apso está desaparecida em Cândido Mota

A cachorra atende pelo nome de Mel

Uma cachorra da raça Lhasa Apso desapareceu nesta quarta-feira, 19, entre a Vila São Judas e o bairro Três Cantos, em Cândido Mota.

Ela atende pelo nome de Mel, tem a pelagem preta e é de pequeno porte. Caso alguém tenha visto ou tenha informações sobre ela, o telefone de contato é (18) 99629-9677.


Mel


SOS Pets realiza feira de adoção neste sábado, 22

A feira será realizada das 10h às 15h no estacionamento do Walmart

Das 10h às 15h, deste sábado, dia 22, a Organização Não Governamental (ONG) SOS Pets, de Assis, realiza no estacionamento do Hipermercado Walmart uma feira de adoção.

Cães e gatos estão em busca de um novo lar, dentre eles filhotes, adultos e idosos, que precisam de amor e carinho. A maioria deles são vítimas de maus tratos.

A entidade ajuda animais abandonados voluntariamente e busca promover a adoção responsável.

Se você tem interesse em adotar um bichinho, o endereço do Walmart é Avenida Otto Ribeiro, 18.000, no Bairro San Fernando Valley, em Assis.

Para mais informações, acesse a página da SOS Pets no Facebook.



Animais serão doados na Feira



SOS Pets realiza Feira de adoção


Cachorra de rua com câncer precisa de ajuda para tratamento

A cachorra precisa fazer cinco sessões de quimioterapia

O Grupo de Apoio aos Animais de Rua de Assis Coisa de Bicho Assis/SP pede ajuda para custear sessões de quimioterapia da cachorrinha Astrid, que vive há anos nas ruas.
Os voluntários do Coisa de Bicho não têm condições financeiras para custear o tratamento, por isso clamam por ajuda.

Segue a solicitação de socorro para a cachorra Astrid:

"Hoje estamos aqui, sem floreios ou rodeios, expondo a vocês nossa realidade. Nossa situação financeira é gravíssima e nosso trabalho,infelizmente, está muito, mas muito próximo de morrer. Esse triste final sempre nos rondou, mas neste momento está patente.

Temos muitos entusiastas, pessoas que nos acompanham por aqui, mas pouquíssimos sabem a que custo ainda estamos trabalhando. Lutamos pelo 'pão de cada dia', fazemos o que podemos, mas são muitas boquinhas para alimentar e situações como a da Astrid com câncer. Neste momento somos absoluta incerteza, ainda que tragamos no peito um resquício da fé que sempre nos amparou.

Pedimos a Deus por eles, peludinhos, que dependem do nosso sustento e cuidado. Eles acreditam em nós, e de nós suas vidas dependem. Pedimos a Deus que nos faça enxergar a direção certa. Quem nos estenderá a mão nesta hora incerta? Quem chorará conosco a nossa dor de ver o trabalho de mais de dezenove anos ajudando almas, morrer? Como ficarão esses animais, outrora invisíveis aos olhos da maioria?

A Astrid precisa de no mínimo cinco sessões de quimioterapia. Imaginem a dor que ela está sentindo, vivendo há anos nas ruas?

Infelizmente, não temos nem como arcar com mais esse gasto. Será que ainda seremos capazes de confortar esse coraçãozinho e curar essa dor física? Será que o destino da nossa peludinha não será escrito pelo amor que nos deram? Que nossos destinos sejam escritos por todo o bem que nos foi permitido fazer. Por tudo isso suplicamos que ajudem, com qualquer valor".

Se alguém puder ajudar a Associação, mais informações podem ser obtidas pelo número de telefone/Whatspp 99608-3418/99726-218 ou pela Fanpage.


Astrid



Cachorra precisa fazer cinco sessões de quimioterapia


Cachorra da raça Boxer está desaparecida em Assis

Luna, como é chamada, desapareceu neste domingo, 24

Uma cachorra da raça Boxer está desaparecida em Assis deste domingo, 24. Luna, como é chamada, foi vista pela última vez nas proximidades do Mc Donalds, mas seus tutores não tiveram mais informações sobre ela.

Luna já tem idade avançada e estava em tratamento contra uma infecção. Ela tem medo de fogos de artifício e não está acostumada a sair na rua.

Os tutores têm três filhos que estão muito tristes pelo sumiço da cachorra e, caso alguém tenha informações, pode acessar o site ou entrar em contato pelos telefones (18) 99639-3976 ou (18) 99689-4449.





Tutora oferece recompensa para encontrar sua gata, em Assis

Lua, como é chamada, fugiu no dia 15 de junho

Os tutores da gata Lua estão muito preocupados desde que ela sumiu, no dia 15 de junho, no Jardim Monte Carlo, em Assis.

Segundo sua tutora, Vanessa Gava Moretti, a gata foi levada juntamente com um caminhão de mudança para Cândido Mota. Lua estava em uma casa na Rua Manoel Casado, no Bairro Santa Terezinha, mas já fugiu do local.

Seus tutores oferecem uma recompensa caso alguém ajude a encontrar a gata. Para informações, o telefone de contato é (18) 99777-7828.


Lua


Gata está desaparecida na Vila Nova Santana, em Assis

Mia, como é chamada, desapareceu neste sábado, 24

Uma gata que atende pelo nome de Mia está desaparecida na Vila Nova Santana, em Assis. De acordo com sua tutora, ela sumiu neste sábado, 24, nas imediações do Cemitério Municipal.

Mia tem aproximadamente sete meses, tem porte médio e é siamesa. Quem tiver informações sobre ela, pode entrar em contato pelos telefones (18) 98117-6882 ou (18) 98122-1945.


Mia

Mia

Mia


Trabalhadores têm até sexta-feira para sacar abono do PIS/Pasep

Caso o valor não seja sacado por quem de direito até o prazo final, será destinado ao Fundo de Amparo ao Trabalhador

Mais de R$ 1,083 bilhão estão disponíveis até a próxima sexta-feira (30), na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil, para trabalhadores e servidores públicos que tenham cumprido pelo menos 30 dias de trabalho em 2015. Cada um pode ter até R$ 937 a receber, o valor de um salário mínimo. No entanto, 1,83 milhão de pessoas ainda não foram reclamar os recursos.

Trata-se do abono dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) relativo ao ano-base 2015. Caso o valor não seja sacado por quem de direito até o prazo final, será destinado ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Gata está desaparecida desde maio e tutora oferece recompensa para quem encontrar

A gata atende pelo nome de Lindinha

Lindinha, uma gata de 2 anos de idade, está desaparecida desde o início do mês de maio, em Assis. A sua tutora Jéssica Rabelo Hoffmann oferece recompensa para quem encontrá-la.

"A Lindinha é dócil, não tem raça definida, é grande, peluda e é castrada. Quero muito encontrá-la e já até espalhei cartazes pela cidade", disse Jéssica.

A gata sumiu nas imediações da Avenida Mário de Vito, no Parque Universitário.

Se alguém souber o paradeiro do animal, pode procurar Jessica pelo telefone (18) 99646-3574.


Gata está desaparecida desde maio

Gata Lindinha

Tutora distribui cartazes pela cidade


Seis filhotinhas estão disponíveis para adoção, em Assis

Elas têm aproximadamente 50 dias e precisam de um lar

Uma cadela de rua deu à luz a seis filhotes fêmeas que precisam de um lar. As filhotinhas estão sendo assistidas provisoriamente por Letícia de Freitas, mas ela não tem condições de ficar com elas.

Os filhotes têm 50 dias e estão em um abrigo temporário no Jardim Eldorado. Quem quiser adotá-las de maneira responsável, para que elas não voltem para as ruas, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99731-4601.

Veja algumas das filhotinhas:







Cachorra Poddle de 1 ano está desaparecida

Tutora diz que filha não para de chorar

Frolzen, uma cachorra Poddle, de apenas 1 ano de idade, está desaparecida desde a madrugada desta quinta-feira, 22. A sua tutora está desesperada à procura.

"O meu marido saiu para trabalhar de madrugada e a cachorra desapareceu. Procuramos em vários lugares, mas não a encontramos; tenho uma filha de 5 anos, que não para de chorar por causa do sumiço da Frolzen", diz a dona da cachorra Ana Carolina Pereira Bárbara.

O endereço de Ana Carolina é a Rua Maria Celma Medina, n°180, Assis III. Quem achar a cachorra, pode procurá-la em seu endereço residencial ou telefonar para os seguintes números: (18) 3322-2046 e 99670-1690.


Cachorra sumiu na madrugada desta quinta-feira


Cachorra da raça Shi Tzu está desaparecida em Assis

Ela sumiu nas proximidades da Rua Capitão Assis

Uma cadelinha da raça Shi Tzu desapareceu nas imediações da Rua Capitão Assis, no Centro da cidade.

Ela atende pelo nome de Mel, tem a pelagem clara e é de porte pequeno. A família está preocupada e, segundo a tutora Gisele Carolina Miotto Spada Santos, seus filhos estão muito tristes com a ausência de Mel.

Caso alguém tenha informações, os telefones de contato são (18) 99759-2289 ou (18) 3322-8849.


Mel


Cachorra está desaparecida nas proximidades da Vila Xavier, em Assis

Ela desapareceu na noite deste domingo, 18

Uma cachorra que atende pelo nome de Neguinha desapareceu neste domingo, 18, por volta das 21h, na Vila Palhares, em Assis.

De acordo com sua tutora, Maíra Alves de Souza, ela tem aproximadamente dois anos, é de porte médio, pelagem escura e foi vista pela última vez no estacionamento de uma igreja na Vila Xavier, entre as ruas Senhorinha de Souza e Alberto de Campos.

Caso alguém tenha informações sobre Neguinha, os telefones de contato são (18) 99607-4524 e (18) 3324-2695.


Neguinha

Neguinha


Gata persa está desaparecida no Jardim Santa Amélia, em Assis

Belinha, como é chamada, sumiu no dia 10 de junho

A assisense Adriana da Silva está em busca de sua gata persa que desapareceu, em Assis. Belinha, como é chamada, sumiu no dia 10 de junho, próximo à Rua das Margaridas, no Jardim Santa Amélia.

A gata é persa, tem a pelagem rajada e desapareceu no período da tarde.

"Já procurei pelo bairro todo e não encontrei. Não sei mais o que fazer. Tenho medo de alguém ter roubado de mim, mas se alguém tiver informações sobre a Belinha pode entrar em contato pelo telefone (18) 99677-8425", conclui.


Belinha


Assisense procura cachorro perdido na Vila Mercedes

Hot, como é chamado, desapareceu na tarde desta quinta-feira, 15

Os tutores do cachorro Hot estão à sua procura, em Assis. O animal desapareceu na tarde desta quinta-feira, 15, na Rua Humberto de Campos, nas proximidades do Supermercado São Judas Tadeu.

Ele é de porte grande, pelagem preta e tem o céu da boca manchadinho de preto.

Quem tiver informações sobre Hot, os telefones de contato são (18) 99719-9736 (Allana) e (18) 99654-2619 (Claudia).


Hot

Hot


Filhotes de cachorro estão disponíveis para adoção, em Assis

São quatro fêmeas com apenas um mês de vida

Quatro filhotes de cachorro estão à procura de um novo lar, em Assis. São quatro fêmeas, sem raça definida, e que estão com um mês de vida.

Quem puder adotá-los deve lembrar que a adoção responsável é importante para que eles não sejam abandonados.

Os interessados em adotar os filhotinhos podem entrar em contato pelo telefone (18) 99746-8434.


Filhotes disponíveis para adoção

Filhotes disponíveis para adoção

Filhotes disponíveis para adoção


Saiba como deixar a casa mais aconchegante no inverno

Como é possível tornar os ambientes confortáveis nos dias mais frios

Com as baixas temperaturas, aumenta a vontade de passar mais tempo em casa. Mas para garantir o conforto é importante realizar pequenas mudanças para amenizar os efeitos do inverno.

Segundo Alessandro Gomes, coordenador da área de arquitetura e urbanismo do Senac Marília, com alguns truques podemos garantir um ambiente acolhedor sem gastar muito. "Investir nos acessórios, como tapetes felpudos que protegem os pés, é uma boa opção. Mantas e almofadas em tecidos mais grossos e macios, como a lã e o veludo, são as estrelas da estação. Não podemos esquecer das cortinas que ajudam a aquecer o ambiente", afirma.

"Nos quartos, além de tapete, manta e almofadas, vale a pena investir em uma cabeceira estofada. No inverno, as cores e a luz ajudam a compor um espaço mais acolhedor. Aposte nos tons terrosos para a decoração e nos amarelados para a iluminação", recomenda.



Como adestrar um cachorro: mitos e verdades

Com o adestramento de cães, você ensina não apenas o que o animal pode fazer, mas principalmente, o que ele não deve

Criar uma comunicação eficiente para ter um cachorro calmo e educado é possível, desde que você não caia nos mitos do adestramento de cães

Os cachorros são capazes de executar diversas funções, como é o caso dos cães policiais, dos guias de cegos e dos cães pastores. Esses exemplos só provam que o melhor amigo do homem pode ser adestrado, fazendo com que a sua vida e a de seu tutor melhorem, afirmam os veterinários especializados em comportamento canino do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Com o adestramento de cães, você ensina não apenas o que o animal pode fazer, mas principalmente, o que ele não deve. Seu pet passará socializar, a se exercitar e a se comportar de forma muito mais tranquila, enquanto que você evitará os principais problemas que ele pode causar, como destruir objetos, fazer xixi no lugar errado e latir em excesso.

Para ser bem-sucedido nesse treinamento, é importante seguir apenas as técnicas de adestramento eficazes, estabelecendo uma comunicação adequada para que o animal possa compreender e respeitar as ordens do seu tutor.

Descubra quais são as que realmente funcionam para evitar o mau comportamento e incentivar as atitudes positivas dos pets:

Preciso de um adestrador profissional


Mito. Não é preciso contratar um adestrador profissional para ensinar os "truques" mais simples para os cães, como sentar e ficar, embora o investimento em algumas aulas para que você possa dar continuidade seja uma boa opção.

Agora, para resolver problemas temperamentais, como medo e agressividade caninos, é recomendado contratar um especialista para que ele receba um tratamento adequado.

É possível adestrar filhotes

Verdade. É possível e recomendado começar o treinamento dos animais de estimação quando eles ainda são pequenos, mas lembre-se que eles possuem uma capacidade limitada de aprendizado e concentração nessa fase.

Desde o início, ensine-o o próprio nome, chamando-o e associando a resposta a um carinho ou um brinquedo. Já nos primeiros meses, o que você pode fazer é não dar atenção para os hábitos indesejados, como latir ou chorar, e ajudá-lo a se ambientar ao local onde deve fazer as necessidades, levando-o até lá a cada duas horas e após as refeições.

Bater no cachorro é uma forma de adestrá-lo


Mito. Pelo contrário, bater e ameaçar são as piores atitudes que você pode ter em relação ao animal, mesmo quando ele aprontou uma daquelas! Bater em seu cachorro, principalmente quando você está com raiva, pode machucá-lo e torná-lo agressivo com outras pessoas.

Agredir o seu cachorro pode torná-lo hostil

A punição ideal para os cães deve ser feita apenas quando você flagrá-lo fazendo algo indesejado, bastando causar um pequeno susto desconforto, como levantá-lo pela pele atrás do pescoço (o cangote), bater palmas ou mesmo com um borrifador de água (uma boa opção caso você tenha mais de um pet em casa), dependendo do perfil do seu cão.


Deixar o cachorro de castigo do lado de fora é prejudicial

Verdade. Você provavelmente já tem pouco tempo para ficar com o seu animal de estimação devido a uma rotina atribulada. Se você o isolar quando flagrar algo errado (ou logo após o ato), você estará ensinando que ficar sozinho não é algo legal, provocando ansiedade de separação. Nesses casos, é comum que o cachorro comece a latir, a chorar e a destruir objetos como uma forma de recuperar a atenção do dono o mais rápido possível.

É normal o cachorro puxar a coleira durante o passeio


Verdade, mas esse comportamento não é desejável. Cães que puxam a guia com muita força podem tornar esse momento um pesadelo, fazendo com que você em pouco tempo desista de sair para passear diariamente com ele. O ideal é evitar esse comportamento usando guias curtas ideais para treinamento, que limitam o movimento do pet.

Usar um petisco para que ele vá seguindo também serve como estímulo para um bom comportamento ao passear. Se ele começar a puxar, imediatamente vire para o outro lado e, quando ele estiver ao seu lado novamente, use o comando "junto" e faça um carinho ou dê o petisco.

É possível acabar com os latidos dos cães

Mito. O que você conseguirá fazer com o adestramento é minimizar os latidos, pois esse é um ato natural e sua frequência depende da raça do animal, sendo que os de pequeno porte costumam ser mais barulhentos.

A melhor forma de evitar os latidos é não fazer com que eles convençam o dono a fazer algo, como pegar o brinquedo embaixo do sofá ou colocar ração, pois isso dá a entender que o seu pet precisa "avisar" algo para que você possa atendê-lo. Use uma técnica de punição para reprimir os latidos e continue a agir naturalmente. Apenas quando o barulho cessar, confira o que o seu pet precisa que você faça.

Fazer o cachorro dar a patinha é uma das tarefas mais difícies do adestramento de cães

Mito. Tanto para fazer esse truque charmoso quanto para ensinar o seu amigo a sentar ou deitar, use a mesma técnica: pegue um petisco e posicione na direção dos olhos do animal para que ele se sente, no chão para que ele se deite e próximo à patinha para que ele dê um toque na sua mão.

Ao posicionar o petisco, dê os comandos para que o cão vá associando e, quando ele finalmente executar o movimento desejado, entregue a recompensa. Repita esse tipo de exercício diariamente para que o seu pet vá se acostumando e, em pouco tempo, ele já obedecerá sem a necessidade de um petisco (mas esperando ao menos um carinho).



Tutores buscam cachorras desaparecidas na Vila Xavier, em Assis

Elas desapareceram próximo à Rua Olavo Bilac

Duas cachorras vira-latas estão desaparecidas na Vila Xavier, em Assis. Os tutores estão buscando informações sobre as duas, que atendem pelo nome de Pitica e Fulô. Elas fugiram na madrugada deste domingo, 11, próximo à Rua Olavo Bilac.

Pitica tem a pelagem preta e marrom, sem rabo e tem cerca de 10 anos. Já Fulô é filhote e tem cerca de 4 anos.

Quem tiver informações, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99751-1116 ou (18) 99751-1119 (Martinho e Midori).


Fulô


Cachorra da raça York Shire está desaparecida, em Assis

Ela sumiu nas proximidades da Vila Nova Florínea

Layza, uma cachorrinha da raça York Shire, está desaparecida desde domingo na região da Vila Nova Florínea, em Assis.

De acordo com seus tutores, ela desapareceu próximo à Escola José Augusto Ribeiro. Ela estava com um laço rosa, é cor caramelo e está tomando remédios por conta de problemas de pele.

Quem tiver informações sobre a cachorrinha, pode ligar para os telefones (18) 99689-1848, (18) 99685-7559 ou (18) 99698-8768.


Layza

Layza


Mitos e verdades de como adestrar um cachorro

Criar uma comunicação eficiente para ter um cachorro calmo e educado é possível, desde que você não caia nos mitos do adestramento de cães

Os cachorros são capazes de executar diversas funções, como é o caso dos cães policiais, dos guias de cegos e dos cães pastores. Esses exemplos só provam que o melhor amigo do homem pode ser adestrado, fazendo com que a sua vida e a de seu tutor melhorem, afirmam os veterinários especializados em comportamento canino do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Com o adestramento de cães, você ensina não apenas o que o animal pode fazer, mas principalmente, o que ele não deve. Se pet passará socializar, a se exercitar e a se comportar de forma muito mais tranquila, enquanto que você evitará os principais problemas que ele pode causar, como destruir objetos, fazer xixi no lugar errado e latir em excesso.

Para ser bem-sucedido nesse treinamento, é importante seguir apenas as técnicas de adestramento eficazes, estabelecendo uma comunicação adequada para que o animal possa compreender e respeitar as ordens do seu tutor.

Descubra quais são as que realmente funcionam para evitar o mau comportamento e incentivar as atitudes positivas dos pets:

Preciso de um adestrador profissional

Mito. Não é preciso contratar um adestrador profissional para ensinar os "truques" mais simples para os cães, como sentar e ficar, embora o investimento em algumas aulas para que você possa dar continuidade seja uma boa opção.

Agora, para resolver problemas temperamentais, como medo e agressividade caninos, é recomendado contratar um especialista para que ele receba um tratamento adequado.

É possível adestrar filhotes

Verdade. É possível e recomendado começar o treinamento dos animais de estimação quando eles ainda são pequenos, mas lembre-se que eles possuem uma capacidade limitada de aprendizado e concentração nessa fase.

Desde o início, ensine-o o próprio nome, chamando-o e associando a resposta a um carinho ou um brinquedo. Já nos primeiros meses, o que você pode fazer é não dar atenção para os hábitos indesejados, como latir ou chorar, e ajudá-lo a se ambientar ao local onde deve fazer as necessidades, levando-o até lá a cada duas horas e após as refeições.

Bater no cachorro é uma forma de adestrá-lo

Mito. Pelo contrário, bater e ameaçar são as piores atitudes que você pode ter em relação ao animal, mesmo quando ele aprontou uma daquelas! Bater em seu cachorro, principalmente quando você está com raiva, pode machucá-lo e torná-lo agressivo com outras pessoas.

Agredir o seu cachorro pode torná-lo hostil

A punição ideal para os cães deve ser feita apenas quando você flagrá-lo fazendo algo indesejado, bastando causar um pequeno susto desconforto, como levantá-lo pela pele atrás do pescoço (o cangote), bater palmas ou mesmo com um borrifador de água (uma boa opção caso você tenha mais de um pet em casa), dependendo do perfil do seu cão.

Deixar o cachorro de castigo do lado de fora é prejudicial

Verdade. Você provavelmente já tem pouco tempo para ficar com o seu animal de estimação devido a uma rotina atribulada. Se você o isolar quando flagrar algo errado (ou logo após o ato), você estará ensinando que ficar sozinho não é algo legal, provocando ansiedade de separação. Nesses casos, é comum que o cachorro comece a latir, a chorar e a destruir objetos como uma forma de recuperar a atenção do dono o mais rápido possível.

É normal o cachorro puxar a coleira durante o passeio

Verdade, mas esse comportamento não é desejável. Cães que puxam a guia com muita força podem tornar esse momento um pesadelo, fazendo com que você em pouco tempo desista de sair para passear diariamente com ele. O ideal é evitar esse comportamento usando guias curtas ideais para treinamento, que limitam o movimento do pet.

Usar um petisco para que ele vá seguindo também serve como estímulo para um bom comportamento ao passear. Se ele começar a puxar, imediatamente vire para o outro lado e, quando ele estiver ao seu lado novamente, use o comando "junto" e faça um carinho ou dê o petisco.

É possível acabar com os latidos dos cães

Mito. O que você conseguirá fazer com o adestramento é minimizar os latidos, pois esse é um ato natural e sua frequência depende da raça do animal, sendo que os de pequeno porte costumam ser mais barulhentos.

A melhor forma de evitar os latidos é não fazer com que eles convençam o dono a fazer algo, como pegar o brinquedo embaixo do sofá ou colocar ração, pois isso dá a entender que o seu pet precisa "avisar" algo para que você possa atendê-lo. Use uma técnica de punição para reprimir os latidos e continue a agir naturalmente. Apenas quando o barulho cessar, confira o que o seu pet precisa que você faça.

Fazer o cachorro dar a patinha é uma das tarefas mais difícies do adestramento de cães

Mito. Tanto para fazer esse truque charmoso quanto para ensinar o seu amigo a sentar ou deitar, use a mesma técnica: pegue um petisco e posicione na direção dos olhos do animal para que ele se sente, no chão para que ele se deite e próximo à patinha para que ele dê um toque na sua mão.

Ao posicionar o petisco, dê os comandos para que o cão vá associando e, quando ele finalmente executar o movimento desejado, entregue a recompensa. Repita esse tipo de exercício diariamente para que o seu pet vá se acostumando e, em pouco tempo, ele já obedecerá sem a necessidade de um petisco (mas esperando ao menos um carinho).



Morte de cãozinho serve de alerta para os riscos de determinados alimentos

Donos decidiram divulgar história para servir de alerta.

Saffy, tinha dois anos, era uma cachorrinha muito simpática e saudável que adorava caminhar com sua tutora, Joanne, em Chester, Inglaterra.

Numa destas caminhadas, sem Joanne perceber, Saffy comeu uma espiga de milho. Uma semana depois a cadelinha começou a vomitar sem parar.

Em um primeiro momento, Joanne e o marido acreditaram que fosse um caso de envenenamento. Mas os veterinários, ao apalparem o estômago de Saffy sentiram algo duro. A cirurgia foi imediata.

A explicação foi que a espiga percorreu o intestino de Saffy como um ralador de queijo, perfurando-o. Saffy não resistiu ao sangramento e morreu no mesmo dia.

Mesmo assim, os tutores pediram um laudo toxicológico que confirmou a verdadeira causa da morte. Joanne e o marido continuam de coração partido. Nenhum deles desconfiou do que havia acontecido e como a situação era grave. O laudo toxicológico revelou que o núcleo do milho era tão duro que rompeu os intestinos, acarretando a morte de Saffy por septicemia grave.

Joanne decidiu tornar pública a história para evitar que a mesma situação se repita com outros cães. Talvez por Saffy ser um cão pequeno, o caso tenha sido fatal, acredita Joanne. Possivelmente cães maiores, do porte de labradores, teriam tido melhor sorte.



Studio Klav

Confira primeira aula de contrabaixo apresentada pelo Studio Klav

Acompanhe as aulas e entenda sobre o contra baixo

Agora vocês começam a acompanhar as aulas sobre contrabaixo. A aula é apresentada pelo professor Rafael Oliveira. Conheça mais sobre esse instrumento.

Fique ligado no blog e curta a Fanpage Klav TV para acompanhar as próximas aulas.

As aulas serão divulgadas quinzenalmente, às sextas-feiras, às 18h.

Confira o vídeo da primeira aula de contrabaixo:



Studio Klav
Rua: Adalberto De Assis Nazareth, 215 - Centro - Assis/SP

Papel de parede no banheiro é possível e o resultado é lindo

O banheiro sempre foi um ambiente deixado mais de lado quando o assunto é decoração, mas os tempos estão mudando. Cada vez mais as pessoas ao reformarem ou adquirirem um imóvel, estão preocupadas com cada cantinho da casa. Finalmente, o banheiro ganha destaques das maneiras mais criativas.

O papel de parede era algo impensável de se ter no banheiro há um tempo atrás, mas com novas tecnologias desenvolvidas, esta não é mais a realidade. Além de dar um grande destaque para os banheiros e lavabos, os papeis de parede são uma alternativa linda e prática para quem não quer uma reforma cheia de quebra quebra.

Além de tudo, pode ser uma opção mais barata em relação à ladrilhos e porcelanatos. De qualquer forma, quando o assunto é revestimento, com certeza vale a pena investir um pouco mais, porque o resultado, geralmente vale a pena.


É sempre importante lembrar, que a alternativa do papel de parede para este ambiente é muito original e o resultado é incrível, mas não pode ser aplicada sem alguns preparativos. Primeiro, é essencial saber qual o tipo de papel pode ser colocado no banheiro, e se este tem uma janela maior/menor, se é mais úmido, se vai ser colocado em todas as paredes, é preciso procurar uma profissional que esteja acostumado com este tipo de trabalho. Tudo isso é importante para que tudo tenha o resultado desejado, por isso a pesquisa e consulta de profissionais são necessárias.

Depois da pesquisa feita e decisão tomada é só aplicar e ver o resultado, os papeis de parede são bem versáteis, com temáticas e cores para todos os gostos. Desde o clean e minimalista ao romântico florido, ou até, o moderninho.

Confira abaixo fotos de banheiros e lavabos para se inspirar:







Cachorra ganha crachá de mascote em posto de gasolina, em Assis

Nina é conhecida como a "VIP da pista" do posto

Os clientes de um posto de gasolina em Assis já se acostumaram com a presença VIP da cachorra Nina. Ela é a mascote da equipe e está lá diariamente, fazendo companhia para os funcionários e clientes do Posto GD.

Beatriz Salatini é uma das proprietárias do posto e conta que Nina não foi adotada, mas decidiu adotar a equipe.

"Eu costumo dizer que foi a Nina que adotou a gente. Ela apareceu em meados de julho do ano passado e desde então nunca mais foi embora. Na época, a pista estava em reforma, mas ela não se importou e foi ficando. Assim que eu percebi que ela ficaria com a gente de fato, levei ela no veterinário, providenciamos todas as vacinas básicas, além de sempre levá-la para tomar banho", conta.

Nina é muito dócil e recebe atenção de todos os funcionários e clientes, mas Beatriz conta que ela tem seus preferidos.

"A Nina é apaixonada por um dos nossos clientes. Ele chega com o carro e ela só falta pular dentro. Ele mora a dois quarteirões e já chegou a levá-la, mas não adianta, porque ela gosta daqui e sempre volta. O Paulinho, nosso funcionário, também é um dos preferidos dela", conta.
A cachorrinha nunca causou nenhum problema e se comporta bastante. Ela só não gosta de muito barulho, segundo Beatriz.

"O lugar preferido dela é embaixo do banco onde os funcionários ficam. Ela não entra na conveniência, só se eu chamar e me abaixar para fazer carinho nela. Além disso, ela não gosta muito de barulho, especialmente de escapamento. Quando acontece, ela dá uma latidinha, mas ela é muito dócil e tranquila. Ficamos com medo a princípio, pois temos um público bem diversificado, com crianças e idosos, mas ela nunca deu trabalho. Ela foi se adaptando e a gente se adaptando a ela", diz humorada.

Nina ganhou até um crachá de "mascote do Posto GD", que exibe para todos.

"Ela é nossa VIP de pista, além de mascote e funcionária. Cada um ajuda um pouquinho, traz ração, leva para tomar banho, repõe a água e a comida. É ótimo ter a Nina no nosso quadro de funcionários", conclui.


Nina exibe seu crachá de mascote

Nina com Beatriz e Diogo Salatini

Nina com Paulinho, seu funcionário preferido

Nina com Durval Salatini, o fundador do Posto GD


Moradora da Vila Prudenciana busca cachorrinha que pode ter sido roubada, em Assis

Ela desapareceu na manhã desta terça-feira, 23

A cachorrinha que atende pelo nome de Samy desapareceu na manhã desta terça-feira, 23, por volta das 11h, na Avenida Vereador David Passarinho, 1043, em Assis.

Sua tutora, Rosinei dos Santos, afirma que ela pode ter sido roubada, já que ela não sai na rua. A cachorrinha é da raça Ilhasa não pura, tem a pelagem clara e está em tratamento.

Quem tiver informações sobre o animal, pode entrar em contato pelo telefone (18) 99705-5888.


Samy


SOS Pets faz rifa para cuidar de tumor de cachorra

As rifas custam R$ 10,00

O grupo de voluntários da SOS Pets de Assis, que cuida de animais de ruas, está fazendo uma rifa no valor de R$10,00 em prol do tratamento da Nina, uma cachorra dócil, que foi abandonada e sofre de um Tumor Venéreo Transmissível (TNV).

O animal vai precisar de cinco sessões de quimioterapia, castração e remédios.

Clique aqui e veja os prêmios
.

Mais informações podem ser obtidas no Facebook da SOS Pets.


Nina


Shih Tzu de Cândido Mota engole meia de dona e veterinários fazem cachorro regurgitar

O cachorro engoliu a meia enquanto brincava

Pingo, um cachorro da raça Shih Tzu, de aproximadamente um 1 ano de idade, de Cândido Mota, engoliu a meia da sua dona e precisou ir ao veterinário dias depois para expelir a peça de roupa.

A médica veterinária, Lia Barreto, fala sobre o fato inusitado. " O Pingo viu a meia no calçado da sua dona e começou a brincar, mas quando foi chamada a sua atenção, engoliu. A sua tutora ligou para o veterinário e achou melhor esperar que regurgitasse a meia, mas não fez isso; então, foi feito o ultrassom e ocorreu a realização da técnica da regurgitação induzida", conta.

A veterinária afirma que não foi necessária a cirurgia, pois a meia não causou obstrução nenhuma, por isso foi feita a técnica da regurgitação induzida.

"O cachorro já está bem, fiz o ultrassom e dois médicos veterinários fizeram a técnica da regurgitação", informa.


Pingo passa bem após engolir meia



Meia engolida pelo cão