22 de Abril de 2018
17º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Sindicato dos Bancários faz análise negativa sobre cenário atual do setor

Bancos fecharam 17.711 postos de trabalho no país, entre janeiro a novembro de 2017 e 1.188 agências

Bancos: lucros e demissões. Esse é o ‘modus operandi’ dos bancos no país, segundo o
presidente do Sindicato dos Bancários de Assis, Helio Paiva Matos. Para ele, todo este cenário
atual do setor em busca de lucratividade e redução de empregados, custa a saúde dos
bancários, levando grande parte deles ao adoecimento, afastamento e até a aposentadoria por
invalidez, devido a grande pressão imposta para o cumprimento de metas abusivas em vendas
de produtos. "O bancário virou vendedor, tem que bater meta de vendas todo dia, um
verdadeiro absurdo!".

Matos afirma que no caso da população, clientes ou não do sistema bancário, são submetidos
a uma verdadeira exploração nas suas relações com os bancos, pagando altíssimas taxas de
juros nos empréstimos, cheque especial, cartões de crédito e tarifas absurdas nos serviços
prestados. "Diante de todos esses fatos, as cinco maiores instituições financeiras do Brasil
obtiveram de janeiro a setembro de 2017 um lucro de R$ 54 bilhões, ou seja, um aumento de
20,4% em relação ao mesmo período de 2016", ressalta.

Não satisfeitos com toda essa lucratividade e com propósito de aumentar ainda mais, os
bancos fecharam 17.711 postos de trabalho no país, entre janeiro a novembro de 2017 e 1.188
agências, dificultando dessa forma ainda mais a vida das pessoas que necessitam dos serviços
bancários, "tanto na precariedade do atendimento como na redução de agências que, em
cidades maiores, as pessoas ficam desprovidas de atendimento no seu bairro ou região, e em
cidades menores até mesmo sem agências bancárias", finaliza.


Presidente do Sindicato dos Bancários de Assis, Helio Paiva Matos


Ello Assessoria de Imprensa
+ VEJA TAMBÉM