17 de Setembro de 2019
17º/30º
ENTRETENIMENTO » HOLOFOTES

Central Máquinas Agrícolas promove happy hour em homenagem às mulheres

Evento foi realizado nesta quarta-feira, 7

A Central Máquinas Agrícolas realizou na noite desta quarta-feira, 7, um happy hour especial em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, em Assis.

O evento contou com a participação de mais de 80 convidadas, entre empresárias, agricultoras e esposas de agricultores de Assis e região.

Este é o segundo ano consecutivo que a Central Máquinas Agrícolas promove um evento para prestigiar as mulheres e que, de acordo com o diretor da empresa, Carlos Alberto Rosa, é motivo de muita satisfação.

"Para nós é um motivo de muita satisfação e alegria podermos fazer essa homenagem às mulheres. No ano passado tivemos uma receptividade muito boa e não poderíamos deixar de repetir. Afinal, as mulheres estão cada vez mais presentes no agronegócio, assim como em outras áreas também. Cada ano que passa, elas se tornam ainda mais importantes na tomada de decisões e, muitas delas, realmente à frente dos negócios. As mulheres são de extrema importância para a vida em família e também para os negócios como um todo. Na nossa empresa temos muitas colaboradoras e funcionárias mulheres, que exercem funções importantes, com muita confiança e responsabilidade. Também temos a presença
fundamental das esposas dos funcionários e agricultores, que estão há 27 anos sempre presentes, aguentando o dia a dia desse trabalho que é bastante intenso. É um dia de comemorar as guerreiras que tanto fazem por nós, pelos filhos e pelos negócios”, afirma.

Marcos Antonio Lopes Garcia é supervisor de vendas da empresa e diz que tem visto cada vez mais a participação feminina no comando de usinas, fazendas e na agricultura em geral.

"A mulher evoluiu muito no mercado de trabalho, especialmente no mercado agropecuário, que ainda é bastante conservador. Os números e as situações mostram que as mulheres estão presentes no comando de empresas agrícolas, como usinas, sítios, grandes fazendas, ou mesmo nas pequenas propriedades. A agronomia, que é um setor bastante conservador, também tem tido uma grande procura feminina e, pela primeira vez, o curso admitiu mais pessoas do sexo feminino. O setor de representantes de vendas também tem tido uma participação de quase 50% de mulheres também, mesmo sendo uma área ultraconservadora. As mulheres são heroínas porque, além de todas as atividades que elas fazem com tanta maestria, elas também trabalham em outras atividades e sempre dessa forma. Que a gente possa continuar vendo cada dia mais elas participando dessas decisões, principalmente porque quando elas estão presentes e engajadas, o caminho é muito melhor. Parabéns a todas!”, salienta.

Fabíola Martins é coordenadora de consórcio da Central Máquinas Agrícolas e foi quem organizou o evento.

"No ano passado fizemos um café da manhã que foi um sucesso e nesse ano optamos por fazer um happy hour, pensando nas mulheres que têm compromissos diários e poderiam desfrutar de uma comemoração à noite. Acredito que tenha sido um sucesso, pois lotamos a casa mais uma vez, e faço questão de agradecer a presença de cada uma delas que veio prestigiar o evento. Legal ver o cenário mudando. Hoje, as mulheres já não ficam dentro do carro esperando o esposo comercializar dentro da revenda. Nenhum homem toma uma decisão sem ter o dedinho da esposa e elas são fundamentais no dia a dia. A presença delas nos diz que elas nos consideram bem e só temos a agradecer”, acrescenta.

Durante o evento, as convidadas puderam aproveitar um delicioso rodízio de pizzas, com chope, refrigerante e espumante. Além disso, elas tiveram uma palestra com Veridiana, que falou sobre o empoderamento feminino.

"Quando colocamos em pauta o empoderamento feminino, logo associamos a palavra ao poder. Gera curiosidade para aquelas que nunca ouviram falar e interesse daquelas que já sabem do que se trata. O que buscamos é tornar esse poder cada vez mais evidente e extrai-lo de dentro de cada uma delas. Percebo uma gama muito grande de profissionais do sexo masculino que exercem a dominação e o resgate do poder feminino serve para que ela possa saber se portar e reconhecer o seu valor. Ao mesmo tempo, ela exerce esse poder de forma sensível, empática, materna e acolhedora. Queremos que as mulheres possam desempenhar suas habilidades de forma excelente e cada dia mais buscar nosso poder, para nos colocarmos diante da sociedade”, diz.

Fernanda Ribeiro assumiu recentemente os cuidados com a fazenda da mãe e diz que as mulheres causam impacto no setor agropecuário.

"No primeiro momento em que as mulheres chegam no setor agropecuário, os homens sentem o impacto. A maioria dos funcionários do setor são homens e, quando eles veem uma mulher no comando, muitos ainda estranham. Mas aos poucos essa cultura está se modificando e estamos estabelecendo uma relação de respeito. A mulher pode ser feminina e comandar dúzias de homens. Não somos apenas um corpo bonito, mas podemos comandar qualquer coisa, pois se trata apenas de uma questão de postura e não do sexo”, conclui.


Equipe de mulheres da Central Máquinas


Carlos Alberto Rosa, diretor da Central Máquinas ao lado de Marcos Ferreira, supervisor de vendas


Roseli Spornraft Nogueira e Mara Guadaim Rosa




Redação AssisCity/ Fotos: AssisCity
+ VEJA TAMBÉM