13 de Novembro de 2019
17º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Intervenção Militar, jamais!

COLUNISTA - Por Eduardo Oliveira

* Por Eduardo Oliveira

O Brasil passa atualmente por um grande caos social, que são sentidos em diversas áreas, como a econômica, a educacional, na política, na saúde e na segurança pública.

Diante do cenário catastrófico, a cada dia os brasileiros são informados através da mídia sobre os escândalos de corrupção na política. Analisando a falta de moralidade no âmbito da administração pública, a população relaciona o caos vivido principalmente na economia com elevados números de impostos e desempregos, que consequentemente levam à diminuição do poder de compra. Nessa toada, o povo se manifesta, e muitas das manifestações pedem pela interferência militar na administração do País; é comum ver o slogan: "Intervenção Militar Já!”.

O pedido por intervenção militar é comum, devido a descrença em nossos representantes políticos. Mas será que os militares são a melhor saída para a recuperação do País?
Acredito que não! Por mais defeitos que a democracia possa apresentar, um golpe de estado não é bem-vindo, os políticos que estão aí foram eleitos democraticamente. Alguns leitores podem até me questionar e afirmar que os militares assumiriam, colocariam ordem e que não se trataria de um golpe, pois grande parte da população clama pela volta.

Historicamente nunca houve governo militar que prezou pela democracia, nos governos militares foram comuns as torturas, mortes, perseguições, censuras à população e a imprensa, cerceamento do direito de ir e vir. Não preciso ir muito longe, basta regressar entre 33 e 54 anos na História do Brasil, onde são notórias essas questões.

Alguns podem argumentar que as forças armadas atualmente poderiam ter outro tipo de atuação, diferentemente do que aconteceu entre 1964 e 1985, basta observar a intervenção militar na área de segurança pública no estado do Rio de Janeiro, que já completou três meses, de acordo com algumas informações recentes da mídia, a criminalidade não diminuiu, pelo contrário muitas pessoas inocentes morrem diariamente, ou seja, é falácia acreditar que somente os militares possam resolver os problemas de criminalidade.

Quando se refere à economia, alguns podem argumentar sobre o chamado "Milagre Econômico” da década de 1970, que na verdade só atingiu as elites brasileiras e em menos de dez anos acabou e levou o País novamente à recessão econômica.

Não quero que os defensores dos militares me levem a mal; a classe militar é muito importante para a nação, contudo não devemos designá-los à governabilidade de um país.
O Brasil tem jeito, temos que eleger bons representantes, fiscalizá-los, participar das decisões políticas de nossos bairros, cidades, estados e do país, e claro não praticar corrupções diárias. Como diz um provérbio árabe: "Quem rouba uma agulha, rouba um camelo”.

Divulgação
Eduardo Oliveira
professor de História, Filosofia e Ética e Cidadania Organizacional e estudante de Pedagogia
+ VEJA TAMBÉM