19 de Junho de 2019
17º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

O que você terceiriza?

COLUNISTA - Elda Cecília Bolfarini Jabur

O pronome eu, como sabemos, vem sempre em primeiro lugar. Eu sou a mais bonita, a mais preparada, a mais inteligente, a que mais sabe e impõe as ordens, aquela que sacia a sede com os melhores sucos e bebidas, a que faz as melhores viagens, a que se considera a melhor profissional e melhor escritora, a que considera idéias alheias como desvarios, a que coloca preconceitos na cabeça dos filhos, como se isso fosse a verdadeira religião, a que não promove respeito dentro da casa aos funcionários que prestam os serviços (todos terceirizados), etc..

Estou, na verdade, me referindo mais às mulheres, por enquanto. Eu, tu, ele, ela. Ela lava, ela levanta cedo, apesar de ter pouca serotonina no cérebro, depois de uma certa idade, faltar hormônios que lhe permitam uma vida saudável. Ela trabalha fora e tem um horário triplicado de trabalho dentro de casa. Passa o final de semana lavando e cozinhando, enquanto o marido dorme e descansa da rotina da semana. Se tem condições, terceiriza o cuidado com os filhos para que possa ter uma vida social bem agitada.

O terceirizar sempre foi uma prática muito comum na vida dos brasileiros.

O trabalho escravo marcou a vida econômica, política e social brasileira. Um trabalho que foi terrivelmente terceirizado. Disso resultou todo o preconceito que até hoje existe sobre os seus descendentes. Sabemos que a maior parte deles estão confinados nas prisões podres do Brasil. Considero nossa justiça muito falha, ela é feita para brancos e ricos.

Antes, os negros morriam nas senzalas, hoje, morrem nas prisões. E os juízes e ministros passam a maior parte de seu precioso tempo julgando os intermináveis recursos dos políticos poderosos.

Terceirização.

Forma de organização estrutural que permite a uma empresa privada ou governamental transferir a outra suas atividades-meio, proporcionando a prestação de serviços a uma determinada empresa. No entanto, não existe vínculo de carteira assinada.

NÃO-Terceirização.

SIM- Concursos públicos.

Frases de efeito:

A terceirização faz mal à saúde.
Terceirização; escraviza, mutila, mata.

O que é preciso saber sobre terceirização.

Ela foi liberada pelo STF no dia 31/08/18. O STF tornou constitucional s contratação de trabalhadores terceirizados para qualquer tipo de atividade.

Como isso pode afetar a vida dos brasileiros mais pobres?

Essa lei de contratação ruim se tornou legal, irrestrita, permitindo a todas as empresas a contratação de trabalhadores terceirizados para exercer atividades fins.

Críticas.

Essa lei vai aposentar a carteira de trabalho.

Uma empresa repassa para outra a prestação de serviços.

Todas as empresas privadas e administração pública poderão terceirizar trabalhos sem restrições.

Muitos já estão passando fome por causa disso, porque se sujeitam a salários de 500 reais.

A contratação desserviços já passou de 6 meses para 3. O prazo poderá ser prorrogado para 90 dias e somente então poderá ser readmitido.

O Brasil foi colocado num estado de penúria a partir de 2014.

Mais de 20 milhões de pobreza estão abaixo da linha da pobreza.

O Brasil está quebrado de cima até embaixo. A maioria das prefeituras brasileiras estão quebradas. Mas o número e assessores continua alto, assim como salários e casas alugadas para recolocar pessoas.

Enquanto isso , os pobres são terceirizados por 500 reais para serviços sem qualificação, como os dos negros da escravidão. Como pagar aluguel e matar a fome?

Ainda somos obrigados a votar No menos pior, não acreditando em promessas enganosas.

O melhor a fazer, por enquanto , é ouvir a "Bela adormecida” de TCHAIKOVSKY’. Um dia os jovens despertarão do sono profundo da ignorância em que se encontram.

Enfim. Esse é o Brasil do retrocesso.



*** Elda Cecília Bolfarini Jabur é professora de História formada peLa Unesp de Assis. Trabalhou no Sesi e no Estado até aposentar-se. Há muito tempo dedica-se a escrever para jornais, faz óleo sobre tela e pertence à Ordem Rosacruz - AMORC há mais de 30 anos. Reside na Cidade de Cândido Mota/SP.

COLUNISTA - Elda Cecília Bolfarini Jabur
+ VEJA TAMBÉM