21 de Fevereiro de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Conheça os mitos e verdades sobre o temido mosquito da dengue

Uma das verdades é que usar meias claras e grossas protege contra picadas do mosquito

Nesta época do ano a preocupação com a dengue aumenta, assim como os casos da doença.

Para educar a população sobre como combater o mosquito aedes aegypti, que transmite também zika e chikungunya, a exposição Planeta Inseto, do Museu do Instituto Biológico, em São Paulo, tem uma parte toda dedicada aos mitos e verdades sobre a transmissão da dengue.

Abaixo você aprende o que é mito e o que é verdade sobre um dos maiores vilões do Verão brasileiro:

Verdade:
- O risco de manifestar as formas graves da doença aumenta após a primeira infecção, mas uma parte tem a ver com a resposta imune de cada pessoa.
- Água sanitária em ralos é eficiente, desde que seja usada em quantidade adequada, de duas a três vezes por semana.
- Os ovos do mosquito podem ficar meses no seco e eclodir quando entrarem em contato com água. Eles podem ficar até 18 meses "em espera”, por isso é comum passar o Inverno com menos ou sem casos de dengue, com aumento de registros na época das chuvas.
- Usar meias claras e grossas protege contra picadas do mosquito. Ele tem preferência por superfícies escuras para pousar e é atraído pelo calor, por isso teria preferência por tecidos escuros.
- O mosquito só pica em um raio de até 100 metros de onde nasceu. Se ele encontra as condições necessárias no local onde nasceu, não vai para outros locais. Porém, pode eventualmente entrar em veículos e elevadores, por exemplo, para se movimentar.
- Na cidade, bromélias são criadouros do mosquito da dengue. Isso não acontece com bromélias que estão nas matas.
- A exposição crônica do mosquito a inseticidas seleciona mosquitos mais resistentes a venenos a cada ano.

Mito:
- O mosquito só procria em água limpa.
- O mosquito vive apenas 24 horas.
- Crianças e jovens são mais suscetíveis à doença.
- Borra de café afasta o mosquito.


Mosquito aedes aegypti transmite dengue, além de zika e chikungunya


Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
+ VEJA TAMBÉM