19 de Abril de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Prefeitura de Palmital assume gestão da Santa Casa

A intervenção teve início nesta sexta-feira, 1º

Teve início nesta sexta-feira, 1º, a intervenção da Prefeitura Municipal de Palmital na gestão da Santa Casa de Misericórdia daquela cidade.

Segundo Bruno Garcia Moreira, integrante do Conselho Gestor Externo, no dia 16 de janeiro deste ano foi realizada uma reunião entre os membros do Conselho e o prefeito José Roberto Ronqui, que ao tomar conhecimento da situação difícil que a Santa Casa enfrentava, se sensibilizou e decidiu pela intervenção, para que a população não ficasse sem atendimento.

"A intervenção será por seis meses e, caso necessário, poderá ser prorrogada pelo mesmo período quantas vezes os interventores e o Conselho Gestor considerarem ideais para a reestruturação da Santa Casa. Sendo assim, a prefeitura nomeou dois interventores, um administrativo e um técnico, que trabalham para a reorganização da entidade”, considera.

A intervenção visa manter os serviços essenciais oferecidos à população e será mantida até a plena adequação da Santa Casa de Palmital.

"Os interventores deverão remeter à Prefeitura e à Promotoria de Justiça relatórios circunstanciados, além de informar ao Conselho Municipal de Saúde de Palmital das situações que encontrarem. Eles ficarão responsáveis também pela assinatura de contratos e celebração de convênios para serviços e investimentos na entidade, pela administração financeira, gestão do pessoal lotado nos diversos setores e o controle do patrimônio da entidade”, explica.

Os interventores deverão ainda fazer avaliação da situação econômico-financeira, o planejamento das medidas de melhorias e adotar as melhores técnicas administrativas, jurídicas e financeiras para o pleno restabelecimento dos serviços do hospital.

Moreira lembra ainda que todo o processo é acompanhado pelo Conselho Gestor Externo, que conta com mais de 30 integrantes de diversos setores da sociedade, como advogados, professores, agricultores e empresários.


A intervenção tem duração de seis meses e pode ser prorrogada conforme a necessidade da entidade


Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM