18 de Junho de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Universitários de Tarumã desenvolvem projeto de lixeira sustentável feita com pneus

Projeto foi reconhecido estadualmente pela UNIVESP e pode ser expandido para a região

A preocupação com o meio ambiente é uma das grandes pautas que direcionam diversas ações sustentáveis no Brasil e também no mundo. Diariamente, muitas iniciativas são desenvolvidas para evitar não apenas problemas ambientais, como também afetar positivamente na saúde e na qualidade de vida da população.

Em Tarumã, um grupo de universitário da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP) criou um projeto de uma lixeira sustentável e que utiliza pneus usados como matéria prima.

"Nós fazemos Engenharia de Produção e a cada semestre desenvolvemos um projeto chamado de integrador, que é como um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Esse projeto é encaminhado e avaliado pela UNIVESP, e felizmente conseguimos um destaque no cenário estadual, já que fomos escolhidos como um dos melhores do Estado de São Paulo”, afirma Cândido Marciel, um dos integrantes do grupo.

Os universitários encontraram uma maneira de aplicarem seus conhecimentos técnicos no projeto e, além disso, darem uma utilidade para o material que seria descartado.

"É muito bacana ver esse reconhecimento, que nos motiva a buscar parcerias com o Poder Público e também com empresas privadas. Muitas borracharias amontoam os pneus velhos, que a prefeitura coleta e leva para o depósito. Mas imagine que bacana se nós pudéssemos receber essas doações e oferecer uma oficina para os alunos das escolas, por exemplo. É uma forma de dar uma nova utilidade para esse material e ainda multiplicar o conhecimento”, salienta.

Outra vantagem do projeto é que as lixeiras feitas com pneus poderiam ser utilizadas em diversos espaços públicos, evitando assim danos ao patrimônio e gastos. Além disso, elas são projetadas de uma forma que impedem o acúmulo de água que venha a proliferar o mosquito Aedes aegypti, sendo também uma alternativa importante no combate à dengue e outras doenças.

"Sabemos que o vandalismo é terrível. Às vezes a prefeitura compra as lixeiras de plástico, que são quebradas ou danificadas, sendo necessária a compra de outras para reposição ou, em outros casos, não sendo possível a substituição por conta dos custos. No caso do nosso projeto, por mais que o vândalo chute a lixeira de pneus, por exemplo, ela não será danificada, pois o material é bem resistente”, explica.

E o grupo já está preparando novidades! Os universitários estão finalizando um aplicativo chamado Recicle, que vai indicar lugares adequados para o descarte de pilhas e baterias.

"O aplicativo está pronto. Faltam algumas questões teóricas para finalizar, para que as pessoas possam baixar. É uma preocupação importante, já que o descarte desses produtos em lugares inadequados pode gerar contaminação do solo, de lençóis freáticos e outros muitos problemas ambientais”, finaliza.

Participam do grupo os estudantes Alan Silvio, Cândido Marciel, Clislene Pereira, Bruno Aparecido, Katia Mirelen, Valdecir Almeida e Wagner Viana.


Lixeiras foram desenvolvidas por grupo de universitários de Tarumã


Projeto é sustentável e ainda evita proliferação do mosquido Aedes, além do vandalismo


Grupo desenvolve agora um aplicativo para descarte correto de pilhas e baterias


Redação AssisCity/ Fotos: Divulgação
+ VEJA TAMBÉM