11 de Dezembro de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » BRASIL

Funcionários dos Correios devem entrar em greve por tempo indeterminado

Eles reivindicam reajuste no valor dos salários.

Os funcionários dos Correios vão paralisar as atividades a partir das 22h desta quarta-feira (31).

De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) eles reivindicam reajuste no valor dos salários.

A Fentect afirma ainda que está lutando "pela manutenção de todos os direitos conquistados ao longo de décadas”. O presidente dos Correios, Floriano Peixoto, já foi comunicado da paralisação.

Em entrevista à reportagem, o vice-presidente do Sindicato dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Bauru e região(SINDECTEB), Luiz Alberto Bataiola, salientou que os esforços serão para que não haja um estado de greve.

"Os sindicatos encaminharam a proposta de greve a partir desta quarta-feira, mas uma mediação ainda será realizada por aqueles que são filiados à FINDECT, que é nosso caso. Esperamos uma proposta que trate nossos funcionários com consideração e respeito, especialmente como seres humanos. Mesmo que uma proposta não seja feita ou não seja aceita, nós vamos para um estado de greve. Queremos ao máximo que possamos negociar, porque não queremos paralisar”, afirma.

Ainda segundo Bataiola, o governo não oferece reposição da inflação, além de estar mexendo com os benefícios dos funcionários.

"Além de não oferecer reposição da inflação, estão mexendo em todo os nosso benefícios. Há redução de ticket alimentação, redução de adicional noturno, do índice de hora extra, das férias. Ou seja, além de não dar, a empresa está tirando os benefícios. O salário inicial dos Correios é um dos mais baixos entre todos os órgãos do Governo Federal e desde 2011 não temos concurso público. Junto disso, temos perdido funcionários com os programas de demissão incentivado ou voluntária. Recentemente tivemos uma redução de 5 mil empregados por conta disso, e os que permanecem não podem se responsabilizar por uma carga ainda maior de trabalho. Apesar de todas as dificuldades, somos considerados o 5º melhor correio do mundo segundo o ranking do UPU, e vamos tentar insistir na melhor solução”, finaliza.

Em nota, a assessoria de imprensa dos Correios informou que "os Correios e as representações dos empregados continuam em negociação, com mediação do TST; não é oportuno tratar de greve neste momento".

Redação Tupacity.com
+ VEJA TAMBÉM