20 de Fevereiro de 2020
17º/30º
NOTÍCIAS » BRASIL

Títulos cancelados por falta de biometria podem ser regularizados a partir de janeiro

Em Tupã, de 50.836 eleitores inscritos, somente 39.195 fizeram o cadastro. Restaram 11.641 eleitores com títulos cancelados.

O prazo para cadastramento obrigatório do título eleitoral em Tupã e região terminou no último dia 19. Milhares de eleitores ficaram de fora e hoje estão inadimplementes com a Justiça Eleitoral.

Teoricamente, somente quem se cadastrou está com sua situação regularizada e poderá votar nas eleições municipais de 2020. Os demais estão cancelados.

Mas ninguém precisa se desesperar por causa disso. É possível, no período de janeiro a maio, regularizar a situação. Para isso, será necessário comparecer ao Cartório da 143ª Zona Eleitoral com um documento pessoal oficial, comprovante de residência recente e o título eleitoral.

Conforme os últimos números divulgados pelo TSE, que mostram o resultado final do cadastro biométrico em Tupã, de 50.836 eleitores inscritos, somente 39.195 fizeram o cadastro. Restaram, portanto, 11.641 eleitores com títulos cancelados.

Entre alguns municípios da região pesquisados, Dracena é o que possui maior percentual de eleitores com o cadastramento biométrico realizado. São 31.768 eleitores inscritos e 31.709 com cadastro, somando 99,81%.

Logo em seguida está Quatá, com 9.845 eleitores inscritos, 9.818 cadastros feitos, totalizando 99,73%. Já Pompéia tinha 16.700 eleitores inscritos, com 14.727 tendo feito a biometria, o equivalente a 88,19%.

Arco-Íris tinha 2.125 eleitores inscritos, sendo que 1.807 fizeram a biometria (85,04%); Bastos, 18.029, com 15.258 inscritos (84,63%); Iacri, 5.208, com 4.639 inscritos (89,07%); Marília, com 178.523 eleitores, somando 146.401 cadastrados (82,01%); e Queiroz, 2.125, com 1.807 cadastrados (85,04%).

Jornal Diário
+ VEJA TAMBÉM