05 de Abril de 2020
17º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Para que servem os bancos públicos?

COLUNISTA - Sindicato dos Bancários de Assis e Região

O artigo 192 da Constituição Federal determina que o sistema financeiro nacional seja "estruturado de forma a promover o desenvolvimento equilibrado do país e servir aos interesses da coletividade". Os bancos privados não respeitam essa determinação, porque visam primordialmente o lucro. Caberia, portanto, aos bancos públicos cumprirem com o que está escrito na lei maior do país. Esse é o posicionamento do Sindicato dos Bancários de Assis e região, que defende a manutenção dos bancos públicos e é contra a privatização.

Sob os governos Temer e Bolsonaro, empresas como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, BNDES, dentre outros, vêm abandonando a sua função pública e social.

"Por meio de reestruturações, fechamento de agências, eliminação de milhares de postos de trabalho e, principalmente, redução da oferta de crédito e aumento de juros, essas instituições financeiras contribuem cada vez menos para auxiliar o país a retomar o crescimento econômico", ressalta o secretário geral do Sindicato, Fábio Escobar.

Divulgação - Fábio Escobar, secretário geral do Sindicato
Fábio Escobar, secretário geral do Sindicato


De acordo com ele, um exemplo que constata a importância dos bancos públicos ocorreu durante a crise financeira de 2008.

"Num cenário de redução da oferta de crédito dos bancos privados, Banco do Brasil, Caixa e BNDES ampliaram a concessão de empréstimos, garantindo o consumo para as famílias, e auxiliaram a estimular o setor produtivo. Essa atuação permitiu
que o país não sentisse com tanta gravidade os efeitos da crise financeira mundial e continuasse a trajetória de crescimento econômico".

Atualmente, os bancos públicos estão abandonando a sua função social de conceder crédito para estimular o setor produtivo, o bem estar social e o consumo familiar.

"O encolhimento dessas instituições resultará em menos estudantes de baixa renda nas universidades, no encarecimento do alimento consumido pelas famílias, no aumento da desigualdade social, no encarecimento do crédito imobiliário e na redução dos investimentos no setor produtivo. Por isso, defender os bancos públicos é defender não só a economia do país, mas uma sociedade mais justa e o próprio bem estar de todos os brasileiros. Por isso, o Sindicato intensificará os atos em defesa dessas empresas fundamentais para a sociedade e a economia", finaliza.

Ello Comunica
+ VEJA TAMBÉM