08 de Abril de 2020
17º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Responsabilidade social e o papel de desenvolvedor do seu espaço

COLUNISTA - Arildo Almeida

Você é socialmente responsável? Ou melhor, você sabe o que é responsabilidade social? O termo é amplo no seu significado, mas, basicamente, responsabilidade social é promover ações voluntárias, visando uma sociedade mais justa e mais desenvolvida, mas sem gerar impactos negativos no meio em que vivemos.

A responsabilidade social não se restringe apenas em ações desenvolvidas por empresas, ONGs, governos ou outras instituições. Pode ser uma ação individual. O termo "responsabilidade social individual" foi sugerido e debatido pelo Workshop for Civic Initiatives Foundation, da Bulgária. De acordo com essa definição, "a responsabilidade social individual inclui o envolvimento de cada pessoa em relação à comunidade onde vive, o que pode ser expresso como um interesse para o que está acontecendo na comunidade, bem como na participação ativa na resolução de alguns dos problemas locais". Ou seja, a pessoa socialmente responsável tem como características o voluntariado, a contribuição para causas sociais – como doações –, além de ações do dia a dia, como separar o lixo ou ajudar um vizinho na mudança.

E qualquer um de nós pode ser responsável socialmente, querer se dedicar a um trabalho voluntário sem remuneração e ser desenvolvedor do seu espaço e do lugar onde mora. O que isso quer dizer? Que nós podemos melhorar e preservar o bem-estar da nossa cidade.

Recentemente, o grupo "Voluntários Por Amor ao Próximo" passou a servir um lanche, toda quinta-feira à noite, para pacientes e acompanhantes que chegam à UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Outros dois grupos também fazem esse tipo de trabalho no local. As voluntárias do Naninhas do Bem Assis S.P. fazem e distribuem naninhas para crianças em diversos tratamento nos hospitais. Há ainda as voluntárias que montam e doam um pequeno enxoval para recém-nascidos carentes que passam pela maternidade da Santa Casa e do Hospital Regional. Já as voluntárias da Associação Voluntária de Combate ao Câncer de Assis faz um trabalho lindo, ajudando as pessoas que têm a doença e suas respectivas famílias. Outros grupos fazem trabalhos diversos para ajudar entidades como a Apae e projetos sociais de igrejas. Há ainda os que fazem sozinhos, sem alarde. E existem os que se dedicam em prol do seu bairro, sendo atuantes e cobrando melhorias, tornando-se desenvolvedores do seu espaço e da sua comunidade.

Quem ganha com isso? A cidade e todos nós. Ter uma atitude voltada para a questão social transforma vidas, incluindo a de quem se propõe a fazer isso. Assim, podemos entender a responsabilidade social como a obrigação que temos, como indivíduos sociais, de pensar no bem-estar do outro, diminuindo as desigualdades e garantindo uma convivência mais justa a todos.

Bom dia, Assis!!!

*Colaborou Andreia Alevato

Divulgação
+ VEJA TAMBÉM