03 de Abril de 2020
17º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Vigilância Sanitária de Assis recolhe amostras para analisar álcool em gel após denúncia de etanol

Produtos serão encaminhados para análise em laboratório

*Esta matéria está em atualização

Nesta sexta-feira, 20 de março, alguns vídeos circularam pelas redes sociais e mostram supostos funcionários de uma empresa de cosméticos de Assis carregando galões de etanol. A pessoa que gravou as imagens sugere que o produto estaria sendo utilizado para a produção de álcool em gel, o que gerou uma grande preocupação na população.

Os vídeos gravados mostram uma caminhonete preta sendo carregada com galões em um posto de combustíveis. O denunciante segue a caminhonete até a sede da empresa, localizada na Vila Tênis Clube, onde funcionários descarregaram os galões.

A reportagem do AssisCity conversou com o Departamento de Vigilância Sanitária de Assis. De acordo com o coordenador, João Francisco Bertogna, os fiscais foram até o local acompanhados pela Polícia Militar na tarde sexta-feira, mas não encontraram irregularidades.

"Estivemos lá e não foi localizado nada na empresa, inclusive os supostos galões de etanol. Eles estavam sem matéria prima para a produção e apresentaram nota da matéria prima que foi toda utilizada", afirma.

Segundo Luciano Bergonso, da Secretaria de Governo e Administração, uma nova medida foi tomada na manhã deste sábado, 21 de março. Fiscais da Vigilância Sanitária foram até os estabelecimentos onde o produto da empresa está sendo vendido e recolheram amostras, que serão encaminhadas para testes.

"No momento da vistoria da empresa, não foi constatada nenhuma irregularidade que viesse a interditar o local. Porém, diante das imagens, disponibilizamos os fiscais da vigilância para pegar os frascos que estão sendo revendidos e encaminhar para análise laboratorial, em respeito à saúde pública, ainda mais nessa situação de pandemia", afirma.

Divulgação - Vídeo gravado mostra caminhonete em posto de combustíveis e depois na sede da empresa em Assis
Vídeo gravado mostra caminhonete em posto de combustíveis e depois na sede da empresa em Assis


Ainda segundo Bergonso, os consumidores devem se atentar ao rótulo do produto, que deve conter o nome do químico responsável pela fórmula.

"Essa é uma informação extremamente importante, pois dá a garantia de que alguém manipulou e assinou esse produto de acordo com todas as normas e regras da Anvisa. É preciso ter cuidado para não comprar produtos sem um responsável químico, inclusive registrado no Conselho Regional de Química. Após a análise do laboratório é que poderemos afirmar com certeza se o produto contém etanol ou álcool etílico hidratado 70% de acordo com as regras", salienta.

A Vigilância Sanitária ressaltou que todos os procedimentos estão sendo tomados para a agilidade dos testes, que só podem ser feitos por um laboratório.

A Polícia Civil também informou que, durante a tarde deste sábado, foi até um comércio onde o produto está sendo vendido e recolheu quatro amostras do álcool em gel. O delegado responsável disse que o proprietário disponibilizou o produto, que foi lacrado diante da presença do mesmo. As amostras serão encaminhadas para um laboratório ou para o Instituto de Criminalística (IC), onde deverão passar por análise.

O AssisCity conversou com uma funcionária da empresa, que não quis se identificar, mas encaminhou uma nota de posicionamento em relação ao ocorrido. A reportagem pediu esclarecimentos sobre qual seria a utilização dos galões que saíram do posto de combustíveis e foram descarregados na sede. O pedido foi feito por volta das 11h deste sábado, mas até às 18h40 não houve retorno sobre esse ponto.

Em nota encaminhada pela funcionária, a empresa informou que "no dia 20 de março, às 12h, foi averiguado pela Polícia Militar juntamente com a Vigilância Sanitária de Assis o ocorrido, a denúncia, a respeito do uso de ‘Etanol Veicular’ em nossa produção de álcool em gel, no qual não foi encontrado nenhuma evidência de desvio de qualidade ou uso de tal ‘Etanol Veicular’ em nossa produção. O Boletim de Ocorrência já foi encerrado e a Vigilância Sanitária de Assis já recolheu as provas necessárias para tal comprovação. Todo material produzido por nós é analisado e testado em nosso laboratório, fazemos uso de matérias-primas certificadas e atestadas", finaliza.

Divulgação - Produtos fabricados pela empresa em Assis
Produtos fabricados pela empresa em Assis


Nesta semana, a Anvisa liberou empresas de medicamentos e cosméticos a fabricar e venderem o produto pelo período de seis meses. O objetivo é de aumentar a oferta de álcool em gel 70% nas prateleiras, já que a demanda também aumentou muito durante a pandemia do Coronavírus.

Leia também: Anvisa libera empresas de medicamentos e cosméticos a fabricar álcool em gel

Divulgação - Nota divulgada pela empresa responsável pela produção do álcool em gel
Nota divulgada pela empresa responsável pela produção do álcool em gel


Redação AssisCity/ Fotos: Divulgação
+ VEJA TAMBÉM