17 de Junho de 2021
20º/30º
Notícias - Saúde

'Luz no fim do túnel', diz enfermeira de Serrana, SP, que ajudou a vacinar população contra Covid

Estudo do Instituto Butantan mostrou que é possível controlar a epidemia com 75% da população imunizada. Para diretor da UPA, vacina é a única chance de retomada à normalidade.

Durante dois meses, a gerente de enfermagem do Hospital Estadual de Serrana (SP), Maria Aline Sprioli, ajudou a vacinar os moradores voluntários do Projeto S. A iniciativa inédita promovida pelo Instituto Butantan mostrou que com 75% da população imunizada, é possível controlar a epidemia de Covid-19. Na opinião de Aline, o resultado acende uma esperança de ver a vida de volta ao normal.

"Vendo os casos aumentarem a cada dia, a gravidade dos pacientes a cada dia piorando, participar desse projeto é como se a gente visse uma luz no fim do túnel, uma esperança de dias melhores. Dá um ânimo muito grande. Eu espero ver a cidade como era antes, as pessoas trabalhando normalmente, estudando, andando nas ruas normalmente", diz.

Quem também festeja a eficácia da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan, é a empresária Larissa Soares Gomides. Dona de um buffet, ela já retomou a agenda de eventos, ainda com restrições, mas espera que o cenário de otimismo em Serrana possa se multiplicar pelo resto do país.

"Retomamos um sonho que foi parado do dia para a noite. A gente está muito feliz. Eu me sinto muito grata, mas eu queria estar mais. Tem muitas pessoas nas outras cidades, a gente liga a TV e vê, tem muita coisa acontecendo. Mas, se Deus quiser, vai passar rápido isso", afirma.

Queda nas suspeitas

O diretor técnico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Serrana, Angel Dario Rios Ariza, afirma que após a vacinação, a queda no número de casos suspeitos chega a 50%. O impacto também é sentido nas unidades básicas de saúde do município.

Ariza diz que a vacinação deu mais tranquilidade aos moradores, inclusive a ele que viu colegas de profissão contraírem o vírus, mas evoluírem sem gravidade após serem imunizados.

"Nós vemos na prática e no dia a dia que a vacina trouxe isso, uma segurança, um conforto, um bem estar não só para a parte médica, mas para a população em geral. A cidade está diferente, a gente percebe, você pode ver a rua. Para mim, está normal. É assim que é Serrana."

O médico afirma que a cidade é privilegiada, e que as pessoas que ainda se sentem inseguras quanto à vacinação não podem perder a oportunidade de se protegerem da doença com a medida mais eficaz.

"Não somos privilegiados não só em relação ao Brasil, mas ao mundo inteiro. O resto do mundo não teve essa facilidade de ter uma vacinação de forma rápida. A vacina surte efeito. A vacina é uma arma fundamental para que a população não adoeça, para que possamos retomar a vida normal. Veja o dia a dia de nossa cidade e das outras cidades. A vida é só uma, tem que cuidar."

Resultados

Neste domingo (30), o Fantástico, da TV Globo, divulgou parte dos resultados do Projeto S, iniciado em março e finalizado em abril. Os dados apontam que, após o fim da vacinação, as mortes por Covid-19 caíram 95% na cidade.

Em paralelo à perspectiva otimista em Serrana, 23 cidades nas regiões de Ribeirão Preto e Franca adotaram medidas mais rígidas para reduzir a transmissão do vírus.

Só em Ribeirão Preto, com 711,8 mil habitantes, a taxa de ocupação nas unidades de terapia intensiva (UTIs) está em 94,08% neste domingo, enquanto a cobertura vacinal com duas doses é de 12,49% da população.


Os resultados da pesquisa mostram, ainda, que o número de casos sintomáticos da doença teve uma redução de 80%, enquanto as hospitalizações caíram cerca de 86%. Para os cientistas, o controle da pandemia se deu depois que 75% da população recebeu a segunda dose.

Em abril, Serrana já observava uma queda expressiva na incidência da Covid-19. Após registrar 699 casos em março, o número caiu para 251. As mortes passaram de 20 para 6 no mesmo período.

A pesquisa do Instituto Butantan também revela que, enquanto 15 cidades vizinhas apresentavam aumento no número de casos, Serrana caminhava na contramão e apresentava reduções expressivas.

A apresentação completa da conclusão do estudo ocorre nesta segunda-feira (31), durante coletiva de imprensa do governo de São Paulo.
Portal G1
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM