05 de Junho de 2020
12º/25º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

A origem do Natal...

COLUNISTA - Carlos Ticiano

Como não é novidade para ninguém, o Natal é uma das maiores festas do mundo cristão. Comemorado no dia 25 de Dezembro, a data celebra solenemente o nascimento do Menino Jesus. No entanto, o Natal é rodeado por lendas e também por muitas histórias. Nos primórdios, não era exatamente assim.

Antigamente, não tinha uma data fixa. Os romanos, por exemplo, comemoravam nesta data a entrada do inverno. Foi apenas a partir do século IV, que a data acabou oficializada como sendo do nascimento de Jesus, através do decreto do Papa Julio I.

A festividade do Natal é carregada de tradições, simbolismos e significados, demonstrando a alegria, a paz e a esperança. Segundo historiadores, a idéia de se fazer uma árvore decorada, teria nascido na Alemanha, pelo célebre Martinho Lutero (monge agostiniano). Que ao passar por uma floresta em uma noite estrelada, percebeu a beleza e o encanto dos pinheiros cobertos de neve.

Retornando a sua casa, teve a ideia de reproduzir a cena com um pinheirinho, algodão, enfeites diversos e velas acesas. Assim nasceu a tradição da árvore de Natal na Alemanha e que acabou trazida ao Brasil, pelos imigrantes alemães.

A figura do Papai Noel, teria sido inspirada no bispo Nicolau, de origem Turca. Sendo um senhor de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximos das chaminés das casas. Por esta ação, foi denominado de São Nicolau pela Igreja Católica. Nos Estados Unidos, ficou conhecido como Santa Claus. No Brasil, como Papai Noel. A popularização do Papai Noel, com sua conhecida roupa vermelha e branca, com um cinto preto, foi criação do cartunista Thomas Nast.

A tradição em se montar um presépio, que representa o cenário do nascimento do Menino Jesus, em uma manjedoura ao lado de José, de Maria, dos animais e da presença dos Reis Magos, foi idealizada por São Francisco de Assis, na Itália.

Os três Reis Magos (Belchior, Baltasar e Gaspar) ao levarem presentes (ouro, incenso e mirra) como símbolo de estima e carinho ao recém nascido em uma caverna/manjedoura em Belém, na província romana da Judéia, acabou por influenciar a troca de presentes entre as pessoas nesta época do ano.

Na Europa, segundo historiadores, em função de Jesus ter nascido durante a noite, esta passagem noturna do dia 24 para o dia 25, ficou conhecida como Noite feliz. No Brasil, os católicos costumam participarem da Missa do Galo, originalmente realizada à meia noite do dia 24 de Dezembro.

Na véspera é uma tradição reunir a família para realizar uma alegre e festiva confraternização. De desacelerar o corre-corre do dia a dia, de rever aquelas pessoas que a muito não vêem, de realizar o tradicional amigo secreto, onde as pessoas trocam presentes entre si, de saborear pratos deliciosos na Ceia do Natal e de celebrar o nascimento de Jesus Cristo.

Divulgação
Carlos R. Ticiano
+ VEJA TAMBÉM