04 de Dezembro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Alimentos com carunchos: quais os prejuízos à saúde?

Saiba como evitar a reprodução e desenvolvimento dessa infestação

Quem nunca pegou um pacote de alimento aberto no armário e percebeu alguns bichinhos na embalagem? Esses insetos, conhecidos como carunchos, são classificados como pequenos besouros, com tamanho em torno de 3 milímetros, e com reprodução dependente de fatores como umidade e temperatura. Muitas pessoas se desfazem dos alimentos contaminados pela praga, mas a sua ingestão realmente faz mal à saúde?



De acordo com a professora de Nutrição da Faculdade Pitágoras Bacabal, Silvana Figueredo, é preciso ter cuidado. "Esses bichinhos em si não fazem mal à saúde. No entanto, com a presença deles, os produtos podem ter a sua qualidade e o valor nutricional comprometidos; já que podem ser transmissores de fungos e outros parasitas, que produzem toxinas nos alimentos", pontua.



O caruncho pode se desenvolver em todos os tipos de alimentos, principalmente nos secos, como farinhas, massas secas (macarrão e outras), chás, biscoitos, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja) e cereais (arroz, milho de pipoca). Quando há muito caruncho em um pacote, pode haver também muitos ovos e larvas, que se desenvolverão ali, podendo ainda migrar para outros produtos.



A nutricionista destaca que o problema pode ser evitado quando o consumidor está atento às condições de armazenamento no momento da aquisição, como na checagem da higiene do ambiente, se há presença de poeiras ou insetos. "O controle da proliferação do inseto deve ser feito ainda na plantação, mas há casos em que eles sobrevivem ao processo de beneficiamento ou de embalagem dos produtos, e a infestação geralmente começa a partir de um alimento adquirido já contaminado", salienta.



Com condições climáticas favoráveis, eles se desenvolvem com mais facilidade e qualquer violação na embalagem pode favorecer a entrada dos insetos. Após a abertura do produto, deve-se fazer o armazenamento e fechamento de forma hermética para aumentar a durabilidade do produto.



No caso dos alimentos industrializados, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tolera alguns fragmentos de insetos, mas é preciso estar alerta aos riscos de aproveitamento, sendo indicado descartar o produto caso identificada a presença de insetos, pó no fundo do pacote e larvas. No processo de limpeza dos ambientes, é indicado que os armários, prateleiras e outras áreas de armazenagem sejam esvaziados e as superfícies devem ser higienizadas com um pano limpo, água e sabão.



Veja algumas dicas valiosas para acondicionar os alimentos corretamente e evitar a presença desses insetos no seu armário:



Observe a embalagem dos alimentos na compra, se existem furos, poeira, além de verificar a presença de insetos no ambiente e a validade do produto;
Após abrir as embalagens de cereais, farinhas ou massas, transfira o conteúdo para potes bem fechados. Os carunchos não terão como sobreviver ali dentro. Guardar esses alimentos na geladeira também é uma opção para evitar a proliferação;
Coloque etiquetas com data de validade em cada recipiente. Ingredientes fora do prazo deverão ser descartados para evitar riscos sanitários. Os alimentos secos após abertos devem ter em torno de 1 mês de validade. Caso haja, siga as orientações do fabricante;
Se for estocar esses alimentos, é necessário inspeção periódica, para a existência de furos, rasgos ou presença de insetos.
Divulgação
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM