21 de Outubro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Amor-exigente e a culpa

Quando se constata a existência de um dependente de substâncias na família, é normal e natural que num primeiro momento os pais se sintam culpados. Eles ainda desconhecem que não causaram, não controlam e não curam a dependência de substâncias. E a culpa muitas vezes paralisa as ações.

A família quando busca um tratamento, um apoio, descobre que não são culpados, porque se trata de uma doença. A pessoa provavelmente já nasceu com uma predisposição genética no organismo para o uso da droga seja qual for e ao entrar em contato, primeiramente com drogas lícitas - cigarro, álcool - o organismo vai se tornando dependente gradativamente. E daí para outras drogas, quase sempre é apenas questão de tempo.

A dependência é uma doença bio-psíquica-social e espiritual, é crônica, progressiva, milionária e pode trazer a morte, quando não tratada. É bio = é do organismo, o organismo da pessoa já nasce com a predisposição para a química, portanto é uma doença primária que está na origem de outros males. Psíquica = o psiquismo do dependente tem uma grande obsessão e compulsão pela química, pensa nela e o quanto usa é sempre insuficiente para matar sua vontade de prazer. Social = a sociedade estimula o uso das drogas lícitas (cigarro, cerveja, vinho) em todas as comemorações e celebrações. Espiritual = os valores espirituais da pessoa são alterados e aos poucos desprezados. Crônica = não tem cura, mas pode ser controlada. Progressiva= a pessoa vai cada vez mais dependendo do uso (compulsão). Milionária= existe uma grande "máfia", exploradores, indústria do lucro e do prazer exercendo o controle sobre uma minoria explorada. Fatal = quer pela overdose, quer pelos acidentes, quer pelas conseqüências mórbidas que traz.

Libertando-se da culpa, os pais estarão melhores preparados para a busca do tratamento do seu ente querido. E o tratamento depende unicamente da pessoa, o dependente precisa querer, a doença da adicção não tem cura, mas pode ser controlada, assim como outras doenças.

É preciso parar de buscar culpas e culpados, cessar de se fazer vítima, distinguir o foco do problema e não buscar causas fora dele para justificá-lo, portanto é necessário buscar ajuda.

Os grupos de apoio do Amor-Exigente são de extraordinária seriedade e importância nesse instante, uma vez que da possibilidade aos pais para suportarem o problema de forma assertiva, direcionado, guiado por 12 princípios básicos e éticos, que ajudam a família a livrar dessa dor que provoca tanto angústia, ansiedade e desgosto dos pais.


Valmir Dionizio - Voluntário - ASSOCIAÇÃO ASSISENSE DE AMOR EXIGENTE. RUA BARÃO DO RIO BRANCO Nº 250, CENTRO - ASSIS/SP.
Reunião: Todas as Quintas-feiras, às 20:00 horas.


+ VEJA TAMBÉM