17 de Junho de 2021
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Militância seletiva de Lumena é forma de se vitimizar, diz especialista

Psicóloga apresentou fala de violência verbal e abuso

O Reality Show de maior audiência da TV brasileira levantou grandes polêmicas em sua nova edição. Com elenco diversificado, unindo artistas e anônimos, a militância apareceu nas falas, atitudes e posicionamentos dos confinados do BBB21. "Lumena constantemente 'militou' de uma forma totalmente errada e seletiva. Ela tem um comportamento igual ao que ela luta para não existir. A participante se apossou da fala autoritária, da violência verbal e abuso. Ela não teve uma postura diferente daquilo que ela cobrava. Ela provocou, e até mesmo criou situações de racismo", diz a especialista em relacionamento social, Josiane Souza.

Lumena, na visão da especialista e de muita gente, acabou se perdendo diante do que deveria explorar no reality. "Primeiro, por ser psicóloga -embora a mesma não esteja em seu local de trabalho- existe uma cobrança natural de uma postura diferente. As atitudes de omissão, nos conflitos da casa, chamaram a atenção do Brasil. A participante agiu sem conter suas ações, mesmo possuindo conhecimento e sabendo que poderia afetar tanto o psicológico, quanto o emocional dos outros confinados. Em momentos que a mesma, enquanto especialista, poderia demonstrar os seus conhecimentos e ainda ter uma postura totalmente diferente", comenta Josiane.

"O pior de tudo foi a psicóloga ter tido diversas atitudes abusivas que a mesma reconhece os malefícios, sendo eles: ansiedade, depressão, estresse, doenças psicossomáticas justamente advindas de coisas que ela mesma faz, ela mesma propaga. Ela deveria estar em um local de acolhimento, escuta e de se colocar no lugar do outro; ela deveria ter tido empatia, quando não fez absolutamente nada disso. Todo psicólogo é cobrado por uma postura diferente, principalmente por todo o conhecimento que possui. Lumena chamou a atenção, pois nenhum local deveria retirar todo esse conhecimento'', pontua Josiane, que também tem formação em psicologia.

"O fato de criar situações racistas, talvez no desejo de se "vitimizar" e passar para o público que ela luta por uma causa, fez com que Lumena se perdesse. Enfim, ela se perdeu. Pois lutar por uma causa não é criar uma causa, nem mesmo inventar uma situação e levantar uma bandeira de algo que não acontecia ali", conclui.
Divulgação
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM