14 de Maio de 2021
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Mudanças Climáticas: perspectivas, enfrentamento e possibilidades

COLUNISTA - Professor Thiago Hernandes

Em meio a tantas notícias voltadas aos desdobramentos do COVID 19 - contágios, mortes, desemprego, recessão e assim por diante - não podemos esquecer que a vida segue e velhas e urgentes demandas continuam a urgir pela busca de soluções.

Neste contexto, irei direcionar este texto a já conhecida demanda humana. Refiro-me às mudanças climáticas.

Entre os dias 22 e 23 de abril de 2021, por organização do governo dos Estados Unidos, ocorreram reuniões entre 40 chefes/representantes de Estado, denominada Cúpula do Clima.

A essência das discussões consistiu no entorno das mudanças climáticas do planeta, com ênfase aos agentes causadores, consequências e formas de enfrentamento.

Por mudanças climáticas, entende-se o conjunto das alterações nos padrões climáticos/atmosféricos em escala global. É sabido que ciclicamente o clima do planeta sempre sofreu alterações, seja em períodos de maior aquecimento e de maior resfriamento. Entretanto, tais mudanças ocorreram na escala temporal de milhares, milhões ou até mesmo bilhões de anos, circunstancia temporal esta que mesmo com extinções, possibilitaram também que adaptações das formas de vida fossem possíveis.

Com a consolidação da Revolução Industrial, o aumento populacional, a intensificação do uso de combustíveis fósseis e o estabelecimento de um padrão produção/consumo muito pouco conectado com as questões ecológicas, o clima do planeta passou a ser modificado pela primeira vez na história com conectividade às ações humanas, fato este que acelerou e intensificou as mudanças de forma sem precedentes na história, encurtando os eventos à casa de séculos, décadas, e até mesmo anos.

Dentre as causas principais para tais mudanças, é citado: excessivo uso de combustíveis fósseis - gasolina, diesel, querosene, carvão mineral -, queimadas/desflorestamento, formação de grandes rebanhos, explosão demográfica, destinação inadequada dos resíduos, desperdício de alimentos entre outros.

Em relação as consequências provocadas pelas mudanças climáticas, têm-se: mudanças nos padrões de chuvas - secas e enchentes -, ondas extremas de calor e de frio, aumento no nível dos mares e oceanos, derretimento de geleiras, extinções animais em massas, proliferação desordenadas de formas de vida indesejadas ao homem dentre outros efeitos.

Ante a cenário de enormes desafios, o que pode ser feito para reverter ou ao menos atenuar tais projeções?

Primeiramente é importante salientar que as ações necessárias demandarão profundo envolvimento de todos os agentes da sociedade, mudanças de atitudes, de vontade e, acima de tudo, de atitude.

Nesta perspectiva, a sociedade civil, o poder público em todas as instâncias e os setores econômico/produtivo precisam juntos agirem em uma mesma direção para a busca de um melhor Futuro Comum.

Assim, dentre as medidas de devem ser adotadas pode ser destacado:

• Poder público - estímulos fiscais ao desenvolvimento e uso de tecnologias limpas, fiscalizações e punições mais rigorosas aos que promovem práticas ambientais desconformes às legislações, estímulos ao modal ferroviário, melhorias nos sistemas de transporte coletivo, promoção de políticas amplas de reflorestamento etc;

• Setor econômico/produtivo - promover o aumento do uso de produtos recicláveis e de tecnológicas menos impactantes em seus processos produtivos/operacionais, não aquisição de insumos oriundos de origens ilegais, incentivo às de linhas de crédito acessíveis para iniciativas que gerem valores ambientais positivas etc;

• Sociedade civil - em suas práticas diárias, as pessoas podem contribuir positivamente ao estimular a coleta seletiva, ao diminuir o desperdício de alimentos energia e água, usar com racionalidade o transporte individual, plantar árvores e apoiar iniciativas voltadas à geração de valores ambientais positivas, etc;

Deste modo, o caminho a ser percorrido não é fácil e nem rápido, mas sabe-se também que se nada for feito, as projeções climáticas em um futuro não muito longe não são nada boas.

Porém, vale a pena ressaltar que o desenvolvimento e a utilização de tecnologias mais limpas certamente representam um rico cenário de perspectivas de investimentos, empregos e ganhos, tudo isso gerando benesses planetárias e a nós mesmos.

Lembrem-se, não herdamos o planeta de nossos ancestrais, mas sim, recebemos emprestados de nossos descendentes, e o que fazemos hoje, refletirá diretamente sobre a vida do que estão por vir.

Cabe a cada um, compete a todos! Juntos, somente juntos podemos mudar.
Divulgação
Prof. Me. Thiago Hernandes
graduado e mestre em geografia, professor de ensino médio e ensino superior. Dono do canal no youtube, GEOEXPLICA
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM