28 de Junho de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Por que o frio desta semana e a mudança climática do planeta estão interligados?

ONU alerta para catástrofe após índices baterem recordes

Um mês de maio com temperaturas na casa de um dígito é algo atípico até mesmo para o sul do país. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), as ondas de frio que começam agora são um indicativo de que as futuras ondas devem ser também fortes, próximas às dos invernos rigorosos dos anos 1960.

É necessário pontuar que o frio que se aproxima não se trata "apenas" de uma massa de ar polar, ou de o inverno de aproximando. De acordo com a ONU, quatro indicadores fundamentais da mudança climática bateram recordes em 2021, com a advertência de que o sistema energético mundial conduz a humanidade para uma catástrofe.

As concentrações de gases do efeito estufa, o aumento do nível do mar, o conteúdo de calor dos oceanos e a acidificação dos oceanos "registraram valores sem precedentes" no ano passado, afirmou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) no relatório "Estado do clima mundial em 2021".

Divulgação - Elisa Barbosa, especialista em ESG - Foto: Divulgação
Elisa Barbosa, especialista em ESG - Foto: Divulgação


Antonio Guterres, secretário-geral da ONU, afirmou que este documento é uma, "confirmação sombria do fracasso da humanidade para afrontar os transtornos climáticos". Os combustíveis fósseis são um dos principais vilões e, segundo Guterres, é extremamente importante que seja feita uma transição para energias renováveis.

Vale lembrar que os últimos sete anos foram os mais quentes da história, ou seja, estamos passando por extremos violentos de temperatura e a única forma de mudarmos isso é alterando a forma como exploramos nosso meio-ambiente.
Redação AssisCity
Elisa Barbosa
Elisa é advogada atuante na área de migração pelo Instituto ProBono e ProMigra/USP, mestre pela UNESP e consultora em ESG - OAB/SP 365.622
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM