02 de Julho de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Tesla fora do índice S&P 500 ESG, da Dow Jones, e a manifestação de Elon Musk: "ESG é uma farsa."

COLUNISTA - Elisa Barbosa

O índice Dow Jones é um dos indicadores financeiros de maior importância no mundo. Sua relevância é grande porque reúne a cotação em bolsa de empresas com expressivo destaque no país norte-americano e, por consequência, também para a economia mundial.

O S&P 500 representa as 500 empresas mais importantes da Bolsa de Valores de Nova York. Este é, provavelmente, o índice mais importante do mundo. Sua diferença para o índice Dow Jones está na metodologia e na seleção diversificada de ativos.

Na sua última atualização anual, a S&P Dow Jones retirou a Tesla, montadora de carros elétricos de Elon Musk, do seu índice S&P 500 ESG, que usa dados ambientais, sociais e de governança para classificar e recomendar efetivamente as empresas aos seus investidores.

De acordo com Maggie Dorn, diretora sênior e chefe de índices ESG para a América do Norte da S&P Dow Jones Índices, a Tesla saiu do índice por conta da sua estratégia de baixo carbono e de seus códigos de conduta empresarial. Além disso, problemas denúncias de racismo e más condições de trabalho na fábrica da Tesla em Fremont, Califórnia, também afetaram sua pontuação.

Divulgação - Elisa Barbosa, especialista em ESG - Foto: Divulgação
Elisa Barbosa, especialista em ESG - Foto: Divulgação


Por causa disso, Elon Musk se pronunciou no Twitter. Em uma sequência de tweets, ele afirma que: "A Exxon é classificada como uma das dez melhores do mundo em meio ambiente, social e governança (ESG) pelo S&P 500, enquanto a Tesla não entrou na lista! O ESG é uma farsa. Foi armado por falsos guerreiros da justiça social."

No entanto, ainda que a Tesla seja conhecida pela fabricação de carros elétricos e pela promoção do uso de energias sustentáveis, no quesito social e de governança a empresa não cumpriu com as exigências necessárias para ser, de fato, uma empresa que se enquadra nos parâmetros ESG. É necessário que as empresas se preocupem, além da sustentabilidade, com a transparência, responsabilidade social, ambiente de trabalho adequado, diversidade, justa remuneração, dentre outros. E nisto, a Tesla, de acordo com a S&P 500, tem deixado a desejar.
Divulgação - Elisa Barbosa
Elisa Barbosa
Elisa é advogada atuante na área de migração pelo Instituto ProBono e ProMigra/USP, mestre pela UNESP e consultora em ESG - OAB/SP 365.622
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM