07 de Dezembro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Comportamento

6 maneiras de apoiar seu parceiro quando ele sofre de ansiedade

Se seu cônjuge sofre de ansiedade, apoie-o com estas dicas. Não desanime, pois verá que, em breve, ele vai sair dessa.

* por Adriana Acosta Bujan

Todos nós já experimentamos emoções como medo ou pânico quando estamos em perigo. Esse sentimento de angústia que experimentamos é uma reação natural gerada inconscientemente pelo cérebro gera para nos ajudar a enfrentar os perigos ou qualquer situação da qual precisamos nos defender e fugir para sobreviver.

No entanto, sentir medo pode não ser tão normal quando é experimentado com frequência na ausência de um perigo real; isso é conhecido como ansiedade.

A ansiedade pode ser reconhecida quando há sintomas como preocupação, insegurança, dificuldade em tomar decisões, pensamentos negativos, medo de perder o controle de uma situação, dificuldade de concentração; inclusive sudorese, tensão muscular, dores de cabeça, entre outros.

Quando identificamos esses sintomas em nosso cônjuge, devemos apoiá-lo imediatamente. Segundo especialistas, a ansiedade pode estar relacionada a problemas de saúde como diabetes, doenças cardíacas, problemas de tireoide, entre outros.

Devemos consultar um especialista em vez de ignorar o problema, pois as consequências podem ser fatais, como depressão, dificuldade para dormir e, o pior de tudo, tentativa de suicídio.

Como apoiar e ajudar nosso cônjuge
Uma vez que seu marido ou mulher tenha o diagnóstico de um especialista e esteja em tratamento, você pode apoiá-lo das seguintes maneiras:

1. Sendo empático
Muitas vezes, deixamos de ter empatia por nosso cônjuge por ele alegar que seus medos e o pânico que sente são reais, embora saibamos que não há perigo algum. Naturalmente, isso pode desencadear conflitos no casamento. Por isso, devemos aprender a ter empatia com ele, compreendendo seu mal-estar, pois, embora não haja perigo real, devemos saber que para ele existe.

O que pode fazer? Ouça-o com atenção, diga-lhe que compreende como se sente, proporcione um ambiente de segurança e lembre-se de nunca invalidar seus sentimentos, pois ele sentirá rejeição e isso pode prejudicar gravemente sua autoestima por sentir que não é amado e compreendido.

2. Não diga a ele que seu medo não é real
Se tentar explicar a ele que seus sentimentos não são reais, ele se sentirá um idiota. É melhor deixá-lo dizer o que sente e qual é a origem dos seus medos, para que o possa compreender e, assim, ser capaz de ajudar antecipando-se às situações que o levam a sentir ansiedade.

Por exemplo, talvez seu cônjuge fique ansioso pelo estrese gerado com a carga de trabalho ou por não conseguir atender às necessidades da família. Então, é hora de apoiar e ajudar a aliviar sua carga.

3. Ajude-o a distrair a mente
Não sugiro, aqui, que se torne o bobo da corte para divertir seu cônjuge, pelo contrário, é um bom momento para implementar estratégias de convivência e, assim, sair da rotina e quebrar a monotonia.

Lembre-se, para pessoas que sofrem de ansiedade, um dia sem sentir medo é o máximo, portanto é muito útil e solidário distrair seu cônjuge fazendo coisas fora da rotina. Talvez seja bom para ele sair para comer em um restaurante, passear no parque, fazer alguma atividade física entre outras ideias.

4. Mostre seu amor
Um dos medos frequentes de algumas pessoas que sofrem de ansiedade é ser abandonado ou deixar de ser amado pelo cônjuge, por terem esta doença. Por isso é fundamental que você demonstre seu carinho de diferentes maneiras. Pode ser fisicamente, com abraços, beijos, carícias, encontros íntimos; ou com qualquer gesto carinhoso, como cartas, mensagens etc.

Ele deve se sentir protegido e seguro ao seu lado; portanto, nunca pare de demonstrar o quanto ele é importante para você e que você o ama como ele é.

5. Não o trate como doente
É difícil continuar vivendo da mesma forma ao ver seu ente querido sofrendo, porém, é preciso continuar com sua própria vida, ou seja, evitar mudanças radicais em sua rotina ou estilo de vida. Assim, seu parceiro se sentirá apoiado quando você parar de tratá-lo como uma pessoa doente.

Agora, você pode permanecer atento(a), mas sem dar muito na cara, para que seu cônjuge não se sinta inútil e não ache que está sendo um estorvo que só lhe causa dor e sofrimento. Por isso é recomendável continuar com o mesmo estilo de vida, sem mudar nada, para que seu parceiro se sinta amparado, sem que isso afete sua autoestima.

6. Motivar
Estabelecer novas metas e objetivos é uma forma eficaz de motivar seu cônjuge e, assim, fazer com que ele se sinta bem. Quando vocês dois definem objetivos e trabalham juntos para alcançá-los, ele se sentirá apoiado e motivado.

Lembre-se de traçar metas a curto prazo que possam ser alcançadas rapidamente. Assim, ambos vão se sentir satisfeitos e felizes.

Ter ansiedade é um problema que, sem dúvida, deve ser diagnosticado e tratado por um especialista. Porém, sua ajuda e apoio em casa serão importantes para que seu marido ou mulher possa se curar e se sentir bem. Lembre-se de que o amor pode curar tudo e que, juntos, vocês vão vencer essa.

Traduzido e adaptado por Erika Strassburger, do original 6 maneras de apoyar a tu pareja cuando sufre de ansiedad
https://www.familia.com.br/
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM