07 de Dezembro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Comportamento

Por que o Linux é considerado o sistema operacional mais seguro?

Saiba mais sobre os sistemas Linux e por quais motivos eles são melhores e mais confiáveis, além de como se proteger melhor contra ameaças

Os sistemas operacionais baseados em Linux são considerados os mais seguros e há fatos que comprovam isto. Apesar de não haver nenhum tipo de sistema operacional, programa ou recurso completamente seguro, sistemas Linux são efetivamente superiores em termos de proteção ao usuário.

Estas vantagens comparativas ficam ainda melhores com recursos adicionais de proteção.

O que torna o Linux o melhor sistema operacional?
Se você tem um mínimo contato com tecnologia, então é praticamente impossível não ter sequer ouvido falar no Linux. Ele é um OS (sistema operacional) construído com base no Linux Kernel, compatível com praticamente qualquer tipo de arquitetura e distribuído em várias versões (também chamadas de distros ou distributions).

Ubuntu, Redhat, Cent OS, openSuse, Fedora e Mint são alguns exemplos de versões do Linux bastante difundidas. Elas são usadas tanto por usuários individuais quanto para manter plataformas em nuvem, servidores e outros usos empresariais mais complexos.

Há vários fatores que fazem do Linux, em suas várias versões distribuídas, o sistema operacional mais confiável e transparente disponível.

Fonte: Wikimedia


Código aberto
O Linux é um sistema operacional em open source (código aberto). Isto significa que o código é desenvolvido e mantido por várias pessoas que são entusiastas em tecnologia e aprimoram o sistema operacional continuamente. Além disto, as melhorias não dependem de uma empresa ou equipe centralizada, já que são feitas abertamente por qualquer pessoa que estude o sistema.

É mais fácil encontrar falhas e vulnerabilidades e, assim, corrigir cada uma delas. Isto faz do Linux um sistema operacional transparente e bastante confiável, com melhorias constantes, rápidas e dinâmicas e uma comunidade de entusiastas que realmente produzem o sistema de acordo com suas necessidades, e não as necessidades de uma empresa específica.

Então, os usuários não lidam com um código fechado obscuro, mas com um sistema que podem verificar e conhecer por dentro.

Mais segurança
O principal elemento que faz do Linux um sistema operacional realmente bom é o quanto ele é seguro em comparação com seus concorrentes. E há vários fatores para isto. Um deles é o fato de ser feito em código aberto, como mencionamos anteriormente.

Outro fator são os níveis mais avançados e maior categorização para privilégios administrativos. Com esta categorização, os riscos de um malware infectar o dispositivo e chegar até o "centro" do sistema, fazendo alterações graves nele, é bem menor em comparação com sistemas concorrentes como as versões do Windows.

SELinux
Outro recurso interessante é o SELinux (Security-Enhanced Linux, ou "Linux com segurança aprimorada"), uma melhoria de segurança que permite aos usuários e administradores ter mais controle sobre os níveis de acesso ao sistema. Isto diminui muito o poder de ação de hackers dentro do sistema.
O SELinux permite aprimorar os requisitos de controle, dando ao perfil do administrador a capacidade de definir o que um processo ou um usuário pode e deve fazer. O SELinux representou um novo avanço em segurança para os sistemas Linux.

Patches constantes
O Linux conta com melhorias constantes e aprimoramentos disponibilizados na forma de patches que podem ser baixados em websites específicos para o sistema e em comunidades de usuários.

A rapidez para corrigir problemas significa que as vulnerabilidades não ficam abertas por muito tempo, o que também ajuda a transformar os sistemas Linux em plataformas muito mais seguras.

Dinamismo e versatilidade
Outra grande vantagem do Linux é o fato de ele ser compatível com praticamente qualquer arquitetura, processador e dispositivo. A versatilidade do Linux é tanta que ele pode ser usado por qualquer pessoa para praticamente qualquer função.

Para empresas, o sistema representa uma economia em termos de custos e uma melhor execução em várias tarefas, como organização e manutenção de servidores e serviços em nuvem, por exemplo.

E, ao contrário do que pode parecer, você não precisa ser um especialista em tecnologia para aproveitar o sistema: a interface é bastante intuitiva e há vários tutoriais sobre os principais recursos do Linux, voltados especialmente para leigos.

Nada é perfeito
Apesar de todas estas vantagens, nenhum sistema é perfeito, nem mesmo as distribuições Linux. Há uma quantidade crescente de malware contra elas, principalmente para afetar serviços em nuvem e realizar ataques DDoS (Distributed Denial of Service, ou "distribuição de negação de serviço") contra servidores com base em Linux.

Usuários do Linux também devem tomar cuidado contra hacking, phishing, malware e todas as outras ameaças cibernéticas que afetam outros sistemas. Usar sistemas Linux reduz sim muitas vulnerabilidades, mas a forma de usar estes sistemas influencia diretamente no nível de segurança do usuário - mais do que o próprio sistema.

Como se proteger?
Você pode melhorar sua segurança adotando alguns comportamentos mais responsáveis.
- Ter um bom antivírus profissional e manter um firewall sempre ativo é o básico. Também é muito importante manter todas as atualizações do sistema em dia, além dos programas que você usa.
- Outra dica importante para melhorar a segurança do seu Linux é ter uma VPN confiável. Com uma VPN para Linux, sua conexão fica criptografada e protegida. Configurar uma VPN direto no roteador faz com que todos os dispositivos conectados à rede sejam incluídos na proteção proporcionada pela VPN.
- Além disto, é essencial tomar muito cuidado com mensagens estranhas, principalmente acompanhadas de links e anexos suspeitos.
Com comportamentos responsáveis e sistemas confiáveis como o Linux, as chances de sofrer com alguma ameaça cibernética são muito menores.
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM