30 de Outubro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Vereador de Tarumã é acusado de pedofilia

Foi instaurada uma CEI e ele poderá ser afastado ou cassado

Vereadores de Tarumã aprovaram por unanimidade a instauração de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar se houve infração político-administrativa do vereador acusado pelo pai de uma criança de 12 anos, de pedofilia, em meios virtuais.

A Comissão foi instaurada pela Câmara no dia 16 de setembro em Sessão Ordinária após ter recebido em 1º de setembro o Ofício 237/2020 do delegado Matheus Orlandi Buchaim, com protocolo nº 656, em que consta cópia do Boletim de Ocorrência nº 218/2020.

Do Boletim consta que o pai de uma criança de 12 anos denuncia o vereador que no dia 14 de junho desse ano teria solicitado através do aplicativo Messenger da rede social Facebook, fotos das partes íntimas de seu filho.

De acordo com a procuradora da Câmara de Tarumã, Eliane Milk, no Boletim de Ocorrência apresentado pelo delegado, o pai relata que o vereador teria pedido fotos das penas, coxas, barriga, costas e bumbum da criança.

"Ao que consta do boletim, o vereador alegou que estaria avaliando as condições físicas da criança, já que possui um projeto esportivo. O delegado ouviu o pai da criança, a criança e o vereador; nós ainda não temos informações sobre como está este processo no Ministério Público, porém a Câmara não pode esperar para apurar o caso, visto a gravidade da denúncia, e então foi instaurada a CEI”, explica.

Eliane considera que a Comissão composta pelos vereadores Aparecido Siqueira (presidente), José Roberto de Almeida (relator) e Everson Luis de Camargo (membro) terá o prazo de 90 dias para apurar os fatos e, se comprovados que constituem infração político-administrativa, indicará as medidas regimentais a serem aplicadas.

O vereador poderá ser punido com um afastamento longo ou até a cassação de seu mandato, caso as acusações se confirmem.
"O vereador está afastado desde o dia 8 de setembro, com suspeita de COVID-19, e por isso não participou da sessão. Ele deve retornar aos trabalhos na próxima semana, mas até lá os vereadores já deverão ter votado se ele será afastado ou não”, conclui.
Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM