24 de Novembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » DESTAQUE

Inteligência Emocional dinamiza empresas e torna-se um dos requisitos para recrutadores brasileiros

Saiba como treinar a sua inteligência emocional

Apesar de conceitos como inteligência motora, interpessoal ou até linguística serem alvo de um abrangente estudo ao longo dos anos, o cérebro continua a ser investigado e, mais recentemente, foi descoberto um novo tipo de inteligência: a emocional.
Desafiante e intimista, esta inteligência é cada vez mais valorizada no mundo do trabalho e chega mesmo a ser determinante num processo de recrutamento. Venha descobrir o porquê!

Característica por estar diretamente relacionada à componente dos sentimentos, a definição de inteligência emocional baseia-se na compreensão, processamento e gestão das emoções individuais, o que se reflete na capacidade de raciocínio. Nesse sentido, desenvolver e aprimorar este tipo de inteligência gera vários benefícios, como melhorar o entendimento do outro ou saber reagir de forma mais ponderada.

E se questionar qual a relação entre a inteligência emocional e a empregabilidade no país, a resposta é bem simples: as empresas brasileiras valorizam mais a habilidade comportamental do que a competência técnica.

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela empresa PageGroup, as organizações reconhecem a importância da inteligência emocional ao colocarem-na como a habilidade mais crucial ao escolherem um colaborar, representando 42,9% das respostas dos entrevistados e estando seguida de fatores como o comportamento em equipe e a assertividade do diálogo. Além disso, a pesquisa colocou o Brasil em destaque ao ser considerado o país que mais aposta nestas questões, uma vez que 62,4% das suas empresas fazem este tipo de investimento. Com isto, o panorama nacional indica um grande progresso na qualidade dos seus negócios e chega mesmo a ultrapassar potências empresariais da América Latina como a Colômbia e o México.

Na verdade, a inteligência emocional é determinante no mercado de trabalho ao permitir a líderes e colaboradores trabalharem em maior harmonia. Se este tipo de inteligência for desenvolvido por parte dos funcionários de uma organização, melhores negociações serão executadas, os problemas serão facilmente solucionados, o ambiente empresarial vai ser mais agradável e a produtividade dos trabalhadores vai aumentar. Por isso, são criados vários cursos dedicados ao desenvolvimento destas aptidões e existem canais de YouTube totalmente brasileiros que se debruçam no desenvolvimento pessoal, como acontece com o "SejaUmaPessoaMelhor", um canal que explica e desmistifica conceitos como a inteligência emocional através de desenhos e gráficos narrados.



Faça a gestão das suas emoções de forma animada

A melhor forma de alcançar o máximo potencial da sua inteligência emocional é treinar, treinar e... isso mesmo, treinar! Para isso, existem inúmeras ferramentas que trabalham estas questões, desde as mais práticas e lúdicas até abordagens totalmente teóricas.



Assim, melhorar este tipo de inteligência pode até mesmo ser divertido, uma vez que os jogos se apresentam como excelentes formas de trabalhar as emoções. Exemplo disso é o jogo Hearts of Iron IV que, ao se desenrolar durante a Segunda Guerra Mundial, permite aos jogadores explorarem a sua visão estratégica e aprimorarem a sua gestão de conflito. Também o jogo Prison Architect apresenta vantagens no que diz respeito ao desenvolvimento da inteligência emocional: o jogo acontece em um ambiente presidiário e espera que os jogadores respondam com tranquilidade a problemas de relacionamento entre os personagens. Por sua vez, os jogos de cassino online como o blackjack também trazem vantagens para o desenvolvimento destas aptidões. Ao envolver cartas e várias opções de jogada (pedir, parar, dobrar e abrir), este jogo obriga o participante a aprimorar a leitura do ambiente que o rodeia e a desenvolver o autocontrole.

Por outro lado, se você quiser entender o conceito de inteligência emocional de uma outra maneira, existem diversas leituras às quais pode recorrer. "Bússola para Navegadores Emocionais", de Elsa Punset, é uma delas e, no formato de um manual, aprofunda o tema através de uma perspectiva pessoal. Por sua vez, o jornalista Daniel Goleman lançou um dos clássicos sobre o assunto. A obra intitulada de "Inteligência Emocional" inclui temas como o papel do líder e a evolução individual.

Desta forma, o reconhecimento da inteligência emocional como ferramenta de trabalho veio revolucionar o sucesso dos negócios. Por isso, colaboradores e empregadores trabalham em conjunto de maneira a incrementarem ao máximo estas aptidões e, assim, melhorarem a produtividade da organização.
Divulgação
+ VEJA TAMBÉM