21 de Outubro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » EDUCAÇÃO

Prouni: inscrições para bolsas remanescentes vão até dia 30 de setembro

Programa dá bolsas de estudo parciais e integrais em universidades particulares. Portal de inscrições voltou a funcionar, após problemas técnicos relatados por candidatos

As inscrições para as bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni), abertas na terça-feira (15), vão até 30 de setembro. Depois de um primeiro dia de problemas técnicos relatados por candidatos, o acesso ao site está normalizado.

O Prouni dá bolsas de estudo parciais e integrais em universidades particulares. Nesta etapa, estão sendo ofertadas mais de 90 mil vagas que ainda não foram ocupadas para o segundo semestre. São bolsas que "sobraram" após desistências ou falta de documentação dos candidatos pré-selecionados no processo seletivo.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), haverá apenas esta fase de inscrição para bolsas remanescentes - ela inclui tanto quem já está matriculado no ensino superior e busca um desconto na mensalidade, como quem ainda quer ingressar na universidade.

Quem pode participar do Prouni?

Para participar, o candidato precisa ter feito a edição 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não pode ter um diploma do ensino superior. Também é preciso se enquadrar em um dos seguintes critérios de renda:

Para concorrer às bolsas integrais: renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário mínimo (R$ 1558,5 - pelo salario mínimo nacional)

Para concorrer às bolsas parciais (50% de desconto na mensalidade): renda familiar bruta mensal per capita de até 3 salários mínimos (R$ 3117 - pelo salario mínimo nacional)

Além disso, é preciso se encaixar em pelo menos uma das seguintes situações:

ter cursado o ensino médio inteiro em escola pública;

ter cursado o ensino médio em escola privada, com bolsa integral;

ter cursado o ensino médio parcialmente em escola privada, desde que na condição de bolsista integral;

ter alguma deficiência;

ser professor do quadro permanente de uma escola pública (nesse caso, o critério de renda familiar não se aplica).
G1
+ VEJA TAMBÉM