17 de Setembro de 2021
20º/30º
Notícias - Saúde

Assisense vence a COVID-19 e enaltece profissionais da linha de frente

Para Osmar, os profissionais da saúde foram essenciais para sua recuperação

Após ter 90% de seu pulmão comprometido, Osmar Pereira da Silva, de 52 anos, viu nas mãos dos médicos, enfermeiros, auxiliares e fisioterapeutas, a chance de vencer a COVID-19, continuar vivo e voltar para a casa.

"Eu tive muito medo, quando já não conseguia respirar, meu medo aumentou. Ser intubado era uma ideia aterrorizante, mas em todas as vezes que eu pensava que não conseguiria, meus médicos me incentivaram a lutar contra essa doença", relembra Osmar.

O escriturário testou positivo e após uma primeira tomografia, identificou 40% de seu pulmão tomado pela COVID-19 e foi para a Unidade de Pronto Atendimento de Assis (UPA).

"Quando fui na UPA, já pediram minha internação imediatamente, pois não conseguia respirar direito e tinha muita dor na garganta. No outro dia consegui vaga na Santa Casa de Assis e ali estavam as pessoas que me incentivariam a continuar lutando", conta Osmar.

Divulgação - Osmar Pereira da Silva, 52 anos
Osmar Pereira da Silva, 52 anos


No dia 23 de maio, ao dar entrada na Santa Casa de Assis, a equipe médica administrou uma medicação forte para controlar a infecção.

"Na primeira semana estava muito debilitado e nervoso, mas os médicos me acalmaram, cuidaram de mim e não mediram esforços para salvar minha vida. Após isso, no dia 28 de maio, realizei uma nova tomografia, que acusava 90% do meu pulmão comprometido. Fiquei nervoso novamente, mas os médicos e enfermeiros conversaram comigo e garantiram que não precisariam me intubar e que iriam me tratar. Isso me deixou mais calmo", declara o escriturário.

Aos poucos Osmar foi sentindo a melhora, as dores cessaram e a febre também, a falta de ar estava mais controlada e os médicos afirmaram que ele poderia continuar os cuidados em sua casa, fazendo uso de oxigênio.

"No dia 24 de junho, após ter o cilindro de oxigênio instalado na minha casa, eu recebi alta do hospital. Esse cilindro que usei, consegui por meio da Prefeitura de Assis e hoje em dia estou me recuperando em casa, muito bem. Graças a Deus venci essa batalha", agradece Osmar.

Osmar faz agradecimentos e ainda relata que em nenhum momento Deus o abandonou.

"Primeiramente agradeço a Deus, que esteve do meu lado em todos os momentos difíceis, agoniantes e preocupantes, agradeço a todos meus amigos e familiares que oraram por mim e em especial a equipe médica que cuidou de mim, tanto no Hospital e Maternidade de Assis, onde realizei minha primeira tomografia, na UPA onde recebi o primeiro tratamento, e na Santa Casa. Enfermeiros, técnicos, médicos, fisioterapeutas, equipe de limpeza, cozinha e recepção, esses são os verdadeiros anjos dessa pandemia", finaliza Osmar.
Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM