04 de Dezembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Ciclismo torna-se atividade física alternativa durante pandemia

Comércio de bikes praticamente dobrou

Em março as atividades físicas em grupo e academias foram suspensas para evitar aglomerações e possível transmissão do novo Coronavírus. Com isso, os amantes da prática de atividade física tiveram que se reinventar para não caírem na ociosidade. O novo estilo de vida imposto a esse grupo de pessoas que têm a atividade esportiva como hábito, é o responsável pelo destaque que o ciclismo passou a ter em suas vidas, e consequentemente, as bikes tornaram-se as queridinhas do momento .

Em Assis, isso não foi diferente e o esporte ganhou espaço desde o início da pandemia e tornou-se muito mais comum grupos pequenos se reunirem para pedais, não somente nas áreas urbanas, mas também nas áreas rurais com trilhas cheias de emoção. Por outro lado, há aqueles que optaram pedalar sozinhos ou com apenas uma companhia. É o que diz Carolina Tangerino, que juntamente com o marido continuaram pedalando, preferencialmente, somente os dois, ou grupos pequenos, como medida preventiva.


Divulgação - Carolina e seu marido Sérgio Mello mantiveram as atividades durante a pandemia
Carolina e seu marido Sérgio Mello mantiveram as atividades durante a pandemia



"Nós não estamos pedalando em grupos grandes, mesmo sendo um esporte 'individual' preferimos evitar as aglomerações e confraternizações dos grupos. Por isso, pedalamos sempre eu e meu marido; às vezes um amigo se junta a nós, mas sempre vamos de máscara e tomamos muito cuidado", conta Carolina.

Divulgação - Casal pedala sempre de máscara e evitam grandes grupos
Casal pedala sempre de máscara e evitam grandes grupos


Em entrevista ao Portal AssisCity, o proprietário de uma loja de bicicletas da cidade, Wagner Cesar Melchiotti, declara que o aumento na procura de bicicletas foi muito significativo, em comparação ao mesmo período de 2019.

"A procura por bicicletas praticamente dobrou nesse período. Em abril estourou a procura. Vendemos cerca de 100 bicicletas por mês desde o início da pandemia. A maior justificativa dos nossos clientes era a necessidade de continuar se exercitando, poder praticar um exercício ao ar livre", explica.

Além do aumento de compras das bicicletas novas, também houve uma grande busca por concerto das bikes paradas em casa e até mesmo a compra de usadas.

"Nós vendemos todas as nossas bikes usadas, não temos mais em estoque e também fomos muito procurados para manutenção e reparo de bikes que estavam paradas em casa", conta Wagner.

Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM