09 de Agosto de 2022
20º/30º
Notícias - Local

Conselheiros da FEMA votam pela permanência de Arildo e Vella em seus cargos

A votação foi secreta e teve 8 votos favoráveis à permanência dos dirigentes e 6 votos contrários.

Conselheiros da FEMA se reuniram na noite dessa quarta-feira, 3 de agosto, e deliberaram pela permanência em seus cargos do seu presidente Arildo Almeida e diretor executivo da instituição Eduardo Vella. Eles são investigados por supostas irregularidades praticadas na instituição e o caso já está sendo apurado pela Justiça, Polícia Civil e Câmara Municipal de Assis, após instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

A votação foi de 8 votos favoráveis à permanência dos dirigentes e 6 votos contrários.

No grande expediente foi dada a palavra ao presidente da FEMA Arildo Almeida, que fez uma explanação sobre os temas que estão sendo questionados, lembrando que "a Justiça decidiu pela minha permanência no cargo até o final das investigações que estão sendo feitas pela Câmara, pela Polícia Civil, pelo Tribunal de Contas e pela própria Justiça. Então, não cabem julgamentos e devemos zelar pelos princípios constitucionais de cada cidadão".

Eduardo Vella também fez uso da palavra, destacou sua atuação de anos na instituição e explica que "o teto dos salários da instituição são reajustados anualmente e o Tribunal de Contas fez alguns apontamentos, mas despachou justificando que o teto salarial de professores universitários é compatível ao salário do Supremo, como ocorre em outras universidades. Assim, as contas até o ano de 2016 a 2018 aprovadas regularmente, a de 2019 e a de 2020 em recurso, com parecer favorável, e em fase pendente de julgamento. Portanto, devemos ponderar que existe amparo jurídico para o teto de professores de cursos superiores, independente do teto do salário do prefeito".

Vella também fez uma explanação sobre gastos e despesas da instituição, entre elas com viagens, licitações, contratos, entre outros, respondendo a vários requerimentos encaminhados à FEMA.

Ao final, Vella pediu que os conselheiros adotassem o princípio da presunção da inocência durante a votação para afastamento ou não dele e de Arildo.
Após a fala de Vella, o conselheiro professor Nilson Silva fez uso da palavra afirmando que "todas essas explanações e prestações de contas deveriam ter sido feitas em reuniões anteriores do Conselho Curador e que o valor recebido pelos professores assustam a todos considerando o cenário em que se encontram a classe de professores do país e o salário que recebem. Por isso tudo eu voto pelo afastamento do Arildo e do Vella".

AssisCity - Reunião dos Conselheiros da FEMA foi realizada na noite desta quarta-feira
Reunião dos Conselheiros da FEMA foi realizada na noite desta quarta-feira


O conselheiro Fernando Pícolo posicionou-se sobre uma votação interna feita entre os professores sobre o afastamento ou não dos dirigentes e apresentou os seguintes números: "de 186 professores, 112 opinaram pelo não afastamento e 54 pelo afastamento. Eu não acredito que todos esses professores votaram sob pressão".

Hélio Paiva, que já foi Presidente da FEMA, diz que está ali para exercer sua função de forma legítima e para fiscalizar. "Não é simples assim, nós temos que entender o processo para poder votar e tudo isso deveria ter sido apresentado aos conselheiros quando solicitado".

Foi pedida a suspensão do voto do prefeito José Fernandes, não acatado pelos conselheiros, e do presidente Arildo Almeida, por ser parte da investigação.

A votação foi feita de forma secreta, a pedido de Nilson Silva, aprovado pelos demais conselheiros.

AssisCity - O auditório da FEMA ficou lotado
O auditório da FEMA ficou lotado

Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ NOTÍCIAS RELACIONADAS
+ VEJA TAMBEM