26 de Maio de 2022
20º/30º
Notícias - Local

Especial Dia das Mães: Casal realiza sonho de ser mães por meio da Fertilização In Vitro

Amanda Rusiska Piovezani e Gesiele Almeida Barros viveram dias de angústia na UTI Neonatal antes de trazer Benjamim para a casa

Benjamim, o filho da felicidade, este foi o nome escolhido para o primeiro filho das mamães orgulhosas e realizadas, Amanda Rusiska Piovezani, de 35 anos e Gesiele Almeida Barros, de 37.

Essa história começa em 2008, quando as duas se conheceram e se apaixonaram, namoraram por seis anos e se casaram, desse amor vieram os planos, os sonhos e a vontade de se tornarem mães.

"Primeiro nos tornamos mães da Fryda, nossa cachorra linda e amorosa, mas queríamos um bebê, sempre sonhamos com isso e então entramos na fila de adoção, foram três anos esperando pela chance de adotar, mas conhecemos a Fertilização In Vitro (FIV)", explicou Amanda.

Divulgação - Amanda, Gesiele e Fryda - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Amanda, Gesiele e Fryda - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal


Primeiros passos
Em 2020 o casal iniciou o tratamento, e na primeira tentativa Amanda sofreu um aborto espontâneo, após cinco semanas de gestação.

Na segunda tentativa, Amanda e Gesiele resolveram aumentar as chances e implantaram dois embriões e o resultado foi uma linda gestação gemelar, do Lucca e do Benjamin.

Divulgação - Gestação de Lucca e Benjamim - Foto: Divulgação Arquivo Pessoal
Gestação de Lucca e Benjamim - Foto: Divulgação Arquivo Pessoal


A gestação
Tudo ia bem até a 18º semana, quando as mamães descobriram um problema, o colo curto, que causou uma dificuldade em segurar a gravidez. "A bolsa de um dos gêmeos começou a querer romper, tive que fazer cerclagem, conseguimos segurar até a 23º semana e dois dias, quando as emoções do trabalho de parto aconteceram, parto normal, e os meninos nasceram", contou Amanda.

Lucca viveu bravamente por 11 dias, mas não resistiu, e Benjamin seguiu internado na UTI Neonatal por 4 meses, lutando dia a dia os desafios do desenvolvimento em uma incubadora.

Mães de UTI
Benjamin Rusiska Barros veio ao mundo no dia 4 de setembro de 2021, e lutou bravamente ao lado de suas mães para poder viver com amor e saúde.

"Ser mães de UTI é uma desafiadora missão, porta adentro da UTI vive-se com altas doses de fé, amor e ciência, hoje olhamos com carinho essa fase, mas não foi fácil", relembrou Amanda.

Divulgação - Benjamim, 8 meses - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Benjamim, 8 meses - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal


Para manter o leite materno, Amanda frequentava o lactário a cada 3 horas, fato que proporciona ao Ben livre demanda exclusiva.

O amor de ser mãe
"Ele é o nosso tão sonhado desejo de maternar, é muito mais do que esperávamos", se emocionam Amanda e Gesiele.

O casal completa 14 anos juntas em 2022 e agradecem a Deus pela vitória e a realização do sonho de se tornarem mães.

"Aprendemos dia a dia com sua força de viver, ao acordar assustado e ver nosso rosto, abre um sorriso doce cheio de confiança e amor. Desejamos de coração que possamos sempre ser seu porto seguro", declararam.

Divulgação - Amanda, Benjamim, Fryda e Gesiele - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Amanda, Benjamim, Fryda e Gesiele - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal


Com oito meses ao lado de Ben, as duas falam sobre a alegria de passarem o primeiro dia das mães juntas.

"Gratidão a Deus pela vida e oportunidade de vivermos a nossa tão amada família e hoje comemoramos o nosso primeiro dia das mães, no caso duas e com nossos amores, Benjamin e Fryda", finalizaram.
Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM