06 de Março de 2021
20º/30º
Notícias - Local

Motoristas de aplicativo reclamam da alta nos valores de combustíveis em Assis

Existem aproximadamente 1.500 profissionais na cidade

A alta nos valores dos combustíveis afeta diretamente e indiretamente toda a população brasileira. Além do preço alto para aqueles que dependem do carro para se locomover, ainda há os profissionais de aplicativos, entre outros, que dependem diretamente desse produto para exercerem sua profissão.

Segundo o motorista Valdinei José da Silva, nos quatro anos em que trabalha como Uber, em nenhum momento as tarifas do aplicativo tiveram reajustes. "Cada dia para nós, motoristas, fica mais difícil, pois o desgaste do veículo e a desvalorização do nosso investimento é diário, e ainda mais com o aumento de combustível que tem sido frequente. Com isso nossos gastos fogem do controle", reclama.

Para André Luis Machado, motorista de aplicativo há dois anos, a dificuldade aumentou com a pandemia. "Muitos pais de família perderam seus empregos e acabaram migrando para trabalhar com os aplicativos de transporte. Exemplo disso é que quando comecei com o Uber éramos 180 carros, hoje já passa de 1.500 profissionais, então, além de todo o desgaste com a conservação do veículo e com a competitividade, ainda sofremos com a alta do combustível", explica o motorista.

Houve reajustes da refinaria na ordem de 15,2% Diesel e 10,2% na gasolina. Esta é a nona semana consecutiva de alta no preço desse produto. "Os valores do aplicativo não acompanham a alta nos valores de combustível e assim fica cada vez mais difícil para nós", lamenta André.

O motorista ressalta ainda que pare os trabalhadores da área é comum escolher os postos que estão mais em conta. "Não tá dando para dar preferência, então os motoristas buscam os lugares mais baratos, ou então, postos que nos oferecem descontos", contou André.

Valdinei fala ainda sobre os custos com mecânicas, auto-elétricas e outros serviços diários que precisam acionar para manter os carros em bom funcionamento e de uma parceria entre os profissionais que alivia um pouco os valores a serem pagos em serviços.

"Além de lidar com o valor absurdo do combustível, ainda temos despesas com os carros. Tivemos que montar um grupo e fechamos algumas parcerias com oficinas para dar um desconto para quem é motorista de aplicativo. A gente vai se encaixando para poder continuar com nosso trabalho", finaliza Valdinei.
Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM