31 de Julho de 2021
20º/30º
Notícias - Local

SAMU completa 7 anos e já fez quase 100 mil atendimentos

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) completa 7 anos de operação interrupta em Assis e em mais 12 municípios da região.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) completou em 2021 sete anos de operação interrupta em Assis e em mais 12 municípios da região.
O Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema (CIVAP) aceitou em 2013 um dos maiores desafios propostos para o conselho de prefeitos que foi ser o gestor operacional do SAMU, serviço que ainda não existia na região.

As ambulâncias já haviam sido disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e já estavam em posse dos municípios; porém o serviço precisaria ser implementado, as equipes precisariam ser contratadas, o que foi feito pelo Consórcio que colocou em funcionamento o SAMU em junho de 2014.



Segundo a coordenadora do SAMU, Daniela Alvarez Batista, o serviço conta com uma Base Centralizada de Regulação e mais três bases descentralizadas.

"A sede do SAMU fica em Assis e contamos ainda com três bases nos municípios de Palmital, Paraguaçu Paulista e Tarumã, todas responsáveis por atender o município e a região 24 horas por dia", explicou Daniela.

Divulgação - Parte da equipe do SAMU Regional de Assis
Parte da equipe do SAMU Regional de Assis


Desde o início SAMU já atendeu 97.473 mil chamados em Assis, Borá, Candido Mota, Cruzália, Florínea, Lutécia, Maracaí, Palmital, Paraguaçu Paulista, Platina, Pedrinhas Paulista e Tarumã.

Dividido em três equipes, são 83 colaboradores, entre médicos reguladores, médicos intervencionistas, técnicos em enfermagem, controladores de frota, técnicos auxiliares de regulação médica, condutores de veículos de urgência, enfermeiros, farmacêutico, ajudantes de serviço, coordenadores geral, médico e de enfermagem.

Divulgação - Equipe de atendimento SAMU
Equipe de atendimento SAMU


SAMU e a pandemia

A rotina que sempre foi exaustiva para toda a equipe que, trabalha com pacientes que estão entre a vida e a morte foi intensificado desde o ano passado com o enfrentamento da COVID-19.

"As equipes tiveram mudanças radicais nas suas rotinas diárias, no que diz respeito aos atendimentos de Urgência. Foram novos treinamentos e processos de trabalho, desde a paramentação e desparamentação das equipes, higienização das viaturas, para o enfrentamento do desconhecido", ressaltou a coordenadora.

Em relação ao número de chamados ao SAMU, durante o período da Pandemia, aumentaram, porem diminuindo o número de chamados para outras hipóteses de diagnóstico, que eram mais frequentes antes do período da Pandemia.
Divulgação - Equipe de atendimento SAMU
Equipe de atendimento SAMU

Redação AssisCity
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM