13 de Abril de 2021
20º/30º
Notícias - Região

Ao ver o pai agredir a mãe com uma cadeira, menina de 9 anos aciona a Polícia Militar e homem acaba preso

Vítima segurava uma faca e um espeto para se defender quando os policiais chegaram no local.

Um homem de 33 anos foi preso no final da noite desta quarta-feira (3), no Conjunto Habitacional Brasil Novo, em Presidente Prudente. De acordo com o boletim de ocorrência, ele é acusado de ter agredido e ameaçado a companheira. A filha do casal que ligou para a Polícia Militar.

Ainda segundo o BO, os policiais foram acionados por meio do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) para atender uma ocorrência de violência doméstica em uma casa.

No local, a PM viu a mulher de 35 anos com uma faca e um espeto nas mãos, "toda ensanguentada". Ela disse aos policiais que havia sido agredida por seu companheiro com uma cadeira. A vítima disse que ainda foi xingada e ameaçada de morte e que para se defender pegou uma faca e um espeto.

A mulher disse também que havia contra o autor uma ordem judicial de afastamento. Mesmo assim, os "dois estavam morando juntos de novo".

O homem alegou aos policiais que durante uma "discussão por ciúmes" sua companheira pegou uma faca e um espeto e foi para cima dele. O autor justificou que jogou a cadeira para se defender.

"Já a filha do casal, de 9 anos, que estava no local, confirmou a versão da mãe e disse que ela que teria ligado ao 190 pedindo socorro", relatou a polícia.

A vítima foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento do Jardim Guanabara, onde foi medicada. Foi necessário dar três pontos na testa. Após os procedimentos, ela foi levada para a Delegacia Participativa.

Na unidade policial, mãe e filha foram ouvidas e "ratificaram as versões apresentadas aos militares".

Em interrogatório, o autor também manteve sua versão. Disse que tinha conhecimento da ordem de afastamento, mas que "voltaram a viver juntos". Ele confirmou que jogou a cadeira na mulher, mas que não a xingou e nem a ameaçou.

O caso foi registrado como lesão corporal, injúria, ameaça e descumprimento de medida protetiva de urgência.

Não foi arbitrada fiança e o homem permaneceu preso à disposição da Justiça.


G1
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM