SAÚDE

06/01/2017 -- 19:00

Criança nasce com microcefalia no Hospital Regional de Assis

Assis teve três casos de Zika Vírus em 2016

Facebook
Twitter
Google +
Whatsapp
Surgerir Pauta
Comunicar Erro

Os casos de microcefalia relacionados ao Zika Vírus em todo o País no final de 2015 e ao longo de 2016 assustaram diversas pessoas, especialmente as grávidas, já que o transmissor do Zika é o mosquito Aedes aegypti, comum em todo território nacional.

Em Assis, a informação mais recente da Secretaria Municipal da Saúde é que no final do ano passado uma gestante, moradora no Jardim Eldorado, deu à luz em dezembro no Hospital Regional, a uma criança com microcefalia. As autoridades ainda não confirmaram se o caso está relacionado ao Zika Vírus, mas a Vigilância Epidemiológica já está atenta e acompanhando o caso, que precisa ser investigado.

"A criança nasceu com um perímetro encefálico abaixo do normal, por isso ela se enquadra com microcefalia. A gravidez da mãe foi a termo, ou seja, o período gestacional foi adequado e o bebê não é prematuro. Agora a criança está sendo acompanhada, serão feitos exames para verificar a origem da microcefalia. Os exames são importantes para verificar se existe relação com o Zika Vírus, entretanto tem que se ter em mente que o problema também pode estar relacionado a outras doenças, como rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus, herpes e sífilis. Nem todo caso de microcefalia é relacionado ao Zika", explica a enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Assis, Nilsa Leite.

Nilsa informa que a criança deve ser acompanhada e o acompanhamento engloba trabalhos com neurologista, fisioterapeuta, oftalmologista e fonoaudiólogo.

"A confirmação se o caso de microcefalia é alusivo ao Zika será feita pelo Laboratório Adolfo Lutz, mas a princípio o bebê já está sendo acompanhado", acrescenta.

Até o momento em Assis foram confirmados 3 casos de Zika Vírus em 2016.

Cuidados

A enfermeira orienta as gestantes a se protegerem contra o Aedes aegypti, pois qualquer contaminação, seja pelo Zika, dengue ou até mesmo Chikungunya pode ser prejudicial à gravidez.

"As gestantes devem colocar roupas longas e proteger os pés para evitar que sejam picadas pelo mosquito. O repelente também é importante, mas o médico obstetra deve indicar o mais adequado, pois não é qualquer um que serve para as mulheres grávidas", orienta.

Por fim, Nilsa declara que um levantamento do número de gestantes será feito e conversas com obstetras também serão realizadas, para que sejam fornecidos repelentes às gestantes como forma de prevenção.


Nilsa Leite, enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Assis


Redação AssisCity/ Foto: Ilustrativa - Arquivo
Leia também!
CONFIRMADO
Saúde confirma primeiro caso de zika em Marília em 2017
Doença foi constatada em criança de um ano, moradora na área Leste. Ações de bloqueio do vetor estão sendo realizadas.
SUSPEITA
Moradores temem que macaco encontrado morto tenha como causa a Febre Amarela5
A suspeita de Febre Amarela não poderá ser comprovado por falta de material para análise
FIM DA GREVE
Greve da Santa Casa de Assis chega ao fim6
Jornada de 12 horas por 36 volta a ser respeitada
PRESERVE-SE
Gipa inicia Operação Carnaval
A Operação está distribuindo preservativos femininos e masculinos em diferentes locais
AMBULATÓRIO
AME ASSIS PROMOVE REUNIÃO COM MUNICÍPIOS DE REFERENCIA
O evento visou apresentar os serviços do Ambulatório aos novos secretários municipais de saúde e responsáveis pelo agendamento nos municípios
PREVENÇÃO
GIPA de Assis distribui 12 mil preservativos no Carnaval
Além de preservativos, o Grupo distribui folders explicativos e gel lubrificante
Acesse a versão clássica
Redecity. © 2017
Google Twitter Whatsapp Facebook