SAÚDE

06/01/2017 -- 19:00

Criança nasce com microcefalia no Hospital Regional de Assis

Assis teve três casos de Zika Vírus em 2016

Facebook
Twitter
Google +
Whatsapp
Surgerir Pauta
Comunicar Erro

Os casos de microcefalia relacionados ao Zika Vírus em todo o País no final de 2015 e ao longo de 2016 assustaram diversas pessoas, especialmente as grávidas, já que o transmissor do Zika é o mosquito Aedes aegypti, comum em todo território nacional.

Em Assis, a informação mais recente da Secretaria Municipal da Saúde é que no final do ano passado uma gestante, moradora no Jardim Eldorado, deu à luz em dezembro no Hospital Regional, a uma criança com microcefalia. As autoridades ainda não confirmaram se o caso está relacionado ao Zika Vírus, mas a Vigilância Epidemiológica já está atenta e acompanhando o caso, que precisa ser investigado.

"A criança nasceu com um perímetro encefálico abaixo do normal, por isso ela se enquadra com microcefalia. A gravidez da mãe foi a termo, ou seja, o período gestacional foi adequado e o bebê não é prematuro. Agora a criança está sendo acompanhada, serão feitos exames para verificar a origem da microcefalia. Os exames são importantes para verificar se existe relação com o Zika Vírus, entretanto tem que se ter em mente que o problema também pode estar relacionado a outras doenças, como rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus, herpes e sífilis. Nem todo caso de microcefalia é relacionado ao Zika", explica a enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Assis, Nilsa Leite.

Nilsa informa que a criança deve ser acompanhada e o acompanhamento engloba trabalhos com neurologista, fisioterapeuta, oftalmologista e fonoaudiólogo.

"A confirmação se o caso de microcefalia é alusivo ao Zika será feita pelo Laboratório Adolfo Lutz, mas a princípio o bebê já está sendo acompanhado", acrescenta.

Até o momento em Assis foram confirmados 3 casos de Zika Vírus em 2016.

Cuidados

A enfermeira orienta as gestantes a se protegerem contra o Aedes aegypti, pois qualquer contaminação, seja pelo Zika, dengue ou até mesmo Chikungunya pode ser prejudicial à gravidez.

"As gestantes devem colocar roupas longas e proteger os pés para evitar que sejam picadas pelo mosquito. O repelente também é importante, mas o médico obstetra deve indicar o mais adequado, pois não é qualquer um que serve para as mulheres grávidas", orienta.

Por fim, Nilsa declara que um levantamento do número de gestantes será feito e conversas com obstetras também serão realizadas, para que sejam fornecidos repelentes às gestantes como forma de prevenção.


Nilsa Leite, enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Assis


Redação AssisCity/ Foto: Ilustrativa - Arquivo
Leia também!
ESTUDO
Tuberculose é uma das principais causas de óbitos em pacientes com HIV
Ministério da Saúde registrou 69,5 mil casos novos da doença em 2016
IMUNIZAÇÃO
Saúde intensifica vacinação em crianças e adolescentes até sexta-feira, 28, em Assis
O objetivo é melhorar a cobertura vacinal para HPV, Meningo C e Hepatite B
DIFICULDADES
Bebê com doença grave passa pela terceira cirurgia e família precisa de ajuda8
Valentina sofre de onfalocele e faz tratamento no hospital da UNICAMP, em Campinas
MALES DO INVERNO
H3N2 pode se tornar tipo mais comum de gripe em 2017
Médico otorrinolaringologista reforça que idosos e crianças estão mais propensos a sofrer com sintomas da doença
IMUNIZAÇÃO
Assis registra 12 casos suspeitos de H1N1 no primeiro semestre deste ano2
Em 2016, foram 59 casos suspeitos, 12 confirmados e três óbitos no mesmo período
PREOCUPANTE
Índice de mortalidade por infarto pode aumentar até 30% no inverno1
Especialista explica quais os sintomas mais comuns, como se prevenir nessa época e qual o procedimento de emergência ideal;
Acesse a versão clássica
Redecity. © 2017
Google Twitter Whatsapp Facebook