Buscar no site

Marília confirma 3º caso de febre maculosa com morte de criança

Vigilância Epidemiológica da cidade alerta para a população evite áreas de risco

Assessoria de Comunicação

  • 17/11/23
  • 11:00
  • Atualizado há 3 semanas

A Prefeitura Municipal de Marília, por meio da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde, recebeu mais um resultado da análise laboratorial do Instituto Adolfo Lutz. A análise confirmou a presença da bactéria causadora da febre maculosa em um terceiro paciente de Marília. Trata-se de um menino de três anos de idade, que apresentou sintomas suspeitos e, infelizmente, veio a óbito no começo de outubro. Agora são três casos positivos confirmados, apenas dois deles com óbito e todos apresentaram sintomas após circularem pela zona rural do Distrito de Avencas.

O menino faz parte de uma mesma família em que três entes apresentaram sintomas semelhantes ao da febre maculosa, dois deles faleceram e um já passa bem. O Instituto Adolfo Lutz já havia entregado o resultado da investigação da mãe do menino, negando a presença de antígenos da doença. Entretanto, com a confirmação da doença no filho será realizado um novo exame da mãe.

O primeiro caso confirmado da doença foi de um homem, que visitou a zona rural de Avencas em junho deste ano e se recuperou bem. O segundo caso confirmado, de um agricultor local, trabalhava na colheita de laranja em Avencas quando apresentou os sintomas, indo a óbito. Há outro caso suspeito envolvendo um agricultor, mas em investigação.

Após quase dois meses de força-tarefa no distrito, toda a população urbana e rural foi visitada e orientada sobre o perigo. Os animais domésticos também foram analisados e a unidade de saúde local se tornou um ponto de referência e apoio da população. O foco dos carrapatos estrela (transmissor da doença) contaminados com a bactéria causadora da febre (do gênero Rickettsia) estão nas margens dos córregos da vizinhança, como da Prata ou do Pombo.

Divulgação - Marília confirma 3º caso de febre maculosa com morte de criança - FOTO: Divulgação
Marília confirma 3º caso de febre maculosa com morte de criança - FOTO: Divulgação

A força-tarefa montada com apoio da Vigilância Epidemiológica e Vigilância Ambiental do Município envolveu também órgãos estaduais como o Instituto Pasteur e núcleo regional do CCD (antiga Sucen). O alerta é para que a população evite esses locais. "Aqueles que por ventura ou necessidade precisarem frequentar esses locais e apresentarem sintomas como febre, dor no corpo, manchas e histórico de picada de carrapato devem procurar imediatamente uma unidade de saúde para o uso precoce de antibiótico. A febre maculosa brasileira tem cura desde que o tratamento com antibióticos seja introduzido nos primeiros dias", explicou a supervisora da Vigilância Epidemiológica, Alessandra Arrigoni.

Receba nossas notícias em primeira mão!

Mais lidas
Ver todas as notícias locais
Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos