21 de Agosto de 2019
17º/30º
ENTRETENIMENTO » BLOG

O que podemos esperar para o verão? Confira as tendências

Por Larissa Reigato

O clima ainda não está propício, mas mesmo com o inverno presente, a moda está sempre à frente, ditando novas tendências e costumes. Portanto, reuni para vocês as maiores tendências que já estão bombando lá fora e prometem continuar nas próximas estações.

Você que está na dúvida se tal cor ou estampa vai continuar usando, em que deve apostar na hora de fazer suas compras e quais acessórios deve usar, esse post é seu!

A seguir, confira as tendências para apostar nesta Primavera/Verão. Vem comigo:

Constanzi, Deusa, Steal The Look


Dúvidas sobre o xadrez no verão? Muitas pessoas fazem analogia de usar xadrez somente no inverno, às vezes somente e tons escuros. Se você pensa assim, já pode desconstruir essa ideia. A estampa xadrez vichy é hit real e promete bombar nas estações quentes. Vestidos, saias, blusas, croppeds, conjuntos, pantacourt... Estou amando!

FHits, Edie


O lenço voltou de mansinho, como um detalhe na bolsa, no cós da calça, ou como
acessório de cabelo tipo laço. Porém, para esta próxima estação, a peça vem protagonista
das produções. Babushka é o nome desse estilo e é usado como na foto da Dolce & Gabbana acima, remetendo o estilo usado por avós russas de antigamente, cobrindo toda a cabeça.

Vanilze, Steal The Look


Essa é pra você que gosta de estar sempre antenada na moda. Coloque já o tecido como parte do look do dia. Chic na medida certa, o linho garante todo o conforto que o verão pede. Combine o tecido com peças de modelagem alfaiataria + lingerie.

Fashionismo


Conhecido lá fora como design square-toe, hit das it girls, os bicos quadrados chegaram bombando nas passarelas de grandes marcas. No Brasil, Schutz e Luíza Barcelos fizeram grandes apostas dessa tendência! Bico quadrado + sandálias de tiras = combo perfeito! <3

Pinterest


Tendência forte que viemos conhecendo e nos adaptando. O animal print teve força maior no ano de 2018 e 2019, vimos em diversos modelos e peças, adaptando-se ao estilo de casa persona. Já para 2020 a trend virá repaginada, muito forte nos acessórios e em estampas mais "desconstruídas”, fugindo do obvio oncinha e cobra, por exemplo.

Gostou? Então clique aqui, entre no grupo e receba as novidades e tendências do mundo da moda e de Assis direto no seu celular!

Bem-Estar

Técnicas e terapias que ajudam no tratamento de depressão, vícios e traumas

Para trabalhar medos, transtornos e ansiedade, psicóloga utiliza métodos da Terapia Cognitiva (TC)

Traumas, distúrbios, vícios, fobias e depressão são temas bastante comentados nos últimos tempos, cada vez mais as pessoas estão perdendo suas características e com dificuldade em lidar com a realidade. Em algumas situações, a angustia e a frustração pode ser o gatilho de diversas doenças psicológicas.

A psicóloga Célia Siqueira utiliza técnicas diferenciadas em suas terapias para auxiliar no autoconhecimento e tratamentos complexos. Para trabalhar medos, transtornos e ansiedade, utiliza métodos da Terapia Cognitiva (TC), aplicada para identificar pensamentos distorcidos e interpretar situações específicas, ou seja, busca a raiz do problema e assim cria a estratégia ideal para solucioná-lo.

A Programação Neolinguística (PNL) é um tratamento muito eficiente para a depressão. Também utilizado por profissionais de diversas áreas, além de ampliar a percepção sobre o que acontece ao redor, amplia a capacidade de comunicação e contato interpessoal, faz com que a pessoa compreenda a si mesmo e descubra seus pontos positivos.

Segundo Célia, a Terapia de Vidas Passadas (TVP), pode até curar a depressão. É muito utilizada nas buscas de soluções mais profundas, através da memória inconsciente, normalmente um evento traumático ou chocante do passado que está gerando sofrimentos e problemas no presente. Através das sessões, a "revivência” de vidas passadas, passando até pelo útero, podem auxiliar na solução tanto de casos simples até os mais graves.

Tutora procura por cachorro que desapareceu na Vila Central em Assis

Zeus, como é chamado, tem uma mancha marrom nas costas

A tutora do cachorro da raça pitbull e que atende pelo nome de Zeus está a sua procura desde a semana passada.

O cachorro sumiu da casa da família, localizada na Rua Campos Novos, Vila Central, em Assis.

Zeus tem a pelagem toda branca e uma mancha marrom nas costas.

Meire pede que quem tiver informações que ajudem na localização do animal entre em contato através do telefone (18) 99765-2881.

divulgação - Zeus está desaparecido desde a semana passada
Zeus está desaparecido desde a semana passada


Bem-Estar

Nutricionista dá dicas de como não engordar ao parar de fumar

Solução pode estar em uma dieta ajustada e com a mandioca como grande protagonista

No dia 29 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Combate ao Fumo. A data tem como principal objetivo, conscientizar a população sobre os males do cigarro e de seus componentes, por isso o objetivo é incentivar o abandono do hábito de fumar para quem já aderiu esse costume na rotina.

Apesar da campanha, o Brasil é um dos países que mais reduziu o número de fumantes diários. Segundo uma pesquisa publicada em 2017, pela revista britânica The Lancet, o País teve uma queda de 29% para 12% entre homens e de 19% para 8% entre mulheres. A pesquisa foi feita entre o ano de 1990 e 2015.

Mas o que muita gente não sabe, é que ao parar de fumar, os ex-fumantes têm uma melhora no paladar e no olfato. Junto a isso, existe também uma necessidade de ter algo para fazer com a boca e com as mãos, a única saída: comer.

Dicas da Nutri!

"Ao parar de fumar, os ex-fumantes utilizam os alimentos da mesma forma que eles utilizavam o cigarro, seja para lidar com o estresse, escapar do tédio, da tensão ou como uma ajuda na integração social”, explica Fernanda Alferes, nutricionista e responsável pelo controle de qualidade da Uni Alimentos.

Segundo uma pesquisa feita pelo Hospital Universitário da USP, as pessoas que param de fumar, ganham na maioria das vezes entre 3 e 4 kg e aproximadamente, porém 10% das pessoas que param de fumar ganham uma quantidade avantajada de peso. Além dos novos hábitos, a mudança de metabolismo e a ansiedade são os principais fatores para as pessoas engordarem nesse período.

A nutricionista explica que a alimentação balanceada é o primeiro passo para evitar o ganho de peso durante o período de abstinência. "Para uma alimentação saudável, é preciso consumir alimentos que possuam substancias importantes para o bom funcionamento do organismo, desta forma, o metabolismo do ex-fumante voltará a ter uma normalidade e a dieta não será mais um sacrifício”.

Os principais alimentos na hora de iniciar a dieta são os ricos em vitaminas, nutrientes e carboidratos. "O cigarro geralmente deixa os fumantes sem apetite, por isso eles não possuem uma rotina alimentar. Uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas. Um alimento que eu gosto bastante é a mandioca, além de ser rica em fibras - substância que transforma o carboidrato em energia, a mandioca também aumenta os níveis de seretonina – o neurotransmissor que age nas regiões do cérebro responsáveis pela sensação do bem-estar”.

A mandioca também pode ser encontrada em diversos alimentos para dar uma quebra na disciplina alimentar. Fundada em 2015, a Uni Alimentos entrou nesse mercado para contribuir ainda mais com a rotina dos brasileiros. Tendo como carro chefe a mandioca, a empresa oferece tapiocas em sachês individuais – para evitar o desperdício – no sabor tradicional e de espinafre, além de uma linha completa de chips de mandioca e batata-doce.

"Este ingrediente tão rico no Brasil, ainda conta com fonte de fibras e é isenta de glúten. Auxilia ainda a regular o funcionamento do intestino e traz saciedade entre as refeições. Além disso, a tapioca pode substituir o pão no café da manhã e os chips de mandioca podem ser o lanche perfeito durante a rotina do dia-a-dia”, conclui a nutricionista.

Ilustrativa - Segundo nutricionista, uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas
Segundo nutricionista, uma dica legal é ter horários fixos para as refeições e também alimentos saudáveis entre elas


Bem-Estar

Saiba como facilitar a rotina de sono do seu filho e evite problemas futuros

Entre as consequências mais comuns às crianças que não dormem bem estão: queda no desempenho escolar, desatenção, irritabilidade e até mesmo agressividade

A quantidade de sono adequada é sempre alvo de questionamentos. Quanto tempo meu filho precisa dormir? Pesquisa publicada no Journal of the National Sleep Foundation aponta que recém-nascidos precisam dormir de 14 a 17 horas por dia; já entre os bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas.

Conforme a idade aumenta, a necessidade de sono diminui; crianças de um a cinco anos precisam de 10 a 14 horas de sono; dos seis aos 13 anos, a recomendação cai para nove a 11 horas. No entanto, não só quantidade é importante, mas também qualidade.

"Dormir bem, seja em quantidade como em qualidade, evita o registro de problemas futuros no desenvolvimento da criança. Se não há sono reparador, pode haver consequências diurnas como queda no desempenho escolar, desatenção, irritabilidade e até mesmo agressividade”, alerta a Otorrinolaringologista especializada em Medicina do Sono, Dra. Sandra Doria Xavier.

O problema é que, muitas vezes, os pais têm dificuldades para impor essa necessidade e fazer com que os filhos sigam as orientações, resultando em noites mal dormidas e com um tempo menor do que o recomendado. "Estabelecer uma rotina antes da hora de dormir ajuda a criança a entender que aquele é o momento de desacelerar. O que fazer para mostrar isso à criança varia de família para família. Um exemplo é adotar uma sequência de atividades, como tomar banho, escovar os dentes, colocar o pijama, cantar ou ler uma história”, orienta Sandra.

Segundo a médica, uma das principais causas da qualidade inadequada de sono são os distúrbios respiratórios do sono, como a apneia do sono, caracterizada por roncos, respiração pela boca, babação no travesseiro, entre outros problemas.

Vida normal durante o dia e cuidados especiais no período da noite, essa é a indicação da profissional para ajudar a estabelecer uma rotina à criança. "Ensiná-los o que é dia e o que é noite é uma tarefa que deve começar desde cedo, de preferência já na segunda semana de vida. Não precisa mudar a rotina da casa durante o dia, ou seja, a família deve mantê-la iluminada e não evitar barulhos da rotina doméstica, como o telefone, as conversas, as visitas, o liquidificador ou o aspirador de pó. Porém, quando estiver próximo ao horário de dormir, evite brincadeiras agitadas, aparelhos eletrônicos, barulhos e diminua as luzes. Quanto mais calmo o ambiente estiver, melhor para a criança, que entenderá que aquele é o momento de descansar”, revela a Otorrinolaringologista.

A mudança de rotina é outro complicador. Aos finais de semana é comum as crianças acordarem e dormirem mais tarde, irem para a casa de coleguinhas ou dos avós, enfim, alterações que mexem com o relógio biológico.

"Durante o final de semana cabe aos pais determinar horários um pouco mais flexíveis, sabendo que o ideal é não fugir muito daqueles habitualmente praticados. Quanto mais exceções a família der aos horários de dormir e acordar, mais difícil é para a criança entendê-los e incorporá-los. Para retomar a rotina semanal é muito importante conversar com as crianças e estabelecer regras, mas isso deve fazer parte de um acordo entre pais e filhos e não uma imposição sem sentido. As crianças, ainda pequenas, devem começar a entender que faz parte da vida ter tarefas e responsabilidades. Diálogo sobre a rotina deve ser incorporado junto com diálogo sobre respeito, empatia, preconceito, entre outros assuntos”, declara a médica membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF).

A alimentação também interfere no sono, por isso é importante estar atento ao que as crianças comem em horários próximos de deitar. "Quando se faz uma refeição muito gordurosa, de difícil digestão, isso pode prejudicar o sono. Muito líquido também não é recomendável, já que a vontade de ir ao banheiro irá despertá-los no meio da noite. Por isso, o último copo de água deve ser ingerido, preferencialmente, pelo menos uma hora antes da criança ir para a cama”, explica Sandra Doria Xavier.

Por fim, a especialista em Medicina do Sono esclarece a questão dos cochilos no meio do dia.

"Até os três anos é comum algumas crianças ainda dormirem durante o dia. A partir de cinco anos a maioria já não tem essa necessidade. Porém é importante ressaltar que essa não é uma regra, depende de cada criança e é importante que se observe as características individuais. Os cochilos também devem seguir uma rotina, de preferência sempre no mesmo horário. Geralmente, as crianças preferem fazer isso após o almoço. Evite os horários das 9h ao meio-dia, que pode postergar a soneca da tarde, e o das 17h às 20h, que pode atrapalhar a rotina noturna”, finaliza.

Ilustrativa - Segundo pesquisa, para bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas de sono por dia
Segundo pesquisa, para bebês de quatro a 11 meses, a indicação é de 12 a 15 horas de sono por dia


Pitbull busca por tutores no Jardim Canadá em Assis

Animal aparenta estar perdido desde o início desta semana

Um cachorro da raça Pitbull está em busca de seus tutores no Cemitério Alto da Colina, no Jardim Canadá, em Assis.

O animal aparenta estar perdido desde o início desta semana e está sendo cuidado de forma voluntária, mas não pode permanecer no local.

O pitbull tem a pelagem branca, é dócil e está de coleira. Caso os tutores identifiquem o cachorro, podem ir até o local e conversar com o funcionário do cemitério. Caso ninguém apareça, o animal deverá ser destinado à adoção.

Divulgação - Pitbull tem a pelagem branca, é dócil e está de coleira
Pitbull tem a pelagem branca, é dócil e está de coleira


Bem-Estar

Como lidar com a birra das crianças

Segundo especialista, é necessário compreender o que está por trás deles, o que está levando a criança a agir daquela maneira

Toda criança apresenta problemas de comportamento em alguma fase da sua vida, seja ela de desenvolvimento típico ou atípico.

Lidar com esses comportamentos, com as birras e as crises, não é uma tarefa fácil para os pais, e no caso das crianças com atraso no desenvolvimento esse processo tende a ser ainda mais difícil.

Para lidar com os problemas de comportamento é necessário compreender o que está por trás deles, o que está levando a criança a agir daquela maneira.

Para facilitar esse processo, a analista do comportamento Michelli Freitas listou algumas dicas:

Identifique os comportamentos típicos da idade: alguns comportamentos são típicos de qualquer criança, por isso é importante saber diferenciar um problema real, um atraso no desenvolvimento ou na linguagem, de uma reação natural da idade.

Verifique a motivação por trás do comportamento problemático: identifique a razão que está motivando e mantendo o comportamento problemático (chamar atenção, obter um item desejado, escapar ou evitar uma situação, dor, cansaço, fome).

Não ignore o comportamento problemático: não deixe que a dúvida quanto ao nível de compreensão da criança, a vontade de proteger, o sentimento de pena e a dificuldade de lidar com a situação sejam empecilhos para lidar com o comportamento problemático do seu filho.

Lide com o comportamento problemático agora: inicie o processo para combater o comportamento problemático o quanto antes, de preferência quando a criança ainda for pequena, pois nessa fase tende a ser mais fácil lidar com o comportamento inadequado.

Use estratégias para reduzir ou eliminar o comportamento problemático: desenvolva a cooperação com a criança, use reforçadores, siga instruções, substitua o comportamento problemático por outro mais adequado e ensine novos comportamentos.

Deixe claro o que é e não é negociável: esclareça para a criança o que ela pode e não pode fazer, seja firme nas suas decisões, mostre para a criança que não adianta ela protestar com o que não é negociável.

Selecione um comportamento problemático por vez: trabalhe com um comportamento problemático por vez, dê preferência para aquele que não seja tão frequente e muito difícil de monitorar, e selecione outro somente quando o primeiro começar a mudar.

Seja firme para lidar com os protestos: mantenha-se firme e siga com as restrições para lidar com os protestos da criança, use estratégias para evitar os comportamentos inadequados e demonstre ações com tons de voz e expressões.

Verifique a necessidade de buscar ajuda especializada: alguns problemas de comportamento podem prolongam-se por muito tempo ou ter consequências mais sérias, como agressões e autolesão, por isso é importante estar atento para saber identificar quando a criança precisa de ajuda especializada.

*Michelli Miguel de Freitas é Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, com licenciatura em Letras, Analista do Comportamento e Mestranda em Ciências do Comportamento. É diretora do IEAC (Instituto de Educação e Análise do Comportamento), que ministra cursos para pais, profissionais da educação e saúde.

Ilustrativa - Segundo especialista, é necessário compreender o que está levando a criança a agir daquela maneira
Segundo especialista, é necessário compreender o que está levando a criança a agir daquela maneira


Bem-Estar

Quais os benefícios da amamentação para a saúde bucal?

Higiene bucal também deve ser feita em bebês

O aleitamento materno pode contribuir para a prevenção de diversas doenças, mas você sabia que ele também pode evitar problemas bucais? Estudo sugere que o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade pode diminuir a prevalência da má oclusão dental, que é quando o contato dos dentes superiores com os dentes inferiores fica desalinhado.

O cirurgião-dentista e diretor de Operações do INPAO Dental, Dr. José Henrique de Oliveira, explica que o ideal é que o arco dentário superior fique ligeiramente encobrindo o arco dentário inferior. "Modificações nesse, digamos, ‘encaixe’ pode causar problemas nos dentes, na musculatura facial e na gengiva, por exemplo”.

Alguns sinais da má oclusão dental são: alterações faciais (queixo muito pequeno ou muito alongado), dentes desgastados, dores de cabeça, zumbido, desconforto ao mastigar e problemas na articulação da mandíbula.

A fala e a respiração também estão relacionadas à amamentação, pois ela estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança.

Higiene bucal do bebê - Os cuidados bucais na infância devem ser pensados desde o nascimento do bebê. "As gengivas precisam ser higienizadas com uma gaze úmida, em movimentos delicados, pelo menos duas vezes ao dia, após a amamentação. Isso contribui para evitar o acúmulo de leite e garantir dentes mais fortes e saudáveis”, conta Dr. José Henrique.

O uso da escova somente é indicado quando surgirem os primeiros dentes de leite. Muita atenção na quantidade usada de creme dental, que deve ser do tamanho de uma ervilha. Também é recomendado o uso de creme dental sem flúor para crianças até os cinco anos de idade.

Ilustrativa - Amamentação estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança
Amamentação estimula o desenvolvimento da musculatura da boca, bochechas e língua da criança


Coisa de Bicho promove bazar beneficente em Assis neste sábado

Evento ocorre das 8h às 18h

Neste sábado, 17 de agosto, os voluntários da entidade Coisa de Bicho promovem mais um bazar beneficente, em Assis.

O evento será realizado das 8h às 18h, com venda de bolsas, roupas, sapatos e acessórios. Cada item será vendido por R$3,00 e a renda será revertida para os trabalhos voluntários realizados pela entidade.

O bazar ocorre no Supermercado Amigão, cujo endereço é Avenida Valter Antônio Fontana, 1300, na Vila Cláudia. Para mais informações acesse a página da Coisa de Bicho Assis.

Divulgação - Participe!
Participe!


Bem-Estar

As 12 melhores profissões para quem gosta de viajar

Saiba como decidir e em qual curso investir

Para definir a carreira certa, é necessário ponderar três itens essenciais antes de tomar qualquer decisão:

- Quais são as profissões que pedem habilidades que a pessoa domine?
- Como as profissões pré-escolhidas estão no mercado de trabalho atualmente?
- Em quais profissões é possível, na maior parte do tempo, exercer tarefas que a pessoa goste?

Ao unir os três pontos de observação acima, o candidato provavelmente terá um leque de carreiras bem mais restrito e que ajudará a decidir em qual curso investir.

Para aqueles cujo sonho é uma profissão que permita conhecer outras cidades ou países (e ainda receber para isso), o site Quero Bolsa fez uma lista com as 12 profissões ideais para quem gosta de viajar:

1 - Arqueologia

A pessoa que é formada em arqueologia analisa objetos e materiais encontrados no solo para descobrir como sociedades antigas viveram e colaboraram para desenvolvimento humano e o mundo que vivemos atualmente. Por isso, é possível que um arqueólogo viaje o mundo, para diversos sítios arqueológicos, atrás dessas informações.

2 - Comércio Exterior

Esse profissional é responsável por mediar a relação entre vendedores e compradores dos mais diversos países. Assim, essa carreira pode exigir que o profissional viaje constantemente.

3 - Fotógrafo

Sendo um profissional autônomo ou trabalhando em uma redação de um jornal, o fotógrafo possui muitas oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países.

4 - Jornalismo

Assim como o fotógrafo, alguns jornalistas podem trabalhar em áreas mais especializadas que demandam muitas viagens.

5 - Produção de Eventos

Dependendo do estilo de negócio no qual o produtor de eventos trabalha, ele pode precisar viajar frequentemente para auxiliar na realização dos eventos sob sua responsabilidade.

6 - Piloto de aviação

Bom, não é preciso falar muito sobre um piloto, não é mesmo? Afinal, ele é um dos responsáveis por fazer com que as suas viagens para outras cidades e países aconteçam, ou seja, um piloto de aviação viaja muito!

7 - Comissário de Bordo

Assim como o piloto de aviação, os comissários de bordo são responsáveis por auxiliar aqueles que estão no trajeto de uma viagem.

8 - Turismo

Responsável pela elaboração, organização e divulgação de viagens e eventos. Um turismólogo precisa fazer algumas viagens para realizar o planejamento dos eventos sob a sua supervisão.

9 - Diplomata

O diplomata é o representante oficial em um país em outras embaixadas. Por isso, ele pode trabalhar em escritórios, consulados ou embaixadas de outros países.

10 - Tradutor

Um tradutor pode ser responsável por fazer a tradução de eventos, palestras, discursos, reuniões e conversas. Assim, em muitos casos, ele precisa acompanhar empresários ou governantes em eventos internacionais.

11 - Professor de Idiomas

Se o profissional souber mais de um idioma, é possível se aventurar em outros países para ensiná-lo. Entretanto, é importante lembrar que é preciso ter metodologias de ensino para conseguir ensinar outras pessoas.

12 - Au Pair

A pessoa que é Au Pair trabalha como cuidadora de crianças em outros países e, além do salário, ganha moradia e alimentação. Na maioria dos casos, o Au Pair é considerado um intercâmbio de trabalho, no qual você aprimora o seu conhecimento em uma língua, além da remuneração.

Divulgação - Fotógrafo possui oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países
Fotógrafo possui oportunidades para ir atrás dos seus cliques, inclusive realizar a cobertura fotográfica de acontecimentos importantes em outros países


Bem-Estar

Confira os dez erros na hora de retirar a fralda do bebê

Esse deve ser um momento tranquilo que exige muita paciência e dedicação

O início do desfralde sempre gera grandes dúvidas nos pais. Esse deve ser um momento tranquilo que exige muita paciência e dedicação.

Retirar a fralda das crianças é um processo que exige muita paciência. "Algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses e precisar de maior atenção, ” informa Drª Loretta Campos. Conheça os 10 erros mais comuns.

1) Começar antes da hora - o ideal é a partir dos dois anos pois nesta fase as crianças têm autonomia para andar, tirar a roupa e expressar que estão incomodadas com o cocô.

2) Expor a criança em lugares públicos - ir ao banheiro é algo privado, portanto, tente utilizar o sanitário com a porta fechada e penico sempre no banheiro, nunca na sala, quarto.

3) Delegar a tarefa unicamente para a escola - tente começar a retirada das fraldas em casa, de preferência nas férias, sem muito estresse. A escola deve ser só um apoio.

4) Pressionar a criança para ser rápida - o desfralde requer tempo e paciência. Leve livrinhos, joguinhos para tornar o momento prazeroso.

5) Não providenciar itens de apoio - precisa providenciar um penico ou redutor de vaso sanitário. A criança precisa de conforto. E se faz necessário o apoio para os pés!

6) Esperar a criança pedir para ir ao banheiro - comece retirando a fralda do dia e pergunte ou leve a criança ao banheiro a cada duas horas.

7) Dar bronca se a criança não consegue se segurar - nunca diga você se sujou de novo ou você não aprende.

8) Fazer cara de nojo quando acontece um escape - os escapes, principalmente os noturnos, são frequentes. Pode durar em média até os quatro anos e algumas crianças até seis anos de idade.

9) Colocar roupas difíceis de tirar - se a criança pede para ir ao banheiro os pais têm de agir rápido.

10) Escolher um momento de estresse para tirar a fralda - toda paciência é pouca.

Loretta Campos

Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Ilustrativa - Segundo especialista, algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses
Segundo especialista, algumas crianças levam poucas semanas para aprender a usar o banheiro, enquanto outras podem demorar até seis meses


Bem-Estar

Mobilidade urbana está relacionada à qualidade de vida, diz estudo

A pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis

Os problemas de mobilidade urbana podem afetar negativamente o bem-estar e a qualidade de vida dos cidadãos, de acordo com pesquisa levantada pela Universidade de Brasília (UnB) em parceria com as Universidades Federais Rio Grande do Sul e Santa Catarina e a Oxford Brookes University, da Inglaterra. A publicação foi intitulada de Projeto Mobilidade Urbana Saudável e teve como objetivo entender o impacto da malha urbana nas comunidades de baixa e média renda.

No Brasil foram analisadas três cidades: Brasília, Porto Alegre e Florianópolis. Já no Reino Unido, mais especificamente na Inglaterra, a escolhida foi a cidade de Oxford. Em todas elas foram relatadas queixas, mesmo com realidades econômicas e sociais totalmente diferentes.

O estudo apontou, por exemplo, a necessidade de se reduzirem os deslocamentos dentro das cidades. A solução seria aumentar o número de alternativas possíveis de atividades que possam ser feitas dentro da cidade, investindo em ciclovias e pistas para caminhada - ou ainda melhorar as condições das calçadas. Isso não só permitiria que as pessoas ficassem mais saudáveis, como também diminuiria os custos com tratamentos pela saúde pública.

A pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis. Já as que utilizam o automóvel, são propensos a desenvolver doenças como diabetes, hipertensão e depressão. Para os pesquisadores, a gestão pública precisa investir em estruturas que promovam a caminhadas ciclismo e transporte público.

Os dados coletados e analisados pelas equipes brasileiras e do Reino Unido foram: o mapeamento espacial para entender o ambiente no qual ocorre o deslocamento; pesquisa social para obter perfis de saúde e bem-estar das comunidades selecionadas; entrevistas, para entender as razões que levam à escolha do meio de transporte; uso de recursos como GPS e câmeras e a participação ativa das comunidades locais na identificação de problemas e soluções para a mobilidade urbana saudável e bem-estar social.

O resultado da pesquisa foi apresentado recentemente em uma conferência sobre Mobilidade Urbana Saudável, promovida pela Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados, em conjunto com a Universidade de Brasília (UnB).

Solução para o trânsito

O uso de bicicleta para se deslocar para o trabalho já foi adotado como hobby por algumas pessoas. A escolha economiza o dinheiro de transporte e gasolina, evita o estresse dos congestionamentos e falta de estacionamento, além de fazer muito bem à saúde e ser uma solução para diminuir a quantidade de automóveis na rua. A melhor escolha do equipamento depende de quem for usar, pois opções não faltam e vão desde as bicicletas comuns, até as inovadoras como as bicicletas dobráveis e elétricas.

Ainda que alguns ainda insistam na atividade e se arrisquem pelas ruas disputando espaço com os carros, de acordo com os profissionais envolvidos, são muitos os que até querem caminhar e pedalar, mas não vão em frente por não confiar na estrutura existente.

Os cidadãos estão mais conscientes sobre os benefícios tanto no corpo quanto para o meio ambiente, mas a infraestrutura atual das cidades ainda não as permite utilizar desses meios com a devida segurança.

Pixabay - Pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis
Pesquisa constatou ainda que pessoas que caminham e pedalam como forma de deslocamento diário são mais saudáveis


Cachorra que foi atropelada precisará passar por cirurgia na bacia em Assis

A cachorrinha Nina está sob os cuidados de uma voluntária

Na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto, a cachorrinha Nina foi atropelada na rua Leonor na vila Progresso, um grupo de voluntárias a recolheram e levaram ao veterinário, onde foi constatado que a cachorra havia fraturado a bacia.

Nathalia Soares que está cuidando de Nina, conta que ela precisa passar por cirurgia com urgência, pois quanto mais demorar para que a cirurgia seja feita, menores as chances de recuperação.

"Ela está em minha casa, recebendo as medicações, mas a cirurgia ficará em R$ 1,5 mil, e precisamos da ajuda de todos para que ela tenha a chance de se recuperar”, considera Nathalia.

Uma campanha para a arrecadação de recursos para a cirurgia de Nina é feita pela internet () , quem puder colaborar pode ainda entrar em contato com Nathalia pelo telefone (18) 99633-7373, ou procurar pelas voluntárias da SOS Pets ou ainda diretamente na clínica Vitrine Animal, informando que a doação é para auxiliar na cirurgia da Nina.

divulgação - Nina foi atropelada na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto
Nina foi atropelada na manhã desta sexta-feira, 9 de agosto


Tutora busca por cachorra desaparecida no Parque das Flores em Assis

A cachorra foi vista perto do Parque Buracão

A tutora da cachorra Lolinha está a sua procura desde a semana passada, quando o animal fugiu de casa.

Lolinha é bem cuidada e já foi castrada. Tanto sua tutora, como o outro cachorrinho da família estão muito preocupados e tristes com a falta dela.

Lolinha foi vista pela última vez perto do Parque Buracão.

É solicitada que, caso alguém tenha informações que ajudem a localizá-la, que entre em contato pelo número (18) 99749-3550 ou na página da SOS Pets.

divulgação - Lolinha está desaparecida desde a semana passada
Lolinha está desaparecida desde a semana passada


Bem-Estar

Meu filho não sai do celular, o que fazer? Especialista responde

Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio

Em 2018, o canal da Galinha Pintadinha ultrapassou em visualizações até mesmo grandes nomes da música mundial como Rihanna e Justin Bieber, ficando no ranking entre os mais populares do YouTube, e isto não foi à toa. Uma pesquisa divulgada em setembro de 2018 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 85% das crianças e adolescentes com idades entre 9 e 17 anos são usuárias de internet, o equivalente a 24,7 milhões que estão nesta faixa etária em todo o País. Se em 2012, 21% das crianças acessaram a rede por meio do celular, em 2018 são 93%. O aumento impressionante do acesso tem preocupado cada vez mais os pais e profissionais que lidam com os pequenos e coloca em questão o possível vício infantil em celulares. O que fazer?

A neuropsicóloga Roselene Espírito Santo Wagner é uma das especialistas que tem estudado esta guinada no comportamento infanto-juvenil: "Precisamos considerar que a tecnologia, já está incorporada à vida. O celular hoje é mais que uma ferramenta, tornou-se uma dimensão humana muito frequentada. O smartphone hoje é mais que televisão, é "biblioteca”, é jornal, cinema, é playlist, dicionário. Estamos reféns dele. No entanto, embora seja inevitável a presença e o uso do celular no cotidiano, é necessário explicar e fazer a criança entender que a tecnologia é um meio para um fim, e não o contrário”.

Transações bancárias, notícias, imagens, e até consultas médicas. Tudo está ali na palma da mão. Basta um toque. Não temos mais como desconectar. Mas até onde isto é saudável para a criança e o adolescente? A Dra. responde: "Todos nós devemos aprender a usar a tecnologia com parcimônia. Isto é, encarar como uma ferramenta de resolução de problemas de ordem prática, rápida e superficial. Esta ferramenta tecnológica pode ser usada inclusive com fins recreativos, porém, nós não devemos usá-la abusivamente, para não virarmos dependentes. A dependência é uma "doença comportamental” em todos os seus aspectos, logo retirando o comportamento, retiramos também a doença. Mas a facilidade de se adquirir o hábito e transforma-lo em vício não condiz com a dificuldade de sair desta armadilha”.

A Dra. Roselene Espírito Santo Wagner traz algumas dicas para retirar as crianças do celular e evitar o vício dos pequenos. Confira:

Ensinar a criança a lidar com o tédio

É necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio, para que comecem a entender e trabalhar algo que acontecerá na vida, que é a frustração. Aprender a lidar com frustrações é pedagógico e terapêutico. Nosso cérebro se devolve de trás para frente. Portanto, não tenha medo de conversar e explicar as formas de lidar com a rotina e disciplina dentro dos sistemas familiares. A área de Wernicke responsável pela compreensão, interpretação da fala, fica pronta antes da área de Broca, responsável pela emissão da fala.
As crianças mesmo não falando tudo corretamente, compreendem tudo o que lhes é explicado (de forma simples).

Explique, converse e estabeleça limites

Dar limites é dar amor. Crianças precisam compreender o funcionamento do mundo. Cabe aos adultos, pais, cuidadores, explicar.

Observar a natureza de seu filho, as inclinações naturais, os gostos, as habilidades, a estrutura do corpo para perceber onde ele "caberia melhor”. No âmbito de uma atividade física, isso significa dizer que o corpo já vem "talhado” com características que facilitariam uma atividade. Identificar no seu filho para quais atividades que ele tem pré disposição, gosto ou aptidão pode ajudar muito a produzir uma rotina onde ele possa se adequar. E ter prazer nesta atividade.

Ensinar que um bom dia começa com a organização do seu espaço, o quarto em que dorme, produzir uma convivência de união familiar, onde todos os sistemas (sistema conjugal, parental, etc.) devem ser tido como uma "equipe”. Onde cada um pode colaborar com uma tarefa, colocar a mesa, retirar as louças, levar o lixo. Tudo isto tem a ver com limites e educação.

Dê atividades para o seu filho

Crianças gostam de ar livre. Leve seu filho para atividades ao ar livre, como pedalar, passear, caminhar, praia, piscina. Ter lazer, atividades intelectuais, responsabilidades e até mesmo bom sono.

Crianças gostam de estar com outras crianças, em acampamentos, noite do pijama, sessão de cinema, piquenique.

Crianças amam animais. Visitar o zoológico, dar de presente um animal de estimação que ele possa "cuidar”, dentro de suas possibilidades iniciais. Conforme vai crescendo, vai se apropriando e tomando mais responsabilidades sobre este "ser vivo” que exige cuidados e carinho.

Todas essas atividades irão retirando o "tempo de uso” do smartphone. Claro que a retirada total é quase que impossível, pois, há uma "necessidade " do uso da tecnologia, inclusive por ser uma forma rápida, prática de "estudar”, fazer trabalho de aula e afins.

Qual a melhor forma de prevenção do vício em celular?

A Dependência Digital é de difícil tratamento, mas a melhor prevenção é a Psicoeducação, no sentido de desenvolvermos uma rotina saudável desde crianças, pois, os "nativos digitais”, nascidos na era "virtual” são mais propensos a tornarem-se "adictos virtuais”. Então ainda que as crianças não sejam capazes de emitir, falar todas as palavras de forma correta. Elas estão aptas a compreender quase tudo, por isso, é preciso acompanhá-las em todas as fases de seu desenvolvimento. Ensinando, preparando, guiando e amando.

Ilustrativa - Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio
Segundo especialista, é necessário em primeiro lugar ensinar a criança a lidar com o tédio


Voluntárias de Assis pedem doação de medicamentos para cadela de rua

A cadela foi recolhida na manhã desta terça-feira, 23, com um anzol no focinho

Voluntárias do grupo Pets Feliz, pedem a doação dos medicamentos doxiciclina 100 ml e Hemolitan comprimidos, para o tratamento de cadela Lili, recolhida na rua na manhã desta terça-feira, 23 de julho, com um anzol preso ao focinho.

A voluntária Eliane, conta que é cada vez mais comum o salvamento de animais ferido com anzol.

"Algumas pessoas são muito maldosas e colocam a carne presa ao anzol, quando o cachorro vai comer a carne fica com o anzol ferindo seu focinho, isto é muito perigoso”, considera.

Ela conta que a cadelinha foi recolhida e está em uma clínica veterinária, mas que os exames indicam que ela está com as plaquetas muito baixas, sendo necessário os medicamentos para sua plena recuperação.

divulgação - A cadela Lili está internada e precisa dos medicamentos
A cadela Lili está internada e precisa dos medicamentos


Filhotes abandonados em Assis estão à procura de um lar

Os filhotes foram abandonados na vila Carvalho neste sábado, 20 de julho

Moradores da vila Carvalho em Assis, encontraram neste sábado, 20 de julho, dois filhotes de cachorro de aproximadamente 30 dias, abandonados nas proximidades das ruas Vicente Mercadante e São Sebastião.

Com medo de que os filhotes fossem atropelados, os moradores os recolheram até um terreno na rua São Sebastião, e estão se revezando para da água e comida aos animais, porém não podem ficar com eles.

Eles pedem que quem puder adotar os filhotes de forma responsável quem entre em contato pelo número (18) 99680-3020.

divulgação - Os filhotes aparentam ser de porte pequeno
Os filhotes aparentam ser de porte pequeno


Bem-Estar

Em tempos de redes sociais, como manter uma amizade real?

Tiago Marcon é missionário celibatário da Comunidade Canção Nova, apresentador do programa de TV "Revolução Jesus” e autor de livros

Sou um jovem, entre milhares, que está continuamente conectado e usufrui das redes sociais para se relacionar, interagir, reencontrar pessoas, trocar experiências. O Papa Francisco nos mostra que "emails, mensagens de texto, redes sociais podem ser formas de comunicação totalmente humanas. A internet pode ser usada para construir uma sociedade saudável e aberta” (Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Comunicação Social).

Sim, é possível fazer e estreitar amizades por meio das redes sociais, contudo, sem fecharmos os olhos para os riscos, por isso, a prudência e a cautela sempre precisam estar presentes. Já me aproximei, estabeleci relacionamentos de amizade, fortaleci aquelas que já existiam, mas não posso negar que, mesmo com todos esses benefícios, a presença física continua sendo indispensável. Porque mesmo que as novas tecnologias nos aproximem a ponto de termos a sensação de quase tocarmos fisicamente, o contato direto, onde podemos olhar nos olhos, e não por uma tela, devemos abraçar, ter a presença física, primordial para que os laços de amizade se fortaleçam e se estreitem.

Corremos o risco de viver uma certa "substituição”, tentando suprir virtualmente aquilo que é indispensável fisicamente, pois somos seres com necessidade de contato, de relação e comunhão profunda.

A questão está em entendermos que os "meios” são "meios” e não fim, o objetivo final. Se temos, hoje, esses meios propícios e eficazes, que colaboram para que nossas relações de amizade cresçam, é desperdício não fazermos uso deles. Ao mesmo tempo, não podemos cair no extremo de achar que as redes sociais são suficientes para construirmos uma amizade verdadeira, pois esta sempre vai precisar ser cultivada e regada e, para isso, é preciso ir além dos cliques, visitar e estar. Que tal, pelos cliques, combinar um bom encontro com aquele amigo que, há tempo, você não vê?

Certo dia, impressionei-me ao perceber que estava me sentindo um tanto perdido, sem jeito, quando tive contato com alguns amigos que, há tempos, não estavam juntos presencialmente. É como se eu tivesse desaprendido de estar presente fisicamente. Achei estranho, fiquei incomodado com isso; então, comecei a retomar o estar com o outro, isto é, estar inteiro, até fazendo o exercício de deixar o smartphone de lado e olhar nos olhos, perguntar, escutar, falar… Gestos tão comuns, mas dos quais precisei redescobrir a riqueza e o valor.

O conceito da verdadeira e duradoura amizade não pode se perder! Amigos a gente não conquista somente baseado em cliques, aceitação de amizade no perfil, em seguimento, curtidas e compartilhamentos. Os stories me ajudam a contar minhas histórias, mas meus amigos esperam que eu as conte pessoal e presencialmente. Fazendo esses ajustes, tomando esses cuidados, preservando o essencial, penso que as redes sociais se tornam mais eficazes na arte de fazer e cultivar amizades.

Bem-Estar

Julho Amarelo: diagnóstico precoce de câncer ósseo aumenta em até 3 vezes a chance de cura

Medicina Nuclear conta com dois exames que identificam as metástases de câncer ósseo, antes das alterações anatômicas Campanha visa conscientizar a população sobre a doença e o diagnóstico precoce para um tratamento mais efetivo

Os tumores ósseos, apesar de raros, acometem crianças, adolescentes e adultos e têm alta taxa de mortalidade. Eles podem atingir qualquer osso do corpo, mas são mais comuns em ossos como os dos braços, pernas, coluna e bacia. Além disso, estes tumores podem surgir diretamente no osso (primário) ou decorrer de câncer em outro órgão, com metástase nos ossos (secundário). Entre os sintomas estão dor nos ossos, inchaço e sensibilidade na área afetada, ossos quebradiços, fadiga, perda de peso e febre.

O mês de julho, denominado Julho Amarelo, foi escolhido para conscientizar a população sobre a doença e a importância do diagnóstico precoce para um tratamento mais rápido e efetivo, já que a doença não pode ser prevenida. O diagnóstico precoce aumenta em duas ou três vezes a chance de cura em comparação com um paciente que descobre tardiamente, pois é possível determinar o melhor tratamento (cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou uma combinação delas). A Medicina Nuclear conta com dois exames que identificam as metástases câncer ósseo, antes das alterações anatômicas, ou seja, antes que elas estejam visíveis. Conheça:

Cintilografia Óssea

O exame avalia o funcionamento dos órgãos e apresenta um diagnóstico por imagem, gerado pela injeção intravenosa do radiofármaco 99mTc-MDP, que é captado pelo tecido ósseo remodelando decorrente da presença da lesão - visualizados por meio de equipamento especial que cria uma imagem do esqueleto, além de indicar possíveis metástases - se a doença se disseminou para outros ossos, e avaliar o dano causado no osso acometido.

A Cintilografia Óssea pode também diagnosticar uma fratura, quando ela não pode ser vista no raio X. Além disso, o exame pode diagnosticar também infecção óssea (osteomielite) e distúrbios metabólicos, como osteomalacia, hiperparatiroidismo primário, osteoporose, síndrome de dor regional complexa e doença de Paget. Esta técnica permite detectar lesões com até quatro meses de antecipação em relação à radiografia simples.

A quantidade de radioatividade utilizada é baixa, não oferecendo risco para o paciente ou para pessoas próximas.

PET/CT

O PET/CT é um exame que utiliza traçadores (radiofármacos) que são captados pelas células cancerígenas. Com isso, o PET/CT consegue localizar os sítios de concentração do câncer, pela incidência do radiofármaco no organismo.

Neste exame, injeta-se um radiofármaco na veia do paciente, que se concentra nas lesões tumorais, localizando os focos de metástases. Uma análise do corpo inteiro é realizada com alta precisão. De acordo com o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho – responsável clínico da Dimen SP (www.dimen.com.br), o PET scan pode ajudar a diagnosticar se a doença evoluiu para determinar qual o melhor tratamento para combater o câncer e garantir maior qualidade de vida ao paciente. "Esta tecnologia nos permite conhecer a localização exata do câncer e determinar sua extensão, o que possibilita escolher o tratamento correto para o tipo de lesão", explica o especialista.

Coisa de Bicho realiza nova feira de adoção neste sábado, 20 em Assis

A feira tem início às 9 horas no Hipermercado Amigão

Neste sábado, 20 de julho, das 9 às 16 horas, o grupo Coisa de Bicho, promove mais uma feira de adoção, em parceria com o Hipermercado Amigão.

Estão disponíveis para a adoção responsável vários peludinhos, cães e gatos, todos lindos e cheirosos e prontinhos para encontrar alguém que possa dar as suas vidinhas um final feliz.

A adoção é gratuita e responsável! Os visitantes da feira poderão conhecer o trabalho desenvolvido pelo grupo, além de poder aderir ao voluntariado.

O grupo recebe todo tipo de ajuda, desde doações de ração, até medicamentos, e para auxiliar nos gastos com atendimentos serão comercializados durante a feira, os deliciosos brigadeiros preparados pelas voluntárias.

O Hipermercado Amigão está localizado na avenida Walter Fontana, 1.300, Vila Claudia, Assis.

*Atualização dia 20/07 às 10 horas - A feira deste sábado, dia 20 de julho foi cancelada, mas em breve será agendada uma nova data!

divulgação - Cartaz de Divulgação da Feira
Cartaz de Divulgação da Feira


Voluntárias de Assis organizam bazar em prol aos animais de rua neste sábado

O bazar começa às 9 horas na rua Cruz e Souza, 145

Um grupo de voluntárias de Assis realiza neste sábado, 20 de julho, um bazar com a oferta de peças de roupas, calçados, acessórios e utensílios domésticos, em prol aos animais abandonados.

De acordo com a voluntária Elaine Souza Freira, o bazar terá início às 9 horas, na rua Cruz e Souza, 145 na vila Xavier, e as peças serão a partir de R$ 1.

"O valor arrecadado será utilizado no tratamento dos animais de rua que cuidamos, com a compra de medicamentos, pagamento de consultas veterinárias e compra de ração”, explica.

Elaine lembra que o grupo de voluntárias cuida de mais de 100 animais de rua, oferecendo diariamente alimentos a eles, e pedem que quem puder colaborar com doações de ração tanto para gato quanto para cães podem levar os alimentos até o bazar.

Moradora da vila Progresso procura por tutores de cachorra achada na rua

A foi encontrada no final da tarde desta segunda-feira, 15

Uma moradora da vila Progresso em Assis, encontrou nas proximidades de sua casa, uma cadela perdida. A cachorrinha tem pelos brancos pretos, e aparenta ser da raça shitzu e é dócil.

Ela pede que os tutores da cachorra ou quem tiver informações que auxiliem na identificação que entre em contato pelo telefone (18) 99704-1733.


divulgação - A cachorra com pelos brancos e pretos
A cachorra com pelos brancos e pretos


Tutora busca por cachorro que desapareceu próximo a avenida Dom Antonio em Assis

O cachorro Bob sumiu na manhã deste domingo

O cachorro da raça poodle Bob desapareceu na manhã deste domingo, 14, próximo a avenida Dom Antonio em Assis.

Sua tutora conta que Bob já tem idade avançada e pede que quem tiver informações que auxiliem na localização do animal que entre em contato pelo telefone (18) 996046351.


arquivo pessoal - Bob é da raça poodle e já tem idade avançada
Bob é da raça poodle e já tem idade avançada


Aplicativo doará R$ 1 de cada compra para a ONG SOS Pets de Assis

A campanha ocorre entre os dias 15 e 21 de julho

O aplicativo Delivery Much de Assis está promovendo a campanha de Ração Solidária, em benefício à ONG SOS Pets.

Durante a ação, que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho, a cada compra realizada através do aplicativo, será doado R$ 1 para a ONG, que investirá o valor na aquisição de ração para animais de rua.

A campanha é válida para pedidos feitos através do aplicativo e também no site.

divulgação - Cartaz da campanha que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho
Cartaz da campanha que ocorre entre os dias 15 e 21 de julho


Tutora busca por calopsita que sumiu no centro de Assis

A calopsita sumiu no dia 1º de julho

Desapareceu dia 1º de julho uma calopsita com penas amarelas nas imediações do Avenida Plus, no centro de Assis.

Margaret tutora da calopsita, conta que a família está aflita desde o desaparecimento do animal, ela pede que se alguém tiver informações que ajudem a localizá-la, para entrar em contato pelo 99613.1912.

arquivo pessoal - A calopsita tem penas amarelas
A calopsita tem penas amarelas


Tutora busca por gata desaparecida em Assis

Gata atende pelo nome de Tofi e é cega

A tutora de uma gata que atende pelo nome de Tofi está à sua procura, em Assis. A gata fugiu na manhã deste sábado, 6, próximo ao Espetinho do Leandro, na Vila Palhares.

Tofi é cega e a tutora e quem localizar poderá ser gratificado.

Caso alguém tenha informações, pode entrar em contato pelos telefones (18)99626-6162 e (18)99689-1309.


Gata atende pelo nome de Tofi e é cega


Filhotes de cachorro estão disponíveis para adoção em Assis

São três machos de porte pequeno

Três filhotes de cachorro estão disponíveis para adoção em Assis. Trata-se de três filhotes machos e de porte pequeno.

O tutor dos animais, Tiago, conta que já tem outros três cães e o quintal de sua casa é pequeno, o que impossibilita que ele fique com os filhotes.

Quem tiver interesse de adotar um dos filhotes de forma responsável, pode entrar em contato com Tiago através do número (18) 99750-8503.

Divulgação - Filhotes de cachorro estão disponíveis para adoção em Assis
Filhotes de cachorro estão disponíveis para adoção em Assis

Os filhotes são três machos


Tutor procura gato desaparecido na Vila Ribeiro

O tutor do gato Tom, de aproximadamente 6 anos, procura por seu gato que desapareceu nesta terça-feira, 2, nas imediações da Rua Vicente Fernandes Figueiredo, na Vila Ribeiro.

O gato está com uma cirurgia na pata esquerda e precisa de cuidados especiais.

Quem tiver informações sobre o gato Tom pode entrar em contato com Italo pelo número de telefone 99797-0998.



Família busca por cachorra que desapareceu na Vila Ribeiro em Assis

A cachorrinha Nina sumiu na manhã desta quarta-feira, 3 de julho

Marilda de Andrade Polini está em busca da cachorrinha da família, Nina, que desapareceu por volta das 10h30 desta quarta-feira, 3, na Vila Ribeiro, em Assis.

Ela conta que foi informada por uma vizinha que uma pessoa encontrou a cachorra assustada no cruzamento entre as ruas São Paulo e Fagundes Varela, e a levou, dizendo que iria divulgar nas redes sociais para localizar os tutores da cachorra.

"Minha filha está muito triste e todos estamos preocupados com a Nina. Pedimos para que quem a levou, entre em contato conosco”, considera.

Quem tiver informações sobre a cachorrinha Nina pode entrar em contato pelos telefones (18) 3325-1580 e (18) 99803-9954.

Arquivo Pessoal - cachorra Nina desaparecida em Assis
Cachorra Nina desaparecida em Assis

Nina tem pelagem clara e porte pequeno


Tutora busca por cachorro desaparecido em Assis

O cachorro Kei foi visto dia 1º de julho nas proximidades da Avenida Dom Antônio

A tutora do cachorro Kei está à sua procura. O cachorro sumiu nesta segunda-feira, 1º de julho, nas proximidades da Avenida Dom Antônio, em Assis, e foi visto pouco depois próximo ao antigo Posto Corujão.

Sandra conta que Kei não sabe andar na rua. Ele tem a pelagem amarela, porte médio, com patas e peito branco.

Ela pede que quem tiver informações sobre Kei que entre em contato pelo número (18) 99742-0015.


Kei tem pelagem amarela e porte médio


Família busca por cachorra que desapareceu na vila Fiúza em Assis

A cachorra Luna sumiu na noite de sexta-feira, 28

Cristiane Buzzo Davi, moradora da vila Fiúza em Assis, está a procura da cachorrinha da família Luna, que desapareceu na noite de sexta-feira, 28 e junho.

Quem tiver informações que auxiliem na localização de Luna pode entrar em contato com Cristiane através do número (18) 99679-3884.


Luna é de porte pequeno


Tutores buscam por casal de Boxers em Assis

Cachorros fugiram na manhã desta sexta-feira, 28, na Vila Palhares

Na manhã desta sexta-feira, 28, um casal de cachorros da raça Boxer fugiu de uma casa na Rua Joaquim Galvão de França, em Assis.

Os tutores estão em busca dos animais, que desapareceram por volta das 9h, na Vila Palhares.

A fêmea atende pelo nome de Bambina e tem a pelagem branca, enquanto o macho atende pelo nome de Brack e tem uma mancha no olho esquerdo.

Os tutores dizem que ambos são muito dóceis e não sabem se estão juntos. Eles também pedem para que, caso alguém tenha visto ou resgatado os animais, que entre em contato pelos telefones (18) 99609-0912 (Ariana) e (18) 99743-3290 (Junior).


Bambina


Brack


Filhote da raça Pug foge e tutora faz apelo para reencontrá-la, em Assis

Filhote tem apenas 36 dias e fugiu nas proximidades da Vila Souza

No início da tarde desta terça-feira, 25, uma filhote da raça Pug fugiu nas proximidades da Rua São Bento, na Vila Souza, em Assis.

A tutora da cachorrinha, que tem apenas 36 dias, faz um apelo para a comunidade na tentativa de encontrá-la. A filhote ainda mama e está em tratamento de uma úlcera no olho.

Caso alguém tenha informações sobre a cachorrinha, pode entrar em contato pelo telefone (18)99704-2686 (falar com Marlene).


Filhote ainda está mamando e recebendo tratamento por conta de uma úlcera no olho


Tutores buscam por cachorra desaparecida no Centro de Assis

Cachorra atende pelo nome de Mel, é dócil e sumiu neste domingo, 23

Os tutores da cachorra Mel estão à sua procura e pedem a colaboração da comunidade para encontrá-la.

Mel sumiu neste domingo, 23, nas proximidades da Rua Gonçalves Dias, no Centro de Assis. A cachorra não tem raça definida, tem a pelagem caramelo e branca, e é muito dócil.

Caso alguém tenha informações que possam ajudar na sua localização, pode entrar em contato com os tutores pelo número (18) 99644-3338.


Mel não tem raça definida e é muito dócil


Família busca por gato desaparecido em Assis

O gato está desaparecido desde a madrugada desta quarta-feira, 19

Os tutores do gato Romeu estão a sua procura desde que o animal desapareceu durante a madrugada desta quarta-feira, 19, em Assis.

Segundo a família, o gato desapareceu próximo ao Parque Buracão e à Vila Tênis Clube. Os tutores relatam que ele é muito dócil e nunca sai de casa.

Quem tiver informações pode entrar em contato com Maria Luíza pelo número (18) 99632-8245.


Romeu é dócil e não costuma sair de casa


Na evolução, cachorros passaram a levantar sobrancelhas para ter atenção dos humanos

Movimento dos músculos acima dos olhos não ocorre com a mesma intensidade em lobos. Ao erguer as sobrancelhas, cães atraem os cuidados dos donos

Seu cachorro faz, de vez em quando, uma carinha especialmente fofa, que desperta sua atenção? Esse comportamento pode ser proposital, justamente para atrair mais cuidados dos seres humanos. Pesquisadores dos Estados Unidos e do Reino Unido descobriram que, ao longo do processo evolutivo, esses animais desenvolveram novos músculos faciais. Com isso, conseguem elevar as sobrancelhas intencionalmente e imitar os olhos arredondados de filhotes.

Essa expressão desencadeia, instantaneamente, uma resposta nos humanos. "Quando cachorros fazem esse movimento, despertam um desejo mais forte de cuidarmos deles. Isso deu aos que conseguiam mexer a sobrancelha uma vantagem maior em relação aos demais. Essa característica foi transmitida para as gerações seguintes", explica um dos pesquisadores.

Os autores do estudo, liderados pela psicóloga Juliane Kaminski, da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, compararam lobos e cães. Os primeiros não conseguem movimentar a sobrancelha, porque não desenvolveram esses mesmos músculos acima dos olhos. Ao que parece, foi uma diferença decisiva entre as espécies - cachorros têm uma capacidade maior de interação social com humanos.



Ao erguer as sobrancelhas, cachorros ficam mais parecidos com filhotes e atraem a atenção dos humanos


Coisa de Bicho promove mega bazar nesta quinta-feira, 20, em Assis

Evento será realizado das 9h às 18h

Nesta quinta-feira, 20, o grupo Coisa de Bicho promove mais um Mega Bazar, em Assis. O evento será realizado das 9h às 18h, no Supermercado São Judas Tadeu.

Serão vendidas peças de roupas e sapatos novos e seminovos, incluindo roupas de marcas famosas. As peças terão valor único de R$3,00 cada e a renda do bazar será revertida para o custeio das ações voluntárias realizadas pelo grupo.

O Supermercado São Judas Tadeu fica na Rua Marechal Rondon, 111, na Vila Brasileira. Mais informações, acesse a página do grupo Coisa de Bicho Assis.



Sustentabilidade em alta: empresas aderem a medidas sustentáveis como coleta seletiva

Cada vez mais marcas vêm se conscientizando da importância da sustentabilidade, preservação da natureza e reciclagem; confira algumas empresas e suas iniciativas

Empresas engajadas e sustentáveis já não são mais a exceção. Cada vez mais, elas têm se tornado a regra, seguindo a tendência sustentável mundial e, claro, o posicionamento de seus clientes. Uma pesquisa de mercado realizada em 2017 pela Opinion Box trouxe a percepção dos consumidores brasileiros sobre o engajamento social e a sustentabilidade das empresas - e os dados não podiam ser mais reveladores: 42% dos clientes se preocupa muito com práticas sustentáveis durante as compras, enquanto mais da metade (54%) prefere marcas que evitam o desperdício e cuidam bem do meio ambiente.

Além disso, 85% dos consumidores brasileiros dizem se sentir melhor quando consomem marcas sustentáveis. Já 65% desse público deixaria de comprar produtos de empresas que poluem o meio ambiente. E não é só nacionalmente que a valorização da sustentabilidade tem ganhado espaço: outro estudo, promovido pela Unilever e pela Europanel, mostrou que um terço dos consumidores (entrevistados no Brasil, no Reino Unido, Turquia e Índia) consomem pensando na responsabilidade socioambiental das marcas.

"Green is the new black”: empresas aderem à sustentabilidade

Em busca de relevância no mercado, cada vez mais empresas investem em ações sustentáveis. Longe de meramente declarar apoio ao meio ambiente, algumas marcas realmente têm vestido a camisa "verde” e adotado uma postura consciente no que se refere à sustentabilidade. Confira alguns exemplos:

Santa Luzia: do lixo à matéria-prima com reciclados e recicláveis

Criada em 1942 em Braço do Norte (SC), a fábrica de espelhos Santa Luzia, hoje Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia, além da tradição no mercado também já tem história na reciclagem. Em 2012, a companhia revolucionou sua cadeia produtiva ao substituir 98% da matéria-prima inicial, madeira, pela reciclagem de resíduos plásticos como isopor e o poliuretano (PU).

O que para muitos podia ser considerado lixo, sem utilidade, a Santa Luzia reverteu em matéria-prima: o material é todo coletado por meio de parcerias com mais de 210 cooperativas espalhadas por todo o Brasil. Além disso, essa atividade gera mais de 3.800 empregos. Hoje, cerca de 10% do Poliestireno (isopor) e do Poliuretano produzidos no Brasil tem o destino correto por meio da Santa Luzia.

Grupo Eliane: sustentabilidade de dentro para fora

Não é só no Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, que o Grupo Eliane tem trabalhado para diminuir o impacto ambiental causado pela mineração em seu processo produtivo. A empresa de revestimentos já recebeu até o Troféu Onda Verde, mais importante prêmio da área ambiental da região sul do Brasil, pelos seus cuidados constantes no aperfeiçoamento das técnicas de lavra e recuperação das áreas degradadas. As ações visam destinar essas regiões a novas atividades, como agricultura, habitação, pastagem e reflorestamento.

Especializadas na fabricação de cerâmica, todas as fábricas da empresa prezam pela proteção dos recursos hídricos. Exemplo claros dessa filosofia sustentável são a construção de um sistema focado no tratamento de efluentes em Criciúma; além de um projeto para fechamento do circuito de resíduos em Cocal do Sul, garantindo o tratamento e reaproveitamento total dos rejeitos, bem como a Estação de Tratamento de Efluentes da Bahia.

Na sede do Grupo Eliane, não é diferente: a água da chuva é captada, tratada e utilizada pela companhia. E todos os resíduos sólidos criados com as atividades da empresa são separados para reaproveitamento, destinação adequada ou reciclagem posterior.

Eucatex: reaproveitamento é palavra de ordem

Indústria brasileira de papel e celulose criada em 1951, a Eucatex possui o selo FSC (Forest Stewardship Council® ou Conselho de Manejo Florestal) em todos os seus produtos provenientes de madeira. Assim, a marca atesta a responsabilidade da origem do material utilizado em seus processos.

A empresa investe ainda no Programa de Reciclagem Eucatex visando o reaproveitamento dos resíduos de madeira. Dessa fofma, a poluição é reduzida e a energia é gerada por meio da utilização de biomassa, além de reforçar a sua responsabilidade ambiental, já que a Eucatex também deixa de descartar os resíduos nos aterros e terrenos baldios em um raio de 100km da sua fábrica em Salto, interior de São Paulo, para usar esse material na co-geração de energia. Outro diferencial é que parte da madeira que seria descartada é usada em reformas ou na troca de móveis.

Sustentabilidade em ação: como implantar a coleta seletiva e outras medidas nas empresas?

Em busca de tornarem mais sustentáveis e engajadas socialmente, muitas marcas buscam implantar medidas como a coleta seletiva ou o reaproveitamento de resíduos. Mas antes de começar é importante entender como funciona a coleta seletiva.

Coleta seletiva em prática: como funciona?

Um projeto de coleta seletiva de sucesso demanda planejamento para que cada etapa seja verificada, além das parcerias essenciais com fornecedores para reaproveitamento dos resíduos. Outro ponto importante é a condução periódica de uma educação ambiental na empresa, assim, será possível contar com uma equipe verdadeiramente engajada com a causa.

Hoje, as formas mais comuns de coletas seletivas no Brasil são: a coleta porta a porta e a por Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) - a primeira pode ser realizada tanto pelo servidor público de limpeza quanto pelo prestador de serviço. Já os pontos de entrega voluntária consistem em locais estrategicamente situados perto de conjuntos de residências ou instituições para a entrega dos resíduos segregados com a coleta posterior feita pelo poder público. Há ainda a coleta por cooperativas ou associações de catadores de materiais recicláveis.

Implantando ações sustentáveis nas empresas

Seja a coleta seletiva, reaproveitamento de resíduos ou da água da chuva, o futuro de toda humanidade exige atitudes responsáveis para manutenção do meio ambiente. Com planejamento adequado de todo processo é possível implementar ações sustentáveis nas empresas e, dessa forma, dar o exemplo para seus colaboradores e consumidores. O meio-ambiente agradece!


85% dos consumidores brasileiros dizem se sentir melhor quando consomem marcas sustentáveis


Assisense pede ajuda para encontrar cavalo que fugiu

Animal desapareceu nas proximidades do Jardim Santa Amélia, em Assis

Os tutores de um cavalo estão em busca do paradeiro do animal, após ele fugir em Assis.

Segundo Lucas Almeida, ele deu o cavalo para seu irmão menor e a criança está muito triste, já que o animal fazia parte da família.

O animal estava em um pasto no Jardim Santa Amélia, nas proximidades do antigo colégio Diocesano. Ele atende pelo nome de Juvenal, tem a pelagem marrom escura e uma mancha branca entre a boca e a testa.

Caso alguém tenha informações do cavalo, pode entrar em contato com a família pelo telefone (18) 99690-3588.


Cavalo atende pelo nome de Juvenal e tem uma mancha branca que pode ajudar na identificação


Tutores buscam por gato desaparecido nas proximidades do Parque Buracão em Assis

O gato tem aproximadamente seis meses e não costuma sair de casa

Um gato está desaparecido nas proximidades do Parque Buracão em Assis, e seus tutores estão a sua procura.

O gato que não costuma sair de casa tem pelagem inteira cinza, olhos verdes, é macho, não castrado e tem aproximadamente 6 meses.

Quem tiver informações que ajudem a encontra-lo pode entrar em contato pelo número (18) 98140-6071.


O gato tem pelagem inteira cinza e olhos verdes