Buscar no site

Instintos Sanguinários

Elda Jabur

  • 24/04/24
  • 16:00
  • Atualizado há 4 semanas

Já me referi ao ditador Mussolini. A destruição infligida à população.

Passando pelos períodos históricos, encontramos de todos os tipos. O pior, eles voltam. Não sei se reencarnados. Mas cada vez, piores. Desde aqueles com pequenos ou muitos poderes .

A população sempre aberta a influência desses seres inescrupulosos.

VAMOS RETROCEDER UM POUCO NA HISTÓRIA.

Figuras que mataram e aterrorizaram.

Gengis Khan: ou Gengiscão, como ficou conhecido.

Foi o primeiro fundador de terras contínuas na Ásia. O império mongol ( dos séc. XIII ao XIV).

Seus guerreiros utilizavam o cavalo e estabeleceram o controle sobre a maior parte do mundo conhecido da época .A lenda fez desse soberano o próprio sinônimo de déspota sanguinário.

Era um assassino impiedoso.

Fazia atrocidades com os povos conquistados.

Matava ou queimava todos que encontrava. Deixava um rastro de chacinas e estupros.

Decapitavam as cabeças e as colocavam em estacas. Costume a ser utilizado posteriormente em suas conquistas pelos romanos.

Mandou jogar prata derretida nos olhos do governador de uma das cidades conquistadas.

Infelizmente esses métodos cruéis foram e ainda são utilizados pelos ditadores.

O que me impressiona, como populações deixam-se dominar durante décadas por esse tipo de pessoas. Governam através do terror, criando grandes exércitos subordinados ao seu dispor.

Agora vou falar um pouco sobre uma figura pouco conhecida no ocidente. Mas foi também terrível ditador.

Stalin

Foi um revolucionário comunista e político soviético. Governou a antiga União Soviética de 1920 até 1943.

Os relatos que faço nesse artigo, são baseados num escritor e que também iniciou sua carreira política como amigo de Stalin.

Depois, presenciando os horrores de seu governo, resolveu estudar muito a vida desse personagem, desde sua infância. Queria compreender porque tinha se transformado num terrível déspota sanguinário.

Ele vai em busca de relatos e biografia de sua infância. Queria verificar aspectos de sua personalidade ,segundo Trotski, um dos homens mais diabólicos da história.

Segundo o comentarista do livro, esse estudo ... " vem lançar luz forte sobre muitas zonas da história contemporânea".

Esse livro, como já disse, noz dá a possibilidade de repensar como surgem líderes que fascinam populações e depois transformam-se em seus exterminadores. teve

Trotski a paciência de pesquisar pormenores de sua infância e adolescência.

Os dizeres do comentarista sobre o livro de Trotski parecem relatar nossos dias. São atemporâneos.

Disse ele : " Os novos tempos trouxeram uma nova moralidade política". Mas eu me pergunto, que moral é essa?

Cita a..."oscilação do pêndulo da história, levando a superação em extensão e bestialidade

e crueza dos condutores políticos".

Deixa claro como se realiza a conquista do poder para garantir "um grau implacável" se mando.

Muito atual. Diz ele "Nenhuma época do passado foi tâo cruel , Tão feroz, tão cínica como a que vivemos".

Os dois, escritor e comentarista ficariam estarrecidos de ver

como a história se repete.

Afirma: " Todas as épocas de transição foram épocas de violentas lutas sociais, restrições morais, épocas de vida e morte. E por que não dizer, de muita falta de liberdade de expressão.

Já no início do séc. XX, afirmou: "EM MENTIRAS , a nossa época supera todas as demais".

Incrível relato do nosso cotidiano. Muito atual.

O comentarista se referiu ...á gigantesca fábrica de mentiras ( hoje chamamos fake News) montadas pelo Krêmlin ( a residência de Stalin), sob sua chefia".

Chocante. O introdutor disse " Stalin tinha total desprezo pelas idéias". Isso é novidade?

Na verdade, me baseei mais sobre os comentários do introdutor. O livro é longo, E é para mim uma relíquia. É um único livro que consegui ficar da vasta biblioteca que meu pai possuía.

Para mim, um dos maiores intelectuais que conheci.

Considero também um visionário e revolucionário do seu tempo. Todo o seu tempo livre era dedicado à leitura.

Tentando finalizar, Trotski teve que se exilar de seu país. Não adiantou. Acabou sendo morto a mando de Stalin quando vivia no México. Em 20 de agosto de 1940. Recebeu m golpe de picareta em sua nuca. Seus últimos manuscritos ficaram respingados de sangue.

Stalin teve vários filhos. Todos relegados à educação de outros. Nunca se importou com eles.

Foram infelizes. Um deles tentou se suicidar com um tiro. Como não conseguiu, o monstro disse que nem para isso ele servia.

Receba nossas notícias em primeira mão!

Veja também