08 de Fevereiro de 2023
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

O dezembro é laranja

COLUNISTA - Magali Nascimento

Olá

Além de todas as festividades, dezembro marca o início do verão. E a estação mais badalada e divertida do ano requer cuidados redobrados com um inimigo silencioso e perigoso: o câncer de pele.

A campanha do Dezembro Laranja, organizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), promove a conscientização a respeito dos riscos do câncer de pele e a orientação sobre hábitos adequados de proteção solar, a chamada fotoproteção.

O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 185 mil novos casos. O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém seus números são muito altos

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele, chamadas de melanócitos. Tal condição pode surgir pela exposição excessiva à radiação ultravioleta (UV), presente nos raios solares, que causa danos ao DNA dos melanócitos. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer.

Divulgação - Magali Nascimento, Podóloga - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
Magali Nascimento, Podóloga - Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal


E, como os assuntos de minhas colunas são sempre relacionados aos pés, gostaria de alertar sobre um tipo de câncer de pele raro, e de detecção mais difícil: o melanoma acral. Esse tumor, em seu aspecto inicial, também costuma ser semelhante a uma pinta, e pode surgir embaixo da unha e distorcê-la, como uma linha preta. É preciso ficar atento principalmente a manchas que crescem continuamente na planta do pé ou na palma da mão, os principais locais onde surgem o melanoma.

Evidentemente, alguns tipos de manchas são benignos. Entretanto, com o chamado método ABCD, é possível a detecção de alterações nas manchas ou pintas;

A - Assimetria: se o sinal, mancha/pinta é diferente em suas metades;

B- Borda irregular: quando o contorno da pinta/mancha/sinal é irregular ou não liso;

C - Cor: se as cores presentes na mancha, sinal ou pinta são diferentes, podendo ser: preto, marrom ou avermelhada;

D - Diâmetro: se a mancha, sinal ou pinta tem tamanho maior do que 6mm.

Uma consulta podológica, além de tratar os diversos tipos de problemas dos pés, é importante para a detecção precoce de um melanoma. Os conhecimentos sobre a anatomia dos pés de sua podóloga especializada serão determinantes. E, se detectadas alterações, ela fará o encaminhamento imediato para um dermatologista, que indicará, em conjunto com um oncologista, o tratamento mais indicado. Em geral, é necessária intervenção cirúrgica.

Felizmente, o câncer de pele, se detectado precocemente, tem mais de 90% de chances de sucesso no tratamento. Tenha sempre atenção e, em caso de dúvidas, procure ajuda profissional.

O uso de protetor solar, que contenha proteção UVA e UVB é imprescindível em todas as épocas do ano, mas principalmente no verão, e mesmo em dias nublados. Você se lembra de passar protetor em seus pés? Não se esqueça deles, e curta clubes, rios, praias ou piscinas com segurança.

Não espere sentir na pele.

Ah, e é claro, tome cuidado com afogamentos. Evite riscos desnecessários.

Beijo!
Divulgação
Magali Nascimento
Podóloga há 10 anos. Técnica em Podologia, pelo SENAC Marília, graduanda em Tecnologia em Podologia pela Unicesumar. Certificada e especialista em knesiopodo, correção de unhas, onicomicose, laser aplicado à Podologia, ácidos e peeling e tratamento de pés diabéticos,
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM