Buscar no site

Opinião: Economia do Brasil registra aumento de 2,5% no primeiro trimestre. O que será analisado pelos pré-candidatos a prefeito de Assis?

Artigo/Opinião

Professor Elielton

  • 04/06/24
  • 17:00
  • Atualizado há 2 semanas

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou na manhã desta terça-feira, 04, a alta de 2,5% do PIB (Produto Interno Bruno) no primeiro trimestre de 2024 em relação ao mesmo período do ano anterior. Este crescimento econômico é registrado no 18° mês, de um total de 48, do governo Lula III. O presidente afirmou: "mais uma prova de que estamos no rumo certo".

Ao comparar os períodos, observa-se aumentos na Agropecuária (6,4%), na Indústria (1,9%) e nos Serviços (2,3%) que pertence ao setor terciário da economia.

Quando o recorte é a comparação ao último trimestre de 2023, o aumento do PIB foi de 0,8%. Este aumento foi impulsionado pelo setor de serviços que abrange diversas atividades. O destaque foi principalmente o comércio com 3% de aumento. Significando maior consumo das famílias.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que o Brasil irá subir mais uma posição tornando-se o 8° maior PIB mundial ultrapassando a Itália.

Já a Agropecuária do setor primário registrou aumento de 11,3%, enquanto a Indústria do secundário marca queda de 0,1% o que é considerado como estabilidade.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos. É notório que é nos Municípios em que os serviços públicos chegam à população e que a desigualdade deve ser combatida incessantemente.

Neste momento de pré-campanha são divulgadas frases, postagens genéricas e de apelo emocional abordando valores, sustentabilidade social e ambiental, administração responsável, crescimento e princípios. Embora exista, são poucas as reflexões econômicas.

Segundo o IBGE, em 2021, Assis registrava média salarial de 2,4 salários-mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 26,25%. Na comparação com os outros municípios do estado ocupava as posições 194 de 645 e 205 de 645, respectivamente.

Há poucas análises sobre a integração econômica do Município junto ao estado e ao país, o que é um fator imprescindível para a geração de emprego, renda e consumo e que poderia melhorar tais posições e a qualidade de vida do assisense.

A dúvida é se os programas de governo que serão elaborados e publicados irão de fato apresentar projetos que possam potencializar o crescimento de Assis neste contexto de crescimento econômico nacional.

Serão programas concretos ou genéricos? Ainda não há como projetar dada a escassez analítica sobre economia apresentada até o momento.

*este texto não representa a opinião do Portal AssisCity e é de responsabilidade do seu idealizador

Receba nossas notícias em primeira mão!

Veja também
Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos