Buscar no site

Um pouco de poesia para nossas vidas

Elda Jabur

  • 15/08/23
  • 20:00
  • Atualizado há 44 semanas

Por Elda Cecília Bolfarini Jabur

Clarice Lispector: Eu adoro voar.

Já tive tanto medo

A ponto de não sentir minhas mãos

Já escondi um amor

A ponto de perde-lo

E já perdi um amor

Por escondê-lo

Já segurei nas mãos de alguém

Por medo

Já tive tanto medo

A ponto de não sentir minhas mãos

Já expulsei pessoas que amava

De minha vida

E já me arrependi por isso

Já passei noites chorando

Até pegar no sono

E já fui dormir tão feliz

A ponto de nem conseguir fechar os olhos

Já acreditei em amores perfeitos

Já aprendi que eles não existem

Já amei pessoas que me decepcionaram

E já decepcionei pessoas que me amaram

Já passei horas me olhando no espelho

Tentando descobrir quem sou

Já tive tanta certeza de mim

A ponto de querer sumir

Já menti

E me arrependi depois

Já falei a verdade

E depois me arrependi

Já sorri, chorando lágrimas de tristeza

E já chorei de tanto rir

Já acreditei em pessoas

Que não valiam a pena

E já deixei de acreditar

Nas que realmente valiam

Já tive crises de riso quando não podia

Já quebrei pratos...

Obs.: Essa famosa poetisa retratou muito bem os sentimentos.

Esses versos são muito significativos para mim.

"Faz escuro mas eu canto" Thiago de Mello: poemas.

Publicado em 1965. Foi o livro preferido do autor (falecido em 2022)

Quem teve a oportunidade de ouvi-lo falar, percebeu a maneira otimista com que encarava a vida e os sentimentos evocados em seus poemas. Esteve preso durante a ditadura militar de 1964. Nessa ocasião, encontrou um de seus versos escritos na cela.

Isso significou que a luta incessante pelo direito à vida encontrava eco em suas poesias.

A poesia: "Faz escuro, mas eu canto".

Por que amanhã vai chegar.

Vem comigo companheiro´´

A cor do mundo vai mudar

Já é madrugada,

Vem o sol, quero alegria,

Que é para aquecer o que eu sofria.

Quem sofre fica acordado

Defendendo o coração.

Vamos juntos, multidão,

Trabalhar pela alegria,

Amanhã é um novo dia".'

Agora, do mesmo.

"Os estatutos do homem"

Artigo I

Fica decretado que agora vale a verdade.

Agora vale a vida´

E de mãos dadas,

marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II

Fica decretado que, a partir deste instante,

Haverá girassóis em todas as janelas,

que os girassóis terão direito

a abrir-se dentro da sombria;

e que as janelas devem permanecer,

o dia inteiro,

abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo III

Fica decretado que todos os dias da semana,

Inclusive as terças feiras mais cinzentas,

Tem o direito de converter-se em

Manhãs de domingo.

Artigo IV

Fica decretado que o homem

Não precisará nunca mais

Duvidar do homem

Que o homem confiará no homem

Como a palmeira confia no vento,

Como o vento confia no ar,

Como o ar confia no campo e no azul do céu.

Obs.: Seguem mais dez artigos e comentário final.

Todos de beleza e encantamento.

Podemos considera-lo uma parte importante da cultura.

Nesse artigo, vou me referir também às Artes Maciais.

Mais uma vez, levada à esse campo de interesse pelo fratrer Lindemberg Pereira dos Santos.

Desde menino, acompanhou seu pai nessa atividade. O Sr. Élio Pereira dos Santos, por muito tempo ensinou essa arte. Era chamado Mestre sansei Lio dos Santos.

Essas artes são originárias do mundo oriental e já exerce grande influência em nossa cultura.

Essas práticas atuam no nosso campo físico e mental. São derivadas de exercícios físicos e alongamento.

Elas são divididas em diferentes graus e o principal objetivo é o preparo dos praticantes.

Alguns exemplos de artes marciais.

Jiu-jitsu, judô, karatê, Kung fu, Muay thai, taekwondo, etc.

Essas práticas remontam à antiguidade oriental.

O fratrer Lindemberg atua no campo da Artes Plásticas, com formação acadêmica. Já destaquei também que é gaitista e locutor.

Ele cita também a capoeira, como exemplo de luta ou dança.

Define-a mais que um estilo e diz que o exemplo de se pai foi fundamental.

Segundo suas palavras, leva esses conhecimentos para a vida. Nunca se entrega à monotonia e está em constante busca do aperfeiçoamento.

É também Rosacruz, e isso o torna muito místico.

Atualmente adota alguns pseudônimos como Mister Lee (evoca para isso Bruce Lee e Rita Lee).

Resumindo.

A prática de artes culturais nos tira da sensação da efemeridade da vida. Basta ver a longevidade que os orientais alcançam.

Aliando a isso práticas físicas, o ser humano pode ter uma vida com muita saúde e qualidade.

Por Elda Cecília Bolfarini Jabur. Professora de história, faz pintura a óleo sobre tela e é Rosacruz.

Receba nossas notícias em primeira mão!

Veja também
Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos