Buscar no site

Aeroporto de Assis: um olhar para o passado e para o futuro

O crescimento da cidade para aquela região inviabilizava a existência do aeroporto

Fernando Nascimento

  • 03/05/23
  • 10:00
  • Atualizado há 55 semanas

60/118

O capítulo de hoje será aéreo. São 85 anos de história da aviação em nossa cidade.

No longínquo ano de 1938, foi inaugurado o primeiro aeroporto da cidade, conhecido como Campo de Aviação. Localizado no atual Jardim Aeroporto (por isso o nome do bairro), além de pousos e decolagens, também foi onde muitos assisenses aprenderam a dirigir.

Na década de 1950, as pistas de terra batida recebiam pousos e decolagens da VASP, em uma linha regular para São Paulo. Mesmo com toda a poeira levantada, os aviões eram uma atração que reunia muitas pessoas todos os dias.

Divulgação - Aeroporto de Assis - Foto: Divulgação
Aeroporto de Assis - Foto: Divulgação

O crescimento da cidade para aquela região inviabilizava a existência do aeroporto. Assim, nos anos 60, começou a ser construído um novo espaço, às margens da Rodovia Raposo Tavares. Inaugurado em 1967, o aeroporto foi municipal e, depois, estadual por vários anos.

Em 1969, um grupo de amigos da cidade e da região, apaixonados por aviação, compraram um avião em sociedade, para poderem fazer seus voos: era a criação do Aeroclube de Assis, localizado ao lado do aeroporto.

Divulgação - Inauguração aeroporto em 1938 - Foto: Divulgação
Inauguração aeroporto em 1938 - Foto: Divulgação

A Lei Estadual nº 8.954, de 1994, homenageou o piloto assisense Marcelo Pires Holzhausen, dando seu nome ao Aeroporto Estadual de Assis.

Apesar de toda a estrutura, o aeroporto não recebeu muitas linhas regulares. Por algum tempo houve voos da empresa Pantanal. Nos anos 200, a cidade recebeu alguns voos fretados, em viagens para o nordeste, feitos pela TAM. Hoje em dia, conta com táxi-aéreo, voos agrícolas, além de servir ao Aeroclube. Aviões e helicópteros pousam por ali.

Pista - Foto: Divulgação
Pista - Foto: Divulgação

Nosso aeroporto conta com equipamentos e instalações aptos para voos comerciais: uma pista pavimentada de 1700 metros, balizamento noturno, farol rotativo, biruta, local para abastecimento e áreas de embarque e desembarque. Suas siglas são AIF (IATA) e SNAX (ICAO).

Em fevereiro do ano passado, os representantes da ASP - Aeroportos Paulistas, empresa composta pela Socicam e pela Dix Empreendimentos, assinaram o contrato que deu início à concessão de 11 aeroportos no Estado de São Paulo, entre eles o de Assis.

Divulgação - Aeroclube 2 - Foto: Divulgação
Aeroclube 2 - Foto: Divulgação

O contrato prevê investimentos em melhorias, o que nos acende a esperança de que o local volte a operar comercialmente, utilizando a estrutura existente. Certamente você deve se perguntar quando isso poderá acontecer…

Durante este especial, falamos sobre a EFS/FEPASA, e todo o progresso que a presença da ferrovia proporcionou para a cidade.

É possível que linhas aéreas comerciais também proporcionem uma nova fase de crescimento para Assis, ainda que em escala diferente dos trilhos da estrada de ferro. Novas empresas, com consequente geração de empregos, além de poder ajudar a impulsionar o setor turístico, entre outras coisas.

Divulgação - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

É importante sabermos que esta é uma luta de todos, e os benefícios poderão ser sentidos por toda a população de Assis e região, ainda que nem todos utilizem diretamente os serviços do aeroporto. Políticos, empresários, sociedade civil, poder público, cada um de nós pode ser um agente para ajudar no desenvolvimento da cidade. Todos ganharemos.

Um abraço especial ao senhor Geraldo e ao Marinaldo, funcionário da ASP, que nos receberam tão bem em nossa visita ao aeroporto. Menção honrosa ao Irineu, exímio mecânico de aviões.

Esperançoso por novas conquistas para Assis.

Foto: Divulgação -
Foto: Divulgação -

Assis Especial 118 anos - Foto: Divulgação
Assis Especial 118 anos - Foto: Divulgação

Receba nossas notícias em primeira mão!

Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos