Buscar no site

Campanha "Eu Separo, Eu Reciclo" une instituições no Combate à Poluição em Assis

O objetivo é promover a conscientização sobre práticas sustentáveis e incentivar a população a adotar a separação adequada de resíduo

Redação AssisCity

  • 15/08/23
  • 11:00
  • Atualizado há 44 semanas

O município de Assis se uniu a parceiros de importantes, como o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), a Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Assis, o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (GAEMA), a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) e o Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema (CIVAP), para lançar a campanha "Eu Separo, Eu Reciclo".

A iniciativa, liderada pelo CIVAP, visa sensibilizar a população sobre práticas sustentáveis e fomentar a correta separação de resíduos, contribuindo para a redução da poluição e do impacto ambiental.

Prefeitura de Assis/Divulgação - Campanha
Campanha "Eu Separo, Eu Reciclo" une instituições no Combate à Poluição em Assis - FOTO: Prefeitura de Assis/Divulgação

"Ao promover a campanha 'Eu Separo, Eu Reciclo', não estamos apenas incentivando a reciclagem, mas também estamos reduzindo a emissão de gases prejudiciais ao meio ambiente", destaca Ana Paula Marques, Secretária de Agricultura e Meio Ambiente. Ela convida calorosamente os cidadãos a adotarem a separação correta de resíduos tanto em suas residências quanto em seus locais de trabalho.

O prefeito José Fernandes ressaltou ainda a importância da colaboração entre instituições para enfrentar os desafios ambientais. "Nossa parceria com diversas instituições ressalta nosso compromisso coletivo em abordar desafios significativos. A simples prática de separar os resíduos têm um impacto notável na reciclagem e na diminuição da poluição."

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 70% dos brasileiros não realizam a separação de resíduos em suas casas. Mesmo com 77% da população ciente de que grande parte dos plásticos pode ser reciclada, muitos ainda optam pelo descarte inadequado.

Para melhor orientação na separação, aqui estão as categorias:

Resíduos Orgânicos: restos de alimentos, cascas de frutas, materiais sanitários, papéis gordurosos, fraldas descartáveis;

Resíduos Recicláveis: papéis/cartões, latas, vidros, plásticos, embalagens de leite e suco, óleo de cozinha usado (em garrafas PET);

Resíduos da Construção Civil: gerados em construções, reformas, reparos e demolições. Exemplos incluem tijolos, blocos cerâmicos, concreto, solos, rochas, azulejos, metais, resinas, colas, tintas, madeiras, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações e fiação elétrica.

Na prática:

- Resíduos de construção devem ser descartados em caçambas ou ecopontos específicos.

- Materiais recicláveis como plásticos, papelão, metais e vidros devem ser destinados à coleta seletiva.

- Substâncias contaminadas como tintas, colas e solventes devem ser descartadas em empresas especializadas.

Latinhas tem valor comercial e causam um grande prejuizo ao meio ambiente se jogadas na natureza - FOTO: Rovena Rosa/ Agência Brasil
Latinhas tem valor comercial e causam um grande prejuizo ao meio ambiente se jogadas na natureza - FOTO: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Receba nossas notícias em primeira mão!

Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos