Buscar no site

Duas crianças são afastadas de escola infantil por suspeita de Rubéola; Saúde realiza vacinação no local

Resultado dos exames devem sair na próxima semana

Redação AssisCity

  • 19/04/24
  • 11:00
  • Atualizado há 4 semanas

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, nesta quarta-feira, 17 de abril, dois casos de suspeita de rubéola em alunos da Escola Municipal de Ensino Infantil "O Pequeno Polegar" em Assis. As crianças já receberam atendimento médico e aguardam resultados de exames que devem ficar prontos na próxima semana. Uma segunda amostra de exames será realizada após 15 dias.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, os casos ainda estão em investigação e não há nada confirmado. Uma equipe da unidade de saúde esteve na escola para realizar a vacinação nas crianças e orientar os pais e responsáveis sobre o caso.

Pais de alunos da escola entraram em contato com o Portal AssisCity informando que a carteira de vacinação das crianças é exigida no ato da matrícula e questionaram a sua finalidade, pois suspeitam que nem todos os alunos estejam com todas as doses atualizadas.

Divulgação - A Secretaria Municipal de Saúde confirmou dois casos de suspeita de rubéola na Escola Municipal de Ensino Infantil
A Secretaria Municipal de Saúde confirmou dois casos de suspeita de rubéola na Escola Municipal de Ensino Infantil "O Pequeno Polegar" em Assis - Foto: Divulgação

Em entrevista ao Portal, a chefe do Departamento Infantil e Pedagógico da Secretaria Municipal da Educação, Graziela Cristina de Oliveira Holmo, falou sobre o caso das crianças afastadas. "Nós tivemos duas crianças com suspeita de rubéola, doença da infância, comum nas crianças que acomete inclusive as já vacinadas, sendo estas com menos riscos de complicação. Ao ser informada do primeiro caso, a escola já acionou o posto de saúde e marcou uma vacinação no local para todos os alunos de toda sala de aula, assim como identificou todas as crianças com vacinação atrasada e notificou o posto de saúde", disse.

Sobre a necessidade de apresentar a carteira de vacinação no ato da matrícula, Graziela explica que a escola realiza um trabalho de orientação às famílias sobre a necessidade de manter as doses vacinais em dia. "No ato da matrícula toda criança apresenta a cópia da carteirinha de vacina. Uma vez identificado o atraso, orienta-se a família a procurar o posto de saúde e colocar a vacinação em dia. O posto de saúde também é comunicado e caso for identificado que a família não levou para atualizar a vacina, o Conselho Tutelar é notificado para que sejam tomadas as providências cabíveis. No caso da vacinação, a escola realiza um trabalho integrando saúde e educação para garantir o direito das crianças a saúde, no entanto, não podemos impedir a criança de frequentar às aulas por falta de vacina. Não é responsabilidade da escola vacinar ou punir pais negligentes, o que cabe a escola é a orientação as famílias", disse.

A rubéola é uma doença infecto-contagiosa que atinge principalmente as crianças, de cinco a nove anos. Sua transmissão acontece de uma pessoa a outra, através da emissão de gotículas das secreções respiratórias dos doentes.Os sintomas da rubéola são febre, dor de cabeça, dor muscular, coriza, tosse, conjuntivite e erupção cutânea avermelhada.

A melhor forma de prevenir a doença é através da vacinação. A vacina tríplice viral, contra sarampo, caxumba e rubéola, é aplicada gratuitamente nas unidades básicas de saúde do município.

Receba nossas notícias em primeira mão!