Buscar no site

Homem acusado de importunação sexual contra menina de 7 anos em Assis presta esclarecimentos e é liberado

Câmera de segurança flagrou o momento em que o homem ficou parado na esquina da casa da avó da menina com seu órgão genital à mostra

Redação AssisCity

  • 15/04/24
  • 17:00
  • Atualizado há 5 semanas

No início da tarde desta segunda-feira, dia 15 de abril, os advogados de defesa do homem acusado de importunar sexualmente uma menina de 7 anos no bairro Vila Nova Assis, da Alves & Vanzella Advogados Associados, emitiram uma nota à imprensa contestando as acusações.

Na nota, os advogados destacaram que o caso trata-se de uma "suposta prática delitiva de um crime sexual no contexto de direito consuetudinário". Em resumo, a defesa expõe que pode ser tipificado como ato criminal de importunação sexual, portanto, reconhece-se que houve uma possível violação das normas sociais e legais, com eventual impacto ou gravidade.

Os advogados acrescentam que "trata-se de um ato criminal sobreposto a informações mínimas as quais não fundamentam a sua prisão". Afirmaram ainda que "nada veio a ser provado em concreto", ressaltando que o indiciado compareceu às autoridades, prestou esclarecimentos e foi liberado. A defesa técnica do indiciado irá buscar provar sua inocência durante o desenrolar da investigação, conforme mencionado na nota.

O Portal AssisCity buscou informações sobre os próximos procedimentos jurídicos junto aos advogados, que explicaram: "Desde que o caso foi aberto, o inquérito policial está em andamento, onde os documentos apresentados serão analisados na formalidade da primeira fase da persecução penal. Salvo que ele já prestou esclarecimentos no plantão policial na Central de Polícia Judiciária (CPJ) e está em liberdade."

Reprodução - Homem acusado de importunação sexual contra menina de 7 anos em Assis presta esclarecimentos e é liberado
Homem acusado de importunação sexual contra menina de 7 anos em Assis presta esclarecimentos e é liberado

Em relação às agressões sofridas pelo indiciado após a descoberta de seu endereço por parte da família da vítima e outros moradores, os advogados afirmaram que a família do acusado não pretende apresentar nenhuma ação indenizatória aos que o agrediram e danificaram o veículo.

O caso aconteceu neste domingo, dia 14 de abril, quando câmeras de segurança flagraram o momento em que uma menina de 7 anos chega até a porta do estabelecimento comercial de sua avó e entra, logo em seguida, um carro prata é visto parando na esquina com um homem com o órgão genital à mostra.

Segundo a avó da menina, Silvana Rodrigues, a criança achou que o homem estava apenas fazendo xixi. A polícia foi comunicada, mas por falta de provas, nada pode ser feito. À tarde, por volta das 17h, o endereço do homem foi descoberto pela família após o vídeo das câmeras de segurança terem sido postados nas redes sociais.

A família da menina e outros moradores da região foram até o local e, usando de violência, fizeram com que o homem confessasse o que tinha feito com a menina. A polícia foi novamente chamada ao local e, mais uma vez, afirmou que não poderia fazer nada pois o homem não havia feito nada diretamente para a menina.

O caso foi apresentado na Delegacia de Defesa da Mulher e está sob responsabilidade da delegada Dra. Raquel Santos de Oliveira que, em nota enviada à nossa redação na manhã desta segunda-feira, frisou que "por se tratar de crime envolvendo criança, onde, inclusive populares agrediram o autor na data de ontem, não posso passar informações, visando preservar as partes. Todas as providências de polícia judiciária foram adotadas e o procedimento será encaminhado ao Poder Judiciário ainda hoje".

O Portal AssisCity segue acompanhando o caso.

Receba nossas notícias em primeira mão!