Buscar no site

Polícia Civil usa imagens de segurança e descreve homicídio de mulher na Prudenciana

Imagens de câmera de segurança mostram o momento em que o assassino sai correndo de um terreno atrás da vítima

Redação AssisCity

  • 30/05/23
  • 15:00
  • Atualizado há 46 semanas

Na tarde desta terça-feira, 30 de maio, o Portal AssisCity teve acesso ao boletim de ocorrência da Polícia Civil, sobre os fatos que ocasionaram na morte de Michele Cristina Vieira de Araújo, de 46 anos.

De acordo com o boletim, no sábado, 27 de maio, o SAMU atendeu a ocorrência, encontrando a mulher desacordada na Rua Machado de Assis, na Vila Prudenciana, em Assis, e no caminho até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), veio a óbito.

A equipe policial foi acionada e se deslocou até o local do fato, onde foram colhidas imagens de câmeras de segurança, que ajudaram na reconstrução dos fatos, além de roupas, pertences e documentos da vítima.

Uma testemunha alegou que por volta das 7h de sábado ouviu gritos vindos da rua, e uma voz masculina dizendo 'fica quieta, senão eu te bato mais', além disso disse ainda que viu um homem sem camisa passando logo após os fatos, e que acreditava estar envolvido no crime.

Outra testemunha afirmou ter visto a vítima caída no chão e logo após a equipe do SAMU chegou para fazer o resgate.

Divulgação - Michelle Cristina Vieira de Araújo de 46 anos - Foto: Divulgação
Michelle Cristina Vieira de Araújo de 46 anos - Foto: Divulgação

Perícia

Durante a perícia no local do crime e nas proximidades, foi encontrada uma saia, a qual a polícia acredita que seja da vítima, já que ela seguiu correndo pela rua, derrubando vários pertences pelo caminho.

Além disso, com o corpo já no IML, foi observado que a roupa de Michelle estava com carrapichos e suja de terra molhada, por isso a equipe buscou algum local que poderia estar envolvido no histórico do crime.

Então, foi observado que próximo ao local onde Michele foi encontrada, havia um terreno, na esquina das ruas Capivari e Pântano, ao chegarem próximo ao terreno identificaram em um canto, um local que havia sido usado para relações sexuais.

Alí foi encontrada a blusa da vítima, usada em uma de suas últimas aparições com vida. Além disso, foram encontrados carrapichos similares aos que estavam no necrotério.

O par de sapato perdido de Michele, foi encontrado a duas quadras do local onde ela foi encontrada, e logo na esquina sua bolsa, com documentos pessoais.

Os fatos

Nas imagens obtidas e descritas no boletim de ocorrência, a Polícia Civil alega:

"Primeiramente, a vítima estava bebendo em um comércio da região, e o autor estava pelo local também. Pelas vestes da vítima e pelo seu histórico de abuso de substâncias químicas, acredita-se que possa ter oferecido ao autor que mantivesse relação sexual com ele em troca de valor ou outra coisa. Os dois teriam se dirigido ao terreno ali próximo, na Rua Capivari, defronte ao numeral 158. Algo pode ter saído errado e os dois se desentendido, e então a confusão se iniciou. Pelas filmagens, é possível visualizar que às 06h51 o autor passa correndo atrás da vítima vindo do terreno em direção à Rua Machado de Assis. A vítima então é atacada e cai ao solo (já no local em que foi localizada e socorrida), tendo sofrido várias investidas com chutes por parte do autor. Mesmo desacordada e sem reagir, ela segue sendo agredida. Segundo a filmagem, é possível ver quando o autor olha para o próprio braço e em seguida aponta o dedo para a vítima - o que nos leva a crer que ela o teria machucado, possivelmente para tentar se defender. Em razão disto, não é possível afirmar se o sangue encontrado na Rua Capivari seria da vítima ou até mesmo do autor, tendo sido efetuada coleta pericial para posterior confronto. O autor chega a se afastar da vítima, mas retorna para agredir ainda mais o corpo que ali aparentava estar desacordado, e em seguida sai do local. Não demonstrou qualquer sinal de arrependimento ou de hesitação quando estava agredindo a vítima.", descreve o boletim de ocorrência.

Após análise das imagens das câmeras de segurança foi possível identificar o autor.

Como divulgado na reportagem feita pelo Portal AssisCity, no dia 28 de maio, domingo, a polícia prendeu o assassino, de 34 anos, morador de Cruzália, que assumiu ter matado Michele, e estaria fungindo do estado, quando foi abordado pela equipe polícial.

O homem já é conhecido nos maios policiais, por tráfico de drogas e permanece preso e ficando à disposição da Justiça.

O boletim de ocorrência assinado pelo Delegado de Polícia Civil Mateus Orlandi Buchaim foi registrado como Homicído/Feminicídio - contra a mulher por razões da condição de sexo feminino.

Receba nossas notícias em primeira mão!

Mais lidas
Ver todas as notícias locais