Buscar no site

Homem morto por ex-esposa em Marília havia descumprido medida protetiva quatro vezes

Após ser perseguida, a mulher desferiu golpes de faca contra o ex

Redação AssisCity

  • 15/02/24
  • 12:00
  • Atualizado há 9 semanas

Nesta quarta-feira, 13 de fevereiro, o homem morto pela ex-esposa foi identificado como Diego Honorato Andrade, de 29 anos.

Divulgação - Homem morto por ex-esposa em Marília havia descumprido medida protetiva quatro vezes - FOTO: Divulgação
Homem morto por ex-esposa em Marília havia descumprido medida protetiva quatro vezes - FOTO: Divulgação

Segundo o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, a equipe foi acionada para intervir em uma briga de casal, e ao chegar na residência encontrou a mulher sentada na varanda da casa, com a filha de apenas um ano e sete meses.

Em depoimento, a auxiliar de enfermagem alegou que havia matado Diego em legítima defesa, afirmando que ela tinha medida protetiva contra ele, devido ao seu histórico de violência.

A mulher ainda explicou que estaria em sua casa, quando Diego invadiu o imóvel muito exaltado, falando que tinha acabado de matar uma pessoa e que queria que a ex-mulher estivesse "fechada" com ele para visitá-lo na cadeia.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, a mulher disse que não iria. Foi quando Diego começou a agredi-la com tapas no rosto. Já fugindo do homem, a mulher correu até a cozinha e pegou uma faca para se defender.

Quando Diego entrou na cozinha, na intenção de voltar a agredi-la, a mulher desferiu os golpes de faca contra o agressor. Diego ainda conseguiu ir até o quarto, onde caiu na cama, ferido.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado no local e constatou a morte do homem. Depois do ocorrido, a mulher ligou para a sua irmã, que acionou a Polícia Militar, que localizou a faca usada durante o ataque.

De acordo com o BO, não havia testemunhas no endereço. A perícia esteve no local e a auxiliar de limpeza foi encaminhada até a Central de Polícia Judiciária (CPJ).

A delegada de plantão entendeu que houve legítima defesa, devido ao histórico de violência doméstica, somado ao fato de que, Diego, praticou uma possível tentativa de homicídio horas antes de comparecer na casa da mulher e confidenciou o caso à ex-companheira, causando temor em relação à sua vida. A mulher acabou liberada.

Diego foi sepultado nesta quarta-feira, dia 14, às 16h30, no Cemitério da Saudade de Marília.

Receba nossas notícias em primeira mão!