Buscar no site

Como aumentar a imunidade das crianças

Com a retomada das aulas, os pequenos ficam mais expostos a micro-organismos nocivos; é hora de dar aquela turbinada no sistema imunológico com as dicas de quem entende do assunto

  • 08/02/23
  • 09:00
  • Atualizado há 71 semanas

As férias acabaram. Entre a alegria de ver os filhos estudando e a volta à uma rotina mais sobrecarregada, os pais ficam apreensivos também com outra questão: criança na escola, muitas vezes, significa inúmeros episódios de viroses, gripes e resfriados. Em contato com outros colegas, a imunidade dos pequenos fica fragilizada e quadros infecciosos começam a aparecer. Especialmente nos primeiros anos de vida, o sistema imunológico das crianças é um fator importante nessa conta. "A imunidade pode ser definida como a resposta que o corpo é capaz de gerar, com o objetivo de proteger o organismo de possíveis infecções ou reações causadas por um antígeno ou agentes estranhos, como vírus e bactérias", detalha a otorrinolaringologista do Hospital CEMA, Marcele Fernandes.

Com o retorno às aulas, os quadros de infecções de vias aéreas superiores aumentam, entre elas, dores de garganta, congestão nasal, espirros, febre, tosse e otites. "É comum ouvirmos os pais dizerem: 'meu filho está com a imunidade baixa'. No entanto, baixos índices de células imunológicas são típicos de algumas doenças específicas e com índice mais baixo de prevalência. Não é que a criança tenha uma baixa imunidade ela está no período da vida de adquirir essa imunidade", esclarece a especialista.

"Por isso, se pensarmos dessa forma, pode-se entender que adquiriremos a imunidade de forma ativa. Tendo o contato com um antígeno, a imunidade vai gerar células de defesa e memorizará essa resposta imunológica para um próximo contato com esse mesmo agente", afirma a médica. É possível adquirir a imunidade ativa através das vacinas. Por isso é muito importante a vacinação tanto para quem toma como parar todos que vivem em sociedade, diminuindo as complicações e propagações das doenças transmissíveis.

Contudo, é possível sim, proteger as crianças dessas infecções frequentes. "O corpo já tem uma barreira física de imunidade que é a nossa pele, a mucosa e as secreções. Seguindo corretamente os protocolos de higiene: lavando bem as mãos, realizando a lavagem nasal com soro fisiológico e fazendo uma alimentação saudável, deixaremos nossa máquina em pleno funcionamento para enfrentar todas as batalhas contra esses microrganismos", aconselha Marcele.

Receba nossas notícias em primeira mão!

Colunistas Blog Podcast
Ver todos os artigos