22 de Setembro de 2019
17º/30º
ENTRETENIMENTO » BLOG

Startup permite que viajantes transformem hobby no próprio negócio

App de compartilhamento de bagagens possibilita renda extra para viajantes que trouxerem encomendas no espaço vago da mala

Guardar um espaço na mala para as encomendas de parentes e amigos já é uma prática comum para quem costuma viajar ao exterior. E, com os avanços da tecnologia e surgimento de novos mercados é possível transformar esse hobby em negócio próprio. Uma boa alternativa para assumir a "profissão viajante” é apostar na economia compartilhada - iniciativa que tem crescido muito nos últimos anos. Para se conectar ao maior número de pessoas ao redor do mundo o viajante pode se cadastrar em apps de compartilhamento de bagagens.

Um exemplo no Brasil, é o Grabr, aplicativo disponível em mais de 120 países que conecta viajantes a compradores e possui mais de 1,3 milhões de usuários cadastrados em sua plataforma. O Grabr conta com um programa de "recompensas”, que permite ao viajante monetizar suas viagens: ao trazer produtos dentro do espaço livre de suas bagagens, o viajante recebe uma bonificação, que é calculada pelo app com base no preço do produto e pode ser diretamente negociada com a outra parte, o comprador.

"De acordo com dados da nossa plataforma, o Brasil é um dos destinos que mais recompensa os viajantes, com uma média de ganhos em torno de US$ 500 por viagem. E, como incentivo, a cada dez itens transportados em uma única viagem, a Grabr ainda oferece um prêmio de US$ 100”, explica Ivan Castro, gerente de marketing da Grabr.

Com a palavra, a compradora que virou viajante

A professora Talita Pazeto utiliza o aplicativo há dois anos. "Eu comecei a usar o app como compradora - fazia diversas encomendas de artigos infantis pelo site para viajantes que estavam indo para fora do país, principalmente para os EUA. O custo-benefício vale muito à pena. Quando viajei para fora do país para passar férias, me cadastrei como viajante para poder testar o outro lado e também trazer alguns itens para os brasileiros. Deu tudo certo e a experiência foi bem bacana. Com a recompensa dos pedidos consegui pagar uma parte das compras da viagem”, conta.

Viajante chegou a receber mais de R$2,5 mil ao trazer encomendas na mala

"Eu amo viajar, mas os gastos com passagem, hospedagem e passeios acabam pesando no bolso, ainda mais com a alta do dólar, mas quando descobri o Grabr fiquei mais aliviado, pois eu acabo lucrando quando viajo”, explica o professor Tassio Luz. Ele começou usar a plataforma como comprador e depois decidiu se cadastrar também como viajante, pois conheceu diversos usuários que transformaram o espaço vago na mala em negócio. "Conheci muitas pessoas por meio do app, fiz ótimos contatos e me diverti. Algumas pessoas me contaram que gostaram tanto da experiência que hoje vivem disso”, finaliza.

Como funciona para o comprador

Para gerar um pedido na plataforma é necessário inserir alguns dados do produto como a descrição do item e link de onde ele pode ser comprado no país do exterior. Com isso, viajantes indo ou voltando destas localidades podem trazer o produto, com uma taxa de recompensa, negociada dentro do app, com base no preço do produto. O valor da comissão só é liberado para o viajante após a entrega ser efetuada, garantindo a segurança do acordo. Em caso de problemas com o pedido e entrega da compra, a startup reembolsa os valores pagos, garantindo a segurança das transações. O comprador além de economizar, não precisa pagar altas taxas de frete nem esperar meses para receber o produto.

Divulgação
Bem-Estar
+ VEJA TAMBÉM