19 de Janeiro de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Rapaz de 22 anos é assassinado com tiros na cabeça em Álvares Machado

Testemunha contou que viu três indivíduos com toucas no local quando houve os disparos contra a vítima, que havia ido à casa de um vizinho para jogar game no celular

Um rapaz de 22 anos foi assassinado na noite deste domingo (30) com tiros na cabeça em frente a uma residência vizinha à sua casa, no Parque dos Pinheiros, em Álvares Machado.

De acordo com as informações do Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia da Polícia Civil, três indivíduos fugiram a pé após efetuarem os disparos contra a vítima, que morreu no local.

As investigações sobre o caso, registrado como homicídio qualificado, já tiveram início, mas ninguém foi preso.

A esposa da vítima contou à polícia que o rapaz, um azulejista, saiu de casa por volta das 23h para ir à residência de um vizinho para jogar game de celular. Após a saída do marido, a mulher, de 20 anos, ouviu diversos disparos e, ao olhar pela janela, viu três indivíduos correndo para a área central do bairro. A esposa ainda avistou o companheiro caído na frente da garagem da residência vizinha.

A mãe do rapaz, uma mulher de 45 anos, disse ter recebido uma ligação de sua nora, que lhe informou de que seu filho havia sido ferido com tiros na cabeça.

Uma Unidade de Resgate (UR) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA) do Corpo de Bombeiros compareceram ao local, onde um médico confirmou a morte da vítima.

Os policiais militares que trabalharam no atendimento da ocorrência cercaram a área e perceberam diversas cápsulas de munição espalhadas próximas ao corpo da vítima.

Durante os trabalhos da perícia no local, a Polícia Científica recolheu duas munições picotadas, três cápsulas e um projétil. Após a elaboração da perícia, foi localizada ainda uma cápsula de munição de calibre 380 no trilho do portão da residência.

Os policiais realizaram diligências na casa em busca do aparelho celular da vítima, mas o telefone não foi localizado.

Também foram realizadas diligências com pessoas que estavam nas imediações, mas não resultaram em nenhuma informação sobre a possível autoria do assassinato.

Segundo a Polícia Civil pontuou, "o local dos fatos é periférico, de pouca luminosidade e desprovido de câmeras de monitoramento que possam auxiliar na elucidação” do caso.

A Polícia Militar acionou uma funerária, que compareceu ao local e encaminhou o corpo da vítima ao Hospital Regional (HR), em Presidente Prudente, para a realização da necropsia.

‘Não corre, não’
Durante a elaboração do registro da ocorrência, o rapaz de 20 anos, morador da residência em frente da qual a vítima foi assassinada, compareceu à Delegacia da Polícia Civil e testemunhou detalhes sobre o caso.

Ele declarou que estava com a vítima no local, contudo, pouco antes do assassinato, entrou na sala de sua casa para ver seu filho e, ao retornar para fora, defronte a garagem, apenas ouviu um indivíduo falar: "Não corre, não. Não corre, não”.

Ao sair, o morador contou que percebeu a presença de três indivíduos com toucas na cabeça e que não notou se estavam armados.

Com medo, o rapaz voltou para dentro da casa, pegou seu filho no colo e saiu por uma porta lateral e pelo outro portão, ouvindo diversos disparos.

O morador também disse que se escondeu com seu filho em um terreno baldio e que não visualizou a fuga dos indivíduos.

Por fim, o morador declarou ainda que só estavam ele e a vítima, já que jogavam um game de telefone antes do ocorrido, e que tinham se encontrado havia pouco mais de dez minutos.


Delegacia da Polícia Civil em Álvares Machado


G1
+ VEJA TAMBÉM