21 de Agosto de 2019
17º/30º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Paraguaçu registra primeira morte suspeita de gripe

Mulher de 65 anos estava internada no Hospital de Caridade de Paraguaçu e não havia tomado a vacina contra a gripe; a campanha prossegue até o próximo dia 31 em todas as unidades de Saúde

Foi registrada a primeira morte suspeita por gripe H1N1 em Paraguaçu Paulista, nesta quinta-feira (23), de acordo com a informação do Departamento de Saúde. Trata-se de uma mulher de 65 anos, cujo nome não foi divulgado, que não tomou a vacina contra a gripe e que estava internada na UTI – Unidade de Terapia Intensiva – do Hospital de Caridade de Paraguaçu.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Saúde, conforme informação da Vigilância
Epidemiológica, que reforça o alerta de prevenção.

"Chamo a atenção, principalmente, para a importância da vacinação em crianças de seis meses a menores de seis anos, idosos e gestantes. Esse grupo é considerado prioritário, pois é formado de pessoas mais vulneráveis e que correm maior risco de óbito se contraírem a gripe H1N1 e não estiverem vacinadas”, orientou a coordenadora do setor de Vigilância Epidemiológica do Departamento de Saúde, Gisele Oliveira.

Longe da meta

A uma semana do fim da campanha já que a vacinação segue até o dia 31 de maio, apenas 68% do público-alvo se vacinou contra a gripe em todo o país.

Em Paraguaçu Paulista foram vacinados 78% do público-alvo, sendo que a meta é 90%. Desse percentual, os que se vacinaram até agora está assim: crianças são 54%; gestante 68%; idosos 74%; trabalhadores da Saúde 117%; professores 106%; crônicos 64%; e puérperas 84%.

Na região, o índice também não é dos melhores: 65%. E no estado de São Paulo, 62% do público-alvo foram vacinados. Todos os dados são do Ministério da Saúde e estão atualizados até o último dia 23 de maio.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, que teve início no dia 10 de abril, continua até o fim da próxima semana, no dia 31 de maio. "A vacina está disponível de graça nas unidades de saúde de todo município. Para diminuir a circulação do vírus é preciso que todas as pessoas que fazem parte do público prioritário da campanha se vacinem. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença”, afirmou a diretora de Saúde de Paraguaçu Paulista, Cristiane Bonfim.

O H1N1 é um subtipo da influenza, agente causador da gripe. O vírus é dividido em tipos e subtipos. As letras (A e B, por exemplo) referem-se ao tipo, já as formas (H3N2, H1N1) são subtipos. Segundo o Ministério da Saúde, todos são igualmente preocupantes, sem uma maior letalidade em nenhum deles.

O público-alvo para vacinação contra a gripe é composto por:
- Pessoas com 60 anos ou mais
- Mulheres com até 45 dias do parto
- Trabalhadores da área da saúde
- Professores de escolas públicas e privadas
- Povos indígenas
- Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
- Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade em medida socioeducativa
- População privada de liberdade
- Servidores do sistema prisional

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde
(OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do
comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe.
São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura – Silvana Paiva
+ VEJA TAMBÉM